Continuidade da luta contra a Reforma da Previdência

Continuidade da luta contra a Reforma da Previdência

defesa da aposentadoria, não trabalharemos até morrer, molher levantando placa, 1 placa, reivindicação, manifestação, protesto, aposentadoria, previdência

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

A aposentadoria do povo brasileiro está sob grave ameaça. A Proposta de Emenda Constitucional 06/2019 (PEC 06/2019), a Reforma da Previdência, aprovada em 1° turno Câmara dos Deputados no dia 10/07, na prática, exclui milhões de trabalhadores e trabalhadoras ao direito a se aposentar após uma vida inteira de vida laboral. Condena boa parte dos idosos à indigência e retira a capacidade de compra da população, piorando a vida de quem consome e de quem vive do pequeno e médio comércio e da prestação de serviços. 

No primeiro turno da votação da PEC 06/2019, foram 379 deputados que traíram a confiança dos eleitores e votaram SIM ao fim da aposentadoria. Porém, esta foi apenas a primeira votação na Câmara, a segunda votação está programada para o dia 06/08 e depois o projeto será encaminhado ao Senado para mais dois turnos de votação. 

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

A luta em defesa da aposentadoria continua e a mobilização popular é fundamental para virar o jogo.

CONTINUA

[wd_hustle id=”captura-meio-de-texto” type=”embedded”]

Sobre a tramitação da PEC 06/2019

A PEC 06/2019, provavelmente, será votada em 2° Turno da Câmara dos Deputados no dia 06 de agosto. Neste dia estão previstas mobilizações em todo o país e no Congresso Nacional para pressionar os deputados a rejeitarem a PEC. Caso seja aprovada, a PEC será encaminhada para o Senado Federal.

No Senado, a PEC terá a seguinte tramitação. Primeiro será examinada a admissibilidade constitucional, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que em um prazo de 30 dias realizará audiências públicas, discussões e, ao final, será votado o parecer do relator, que provavelmente será o Senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Caso aprovada, a PEC ainda será apreciada na Comissão Especial, que já foi constituída, para debater e deliberar sobre o mérito. Será preciso a assinatura de ⅓ dos senadores (27) para incluir emendas na discussão do projeto. 

Em seguida, a PEC é encaminhada no prazo de 5 dias para o Plenário do Senado, que no prazo de 5 sessões poderá receber emendas. Caso aconteçam, o projeto retorna à CCJ para apreciação por um prazo máximo de 30 dias. Depois retorna para a votação em dois turno, cujo o prazo entre eles são de 5 dias úteis. Serão precisos 33 votos contra para a vetar a Reforma da Previdência. 

Caso seja aprovada sem modificações no Senado, a proposta é encaminhada para promulgação. Se ocorrerem mudanças no texto, retornará para a Câmara dos Deputados, para nova votação, que acolherá ou não as mudanças realizadas pelos senadores. 

Não tem arrego! Mobilizar pelo direito à aposentadoria

As centrais sindicais, frentes de mobilização e movimentos sociais estão mobilizados para virar o jogo e proteger a aposentadoria da população brasileira. Por isso, estão previstas uma série de ações nos próximos 60 dias.

Durante todo o mês de julho e início de agosto, o Abaixo Assinado Contra o Fim da Aposentadoria receberá reforço das entidades sindicais e movimentos sociais. São centenas de barraquinhas coletado assinaturas e esclarecendo a população sobre os prejuízos da proposta de Reforma da Previdência.

No dia 06 de agosto, quando possivelmente será o 2° turno de votação na Câmara dos Deputados, teremos o Dia Nacional de Mobilização em Defesa da Aposentadoria. Neste dia estão sendo organizados atos e paralisações em todo o país, bem como manifestação de lideranças sindicais dentro do Congresso Nacional, para pressionar os deputados no dia da votação. 

Já no dia 13 de agosto, acontecerá em Brasília a Marcha das Margaridas e o ato de entrega do Abaixo Assinado no Congresso. O movimento sindical definiu mobilização total em Brasília e em todo o país. O movimento estudantil e entidades da educação também sairão às ruas neste dia contra os cortes da educação. Haverão paralisações, assembleias nos locais de trabalho e atos de rua, envolvendo, de maneira unitária, movimento sindical, popular e estudantil para barrar defender a Aposentadoria e a Educação Pública. 

Nossa tarefas na luta contra a Reforma

Defender o direito à aposentadoria é a tarefa prioritária neste momento, por isso, é fundamental:

  1. Reforçar a coleta de assinatura dos abaixo assinado até a primeira semana de agosto e dialogar com a população sobre os malefícios da PEC 06/2019.
  2. Mobilizar as direções sindicais para estarem presentes nos dias 05 e 06 de agosto em Brasília para pressionar os deputados no Congresso Nacional e, se possível, permanecerem até o dia 13 de agosto para a participação no ato. 
  3. Realizar no dia 06 de agosto atividades nos locais de trabalho e protestos de rua. 
  4. No dia 13 de agosto colocar força total nos atos de rua e manifestações onde possível, além disso, fortalecer a Marcha das Margaridas com um grande ato em Brasília em Defesa da Aposentadoria. 
  5. Continuar a pressão nas redes sociais e nos redutos eleitorais dos deputados até a semana do dia 06 de agosto. A partir daí, intensificar a pressão no Senado, utilizado a tática da pressão sobre os redutos eleitorais dos Senadores.

A Intersindical Central da Classe Trabalhadora está empenhada na coleta de assinaturas, estará presente com seus representantes em Brasília e também mobilizará as bases para os atos previstos nos dias 06 e 13 de agosto.

Acreditamos que o direito à aposentadoria é uma conquista fundamental da classe e deve ser defendida a qualquer preço. Não tem arrego contra aqueles que retiram direitos do povo, não tem trégua.

Não podemos deixar que um crime contra o trabalhador e a trabalhadora se transforme em lei!

Secretaria Geral da Intersindical Central da Classe Trabalhadora

Imprima o abaixo-assinado contra o fim da aposentadoria
Baixe a HQ da Reforma da Previdência

[wd_hustle id=”social-icons-fim-de-texto” type=”social_sharing”]

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários