Povo do Rio Grande do Sul vai às ruas contra pacote de Sartori e avisa: não vamos pagar a conta da crise!

Povo do Rio Grande do Sul vai às ruas contra pacote de Sartori e avisa: não vamos pagar a conta da crise!

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Um dia depois de anunciar o pacote de medidas que prevê privatizações, a extinção de nove fundações, demissão de 1.200 servidores, fusão de secretarias, o aumento da alíquota previdenciária e o fim da exigência de plebiscito para privatizar empresas estatais, o governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori (PMDB), decretou estado de calamidade financeira para o Estado, em publicação no Diário Oficial de terça-feira (22).

Rapidamente, servidores públicos – que estão os salários parcelados há dez meses – iniciaram uma vigília em frente ao Palácio Piratini. Eles não aceitam que o governo use a crise financeira do Estado como desculpa para vender o patrimônio público e colocar a conta da crise nas costas dos trabalhadores.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

“O que estamos vendo é mais um capítulo do golpe dado contra a soberania nacional e contra o patrimônio público. Só conseguiremos derrotar esse pacote com muita luta”, afirma Neiva Lazzarotto, da Intersindical Central da Classe Trabalhadora.

Protesto

A terça-feira (22) foi um dia de mobilização na Praça da Matriz, que acabou cercada por um forte aparato policial. Houve um incidente, entre manifestantes e seguranças do governo, junto às grades que bloqueavam o acesso ao Piratini. A temperatura do confronto entre manifestantes e policiais promete esquentar nos próximos dias.

Enquanto os servidores não recebem seus salários, o governo Sartori gasta cerca de R$ 3,5 milhões em uma campanha de publicidade para informar a população sobre a crise financeira estadual.

Neiva Lazzarotto chama atenção também para o fato de que o decreto de calamidade financeira, publicado pelo governo Sartori, abre as portas para a demissão de servidores estáveis.

O Sindicato dos Servidores da Justiça do Rio Grande do Sul (Sindjus) divulgou nota oficial destacando que “o povo gaúcho será, mais uma vez, quem pagará a conta pela incompetência administrativa da atual gestão em lidar com a crise financeira”. “Acabar com órgãos de pesquisa, como a Fundação de Economia e Estatística (FEE), e de difusão de cultura e conhecimento, como a TVE, demonstra o descaso do Piratini com a população e com o futuro do RS”, afirma a nota, que convoca os servidores do Judiciário a participar da greve geral convocada para esta sexta-feira (25).

Greve e ato sexta, na Esquina Democrática

Nesta sexta-feira (25) haverá uma jornada de protestos em todo o país contra a PEC 55, que congela investimentos em áreas sociais por 20 anos para economizar e pagar os juros da dívida pública, promovendo um verdadeiro desmonte do serviço público e retirando os direitos sociais garantidos pela Constituição.

Centrais sindicais, sindicatos e movimentos sociais promoverão um ato, sexta, às 18 horas, na Esquina Democrática. Atos regionais também ocorrerão em várias cidades do interior do Estado.

Na próxima terça-feira (29), quando deve ocorrer a votação em 1º turno da PEC 55 no Senado, está programado um novo Dia Nacional de Luta. O objetivo é pressionar os senadores em Brasília e nas bases eleitorais dos estados para impedir a sua aprovação.

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais antigos
Mais recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários