Petroleiros entram no 4º dia de greve

Petroleiros entram no 4º dia de greve

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Todo apoio à luta da categoria

A greve nacional dos petroleiros, realizada por enquanto na base dos sindicatos da FUP, mas que deve envolver também as entidades ligadas à Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) tem recebido novas adesões a cada dia. A greve é por tempo indeterminado e reivindica a suspensão das demissões em unidade da empresa no Paraná (a Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados, Fafen-PR) e o cumprimento do acordo coletivo da categoria. Nesta terça-feira, dia 03, o movimento atingiu treze estados e mais de vinte unidade do Sistema Petrobrás.

Além da paralisação, estão acontecendo manifestações, atos e acampamentos em diversas unidades da empresa. A Comissão de Negociação da FUP permanece, pelo 4º dia consecutivo, dentro da sede administrativa da Petrobrás, no Rio de Janeiro, cobrando interlocução com a direção da estatal. A comissão de funcionários estava sem acesso a alimentos e outros itens básicos. Ontem, segunda-feira, após intensa pressão social a direção da empresa autorizou a entrada de água e alimentos para os dirigentes sindicais da FUP. O autoritarismo da direção da empresa é tão explícito que impediram a entrada, na sede da empresa, da deputada federal Jandira Feghali, que também é médica. Em Betim (MG), a direção da empresa manteve sob cárcere privado 37 trabalhadores para impedir a adesão dos petroleiros à greve nacional.  

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

As entidades ligadas à Federação Nacional dos Petroleiros, FNP, também estão se somando ao movimento de greve, com cortes de rendição nos turnos, como em São José dos Campos e Litoral paulista. A perspectiva é a adesão total à greve ao longo da semana.

A Intersindical Central da Classe Trabalhadora expressa total apoio à greve, se soma às entidades que exigem a anulação das demissões na Fafen/PR e ao cumprimento do acordo coletivo da categoria. O governo Bolsonaro tem feito vários movimentos para desmontar a empresa, como a privatização de refinarias, enfraquecer seu caráter público do Sistema Petrobrás para entregá-lo ao capital financeiro internacional que controla petroleiras estrangeiras. A Intersindical chama, também a solidariedade ativa de toda a classe trabalhadora ao movimento legítimo e necessário da categoria petroleira.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários