Carta de repúdio de Rosalina Santa Cruz às honras feitas ao falecimento e ex-Chefe do DOI-CODI

Carta de repúdio de Rosalina Santa Cruz às honras feitas ao falecimento e ex-Chefe do DOI-CODI

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Carta de repúdio de Rosalina Santa Cruz, militante presa e torturada pela ditadura civil-militar, que teve seu irmão, Fernando Santa Cruz, também preso e desaparecido sob ordens do então chefe do DOI-CODI, Leônidas Pires Gonçalves, falecido no último dia 4 de junho.

“Nós, familiares de Fernando Santa Cruz, preso em Fevereiro de 1974 e desaparecido até hoje estamos mais uma vez chocados e revoltados ao ver mais um militar diretamente ligado ao assassinato e a ocultação, não só do cadáver de meu irmão, como das circunstâncias da sua covarde morte, sendo enterrado com honras militares quando devia estar na cadeia, denunciado como assassino e torturador que era.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Pois afinal quem comanda e permite o terrorismo de Estado e adota a tortura como uma pratica corriqueira em seus quartéis é tão responsável ou até mais que aqueles que a executam.

Uma, das primeiras noticias que tivemos sobre o desaparecimento de Fernando, foi dada pelo sargento Marivaldo Chaves que declarou que Fernando e Eduardo Collier (preso na mesma ocasião com Fernando – os dois são desaparecidos até hoje) haviam sido esquartejados na Casa da Morte de Petrópolis no Rio, onde haviam sido presos e onde o Sr. Leonidas poucos dias depois era nomeado Comandante.

Uma nova noticia nesta mesma direção vem pelo delegado Claudio Guerra que afirma que Fernando e Eduardo foram levados por ele da Casa de Petrópolis para serem cremados na Usina de Campos.

A Comissão Nacional da Verdade em seu relatório final, também não deixa claro onde e em que circunstancia tanto Fernando quanto Eduardo foram assassinados e como desapareceram com seus restos mortais.

A Comissão Nacional da Verdade conclui que pode ter sido no DOI-Codi de São Paulo ou na Casa da Morte de Petrópolis. Mais uma vez estamos no mesmo lugar com as mesmas informações que nós mesmos enviamos para a CNV, aliás muito mais reduzidas, incompletas e com erros foram colocadas naquele relatório.

Até onde veremos militares assassinos e torturadores com seus nomes sendo homenageados em praças, ruas, avenidas, viadutos etc ou enterrados como heróis como estamos vendo agora, enquanto que nossos heróis continuam insepultos?

Justiça e apuração… É o que reivindicamos ao governo brasileiro.”

Rosalina Santa cruz

Leia Também:
Ministro da Defesa zomba da CNV ao prestar honras militares ao general torturador Leônidas
Fórum de trabalhadores realiza ato por justiça e reparação das violações durante a Ditadura
Para cumprir as tarefas de justiça e reparação é preciso responsabilizar o empresariado

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários