fbpx

Intersindical no Cariri organiza protesto contra aumento de salários em até 65% na Câmara Municipal

Enquanto os trabalhadores lutam por aumento e salário e não tem sequer a reposição da inflação, os gestores públicos na região do Cariri (CE) estão querendo aprovar valores absurdos de aumento de salário para si mesmos.

Tramita na Câmara de vereadores de Juazeiro do Norte (CE) um projeto de lei que prevê aumento nos vencimentos para os cargos de prefeito, vice-prefeito, secretariado e vereadores do município em até 65% , a vigorar a partir de 2017.

O projeto deu entrada na Casa na tarde da última quinta-feira (13) e deve ser apreciado nesta quinta-feira (21).

“A Intersindical Central da Classe Trabalhadora no Cariri puxou a iniciativa de realizar um protesto nesta tarde, às 15h, em frente à Câmara Municipal de Juazeiro do Norte, e passou a contar com a adesão de movimentos populares e da população em geral. É mais um ato de repúdio contar esse aumento abusivo. Estamos na vanguarda da luta contra a farra de dinheiro público”, explica Valdir Medeiros, da direção nacional da Intersindical.

Em Barbalha, cidade a apenas 9 km de Juazeiro do Norte, os vereadores aprovaram na calada da noite de 28 de setembro um aumento dos próprios salários, que agora passa a ser de R$ 10.128,90.

Aumento em Juazeiro

O projeto estabelece para o cargo de prefeito o aumento superior a R$13 mil. Dos atuais R$20 mil para um salário de R$33 mil. Já o cargo de vice-prefeito, terá aumento de aproximadamente R$7 mil, passando de R$14 mil para R$21 mil.

Os novos secretários passariam a receber R$12 mil ao invés dos R$10 mil pagos neste mandato.  Já os vereadores teriam reajuste de até 20% de seus subsídios. Os eleitos para a próxima legislatura devem receber R$12 mil.

Em contas simples e apenas com os cargos citados, o projeto eleva a folha de pagamento em mais de R$ 1 milhão/ano além do que já está sendo gasto na cidade de 250 mil habitantes. Nessa conta não estão incluídos secretários adjuntos, que devem acompanhar o aumento, além de assessores parlamentares e as regalias a que os ocupantes dos cargos têm direito.

Contra proposta prevê o congelamento do salário dos gestores, a exemplo da PEC 241

Na contramão do projeto, o vereador e ex-secretário municipal de Segurança Pública, Claudio Luz, disse que pretende apresentar uma emenda ao projeto que tramita na Câmara. São duas medidas que devem ser propostas: a primeira é congelar o salário dos secretários, prefeito e vice do município, acompanhado a onda de cortes de gastos no país. E a segunda emenda é o equiparar o subsídio de um vereador ao salário do professor da Rede de Ensino Municipal.

Para que as emendas sejam anexadas no projeto, a Câmara terá de aprovar. Com isso os parlamentares teriam que abrir mão, não só do aumento de 20%, mas de 80% do subsídio que já ganham atualmente.

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail

One Comment;

  1. Geraldo Gilton de Souza said:

    TODOS OS SINDICALISTAS, SEJA MUNICIPAL,ESTADUAL,RURAL,FEDERAL OU DE QUALQUER OUTRO SEGMENTO, FOI OU É TRABALHADOR ATIVO, APOSENTADO,AFASTADO,ANISTIADO, JUNTOS SOMOS MAIS DO QUE VENCEDOR EM UM SÓ PROPOSITO, LUTAR CONTRA OS NOSSOS OPOSITORES E FINCAR UMA BANDEIRA TREMULANDO DIANTE DOS POLÍTICOS CORRUPTOS. TODOS A LUTA, VENHA O QUE VIER NÃO VAMOS TIRAR O PÉ.

*

Top