Governo sofre derrota de reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais

Governo sofre derrota de reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Saiba mais:
→ Reforma trabalhista: votação na CCJ será dia 28/06 e no plenário do Senado dias 5 e 12/07
 Baixe o jornal da Greve Geral do dia 30/06!


A Comissão de Assuntos Sociais do Senado rejeitou nesta terça-feira (20) – dia do ‘Esquenta’ da Greve Geral – o projeto de lei da reforma trabalhista. A vitória dos trabalhadores foi apertada. Foram apenas 10 votos contra o desmonte da Consolidação das leis do trabalho (CLT) e 9 a favor da precarização prevista no relatório do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), que já havia sido vitorioso na Comissão de Assuntos Econômicos.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

A votação do PLC 38/17 surpreendeu até mesmo a oposição. Houve uma traição no PMDB e outra no PSDB e uma substituição de um parlamentar por outro favorável.

“A pressão social, a greve geral marcada para a próxima semana e toda a pressão sobre os senadores deram resultado, ainda que a vitória não seja definitiva. Agora a luta segue para enterrar o desmonte dos direitos trabalhistas e o fim dos empregos na Comissão de Constituição e Justiça”, afirma Edson Carneiro Índio, secretário-geral da Intersindical Central da Classe Trabalhadora, que está hoje em Brasília em reunião com a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Como foi a sessão

A sessão ocorreu em clima tumultuado e sob protestos da oposição. Ao final, a senadora Marta Suplicy (PMDB-SP), que presidiu a sessão, designou para suceder Ferraço o senador Paulo Paim (PT-RS), autor do voto em separado.

O relatório de Ricardo Ferraço (PSDB-ES) era favorável à reforma proposta por Temer e mantinha o texto como foi aprovado na Câmara dos Deputados.A reforma trabalhista foi aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos no último dia 6 e o relator também foi o senador Ricardo Ferraço.

A derrota do governo ocorre um dia após Michel Temer, que responde a inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF), ter viajado para a Rússia e para a Noruega em viagem oficial.

Nesta quarta-feira (21) o projeto segue para a leitura na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Se aprovado segue para aprovação no plenário do Senado. A previsão é que a passagem da reforma pelas comissões se encerre no dia 28, com a votação na CCJ.

Comissão de Assuntos Sociais (CAS) – Painel eletrônico exibe resultado da votação do relatório de Ricardo Ferraço (PSDB-ES) sobre a reforma trabalhista.

Fotos: Marcos Oliveira/Agência Senado


INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Inscreva-se aqui em nosso canal no YouTube

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários