O MTST inaugura o setembro de lutas com uma ocupação em São Bernardo

O MTST inaugura o setembro de lutas com uma ocupação em São Bernardo

MTST inaugura o setembro de lutas com uma ocupação em São Bernardo

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Cerca de 500 famílias organizadas pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, ocuparam a pouco um terreno de 60 mil m² no centro de São Bernado do Campo, na rua João Augusto de Souza, em frente a fábrica da Scania.

O terreno nunca recebeu qualquer uso, além da cruel especulação imobiliária e desrespeito a função social da propriedade — como determina a Constituição de 1988.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

A importância dessa ocupação para o município é grande uma vez que o deficit habitacional em São Bernardo do Campo é de 90 mil famílias sem casa, o maior do Grande ABC, que acumula mais 230 mil famílias sem teto.

A ocupação foi feita por quinhentas famílias que buscam, na força da luta, garantir o direito constitucional e humano de ter uma casa. A legitimidade da ocupação se garante pelo simples fato de que o uso do terreno foi sempre a especulação imobiliária.

Essa ocupação acontece num momento de aprofundamento da crise econômica do país, onde os frutos podres que nascem desse governo já geraram 14 milhões de desempregados e o aumento da pobreza. A população pobre e trabalhadora que vive de aluguel, viu suas condições de vida piorarem mais ainda, não lhes restando outra alternativa que ocupar e montar seu barraco de lona para lutar por sua moradia.

AMEAÇA DE AÇÃO ILEGAL DA GCM EM SÃO BERNARDO

(Atualizado em 05/09, às 15h09)

O MTST recebeu a informação de que a Prefeitura de São Bernardo do Campo pretende realizar uma ação ilegal da GCM com o objetivo de despejar a ocupação do MTST, que ocupa terreno próximo a Scania desde a semana passada.

São centenas de famílias no local e o processo de reintegração corre na Justiça. A área é particular, pertencente a uma construtora, o que torna inteiramente ilegal qualquer intervenção da Guarda Municipal.

Se a GCM pretender entrar no terreno encontrará resistência dos trabalhadores sem-teto. Qualquer conflito será de responsabilidade da Prefeitura de São Bernardo.

Além disso, em caso desta tentativa, ficará a questão de qual a relação da Prefeitura com a construtora dona do terreno, a ponto de utilizar aparato público para defender o interesse privado desta.

MTST, a luta é pra valer!

Fonte: MTST


INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Inscreva-se aqui em nosso canal no YouTube

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários