Greve Geral Vitoriosa

13 de Agosto, manifestação, multidão, pessoas na rua, defesa da educação, pessoas a noite, vista aérea

Compartilhe

Setores importantes da classe trabalhadora brasileira cruzaram os braços e deram um sinal claro e contundente ao governo, aos deputados e às mentiras da grande mídia.

As lutas no dia 14 de junho foram marcantes em vários sentidos. Contou com a adesão de mais de 45 milhões de trabalhadores e trabalhadoras, houve paralisações em centenas de cidades, e reuniu multidões em grandes manifestações no interior do Brasil, no litoral e nas capitais.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

O alcance da Greve Geral é resultado da unidade do movimento sindical com as frentes e movimentos, do diálogo e unidade com o movimento estudantil e a juventude, e do compromisso com a defesa da previdência social, da educação pública e de empregos pra toda nossa população trabalhadora.

Foram inúmeros debates, atos, panfletagens, aulas públicas, cursos de formação, banquinhas de coleta de assinatura do abaixo assinado e diálogo com a população, assembleias nos locais de trabalho e nas categorias. Tudo isso contribuiu para o sucesso doas mobilizações do dia 14 de junho. Cabe destacar, a importância do 1° de Maio unificado e as mobilizações dos dias 15 e 30 de maio.

Saudamos o empenho dos sindicatos ligados à Intersindical, e às demais organizações que não recuaram do compromisso coletivo de garantir a paralisação nacional.

Devemos agora intensificar o trabalho de base e o diálogo amplo na sociedade para o esclarecimento dos malefícios contidos no relatório do Deputado Samuel Moreira (PSDB/SP) que estabelece idade mínima de 62 e 65 anos para mulheres e homens se aposentar, acaba com a aposentadoria por tempo de contribuição, reduz fortemente o valor do benefício de quem ganha até três salários mínimos, corta brutalmente o valor das pensões e corta mais de R$ 750 bilhões em dez anos dos mais pobres.

É preciso barrar a aprovação desse relatório, bem como impedir que o governo Bolsonaro volte a pautar o regime de capitalização para entregar a previdência para o capital financeiro. É o que o povo brasileiro fará, com unidade e mobilização social.

Texto: Pedro Otoni

[wd_hustle id=”social-icons-fim-de-texto” type=”social_sharing”]

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Edson Índio, na Conferência Nacional dos Bancários
Edson Índio, na Conferência Nacional dos Bancários
Mané Gabeira, na Conferência Nacional dos Bancários
Mané Gabeira, na Conferência Nacional dos Bancários
Rita Lima, na Abertura dos Congressos dos Bancos Públicos
Rita Lima, na Abertura dos Congressos dos Bancos Públicos
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários