Desmonte da Celg e Saneago fica transparente com descoberta da ‘Lava Jatinho Tucana’

Desmonte da Celg e Saneago fica transparente com descoberta da ‘Lava Jatinho Tucana’

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Trabalhadores da Saneago realizam nesta quinta-feira (15) uma caminhada em apoio às investigações do Ministério Público e Polícia Federal  – que apuram desvios e irregularidades na companhia de águas e esgoto do Estado de Goiás e também na Celg. O caso é conhecido em Goiás como “Lava Jatinho Tucana”.

João Maria de Oliveira, diretor do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas no Estado de Goiás (Stiueg) explica que os trabalhadores da Saneago e da Celg estão agoniados. Além do desmonte destas empresas, para fins de privatização, eles têm sofrido com assédio moral e as terceirizações desenfreadas.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

“Na terça-feira a Saneago completou 49 anos e o clima era de cabeça baixa, os trabalhadores e trabalhadoras que construíram esta empresa, que é necessária para a qualidade de vida dos cidadãos, não sabem o que esperar. Vamos entregar um documento de apoio às investigações no Ministério Público”, diz ele.

No mesmo dia, os trabalhadores da Celg devem deliberar  por se juntarem à causa dos trabalhadores da Saneago.

Escândalo tucano

A Polícia Federal apura o envolvimento da Celg (companhia de energia) no esquema de corrupção investigado na Operação Decantação, que levou à recente prisão do presidente do PSDB de Goiás, Afreni Gonçalves, e do ex-secretário de Fazenda de Marconi Perillo e atual nº 1 da Saneago, José Taveira Rocha.

Há indícios de que a distribuidora de energia goiana também teria sido usada para desviar recursos públicos por meio de licitações fraudulentas. As irregularidades teriam ocorrido entre 2010 e 2012, quando, então, a Celg, em grave crise financeira, foi federalizada.

Neste momento, a empresa passou à gestão da Eletrobras, e a fonte secou. Com isso, o esquema de corrupção teria se transferido para a Saneago.

Segundo cálculos preliminares da Polícia Federal, cerca de R$ 4,5 milhões em recursos públicos teriam sido desviados da Saneago para beneficiar políticos do PSDB. Esta cifra, no entanto, tende a se multiplicar caso fique comprovado que o esquema também agiu na Celg. No último dia 24 de agosto, a Operação Decantação cumpriu 120 mandados judiciais.

“Trata-se de mais um fato para reforçar o discurso da direita no intuito de se desfazer do controle da Celg, por isso a mobilização dos trabalhadores para mostrar o quanto a Celg e a Saneago são necessárias”, explica o diretor do Stiueg. O leilão marcado para o último dia 16 de agosto foi suspenso. Nova tentativa está marcada para o dia 25 de novembro.

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Foto: Wesley Costa

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários