fbpx

Intersindical participa da II Assembleia Nacional da Unicab

assembleia nacional da unicab, edson índio, 2 pessoas em pé, 4 pessoas sentadas, 1 mulher, homem fotografando, intersindical, mtst, frente povo sem medo, psol, reunião

Atividade da União Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras Camelôs, Feirantes e Ambulantes do Brasil aconteceu entre os dias 10 e 12 de julho em Taboão da Serra

O Casarão da Luta, sede do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), em Taboão da Serra, recebeu a II Assembleia Nacional União Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras Camelôs, Feirantes e Ambulantes do Brasil (Unicab) na semana passada, entre os dias 10 e 12.

A Intersindical Central da Classe Trabalhadora esteve presente, com participação do secretário-geral, Edson Carneiro Índio, e da secretária de Movimentos Urbanos, Thais Console, além de outros militantes da central. Console explica que o objetivo do encontro foi “debater os desafios do movimento sindical frente à reorganização da classe trabalhadora e partilhar as experiências de organização dos setores informais nos diversos estados do país”.

Participaram do encontro representantes das regiões Nordeste (Paraíba e Pernambuco), Sudeste (Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo) e Sul. “Avaliamos os principais desafios, as possíveis alianças e as estratégias de organização”, conta Console, secretária de Movimentos Urbanos da Intersindical. Entre os debates, ela destaca a articulação da luta pelo “reconhecimento do trabalho ambulante como categoria profissional, a fim de alcançar uma regulação que garanta proteção social de fato”.

Foram três os principais encaminhamentos da II Assembleia Nacional da Unicab:

  1. Criar uma frente parlamentar em defesa dos trabalhadores de rua;
  2. Construir uma política nacional de regularização do trabalho nas ruas;
  3. Realizar um ato unificado em todos os estados no dia internacional do trabalho ambulante, em 14 de novembro.

Com relação à participação da Intersindical, Thais Console avalia que foi “fundamental para subsidiar o debate e trazer a experiência de organização em Minas Gerais, com destaque para a Ocupação Vicentão e articulação entre direito a cidade, moradia e trabalho”.

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail
Tags

One Comment;

*

Top