Brasília: Servidores marcham contra o desmonte do serviço público

Brasília: Servidores marcham contra o desmonte do serviço público

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Servidores públicos, centrais sindicais e movimentos populares, como o MTST, realizaram forte manifestação em Brasília no dia 13. A marcha fez parte do esforço unitário das diversas organizações dos trabalhadores do setor público na luta para barrar a PEC 241, o PLP 257 e os diversos projetos que atentam contra a classe trabalhadora e os interesses do povo brasileiro.

Vindo das mais diversas regiões do país, os manifestantes reafirmaram, também, a importância de construir um calendário de lutas unificado, apontando o dia 22/09 como a próxima data para esquentar a construção da greve geral. Alguns setores também devem se somar nas paralisações e atividades no dia 29/09.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

A militância da Intersindical se somou na defesa desse calendário unitário e reafirmou a importância, também, dos servidores e suas entidades se somarem nas manifestações organizadas pelas frentes de mobilização, como a Frente Povo Sem Medo, da qual a Intersindical participa. Militantes e dirigentes da Intersindical dos diversos estados, como RS, SC, SP, GO, DF, CE, RN, entre outros, nuclearam a nossa participação nos diversos eventos, como na noite da segunda-feira, na marcha que exigiu a cassação de Eduardo Cunha.

Para barrar a ofensiva de desmonte do serviço público, de entrega do Pré-Sal e de extermínio dos direitos é necessário reunir todas e todos em torno do Fora Temer.

Na manhã do dia 14, quarta, uma plenária nacional reuniu servidores públicos municipais, estaduais e federais reafirmou a importância da unidade na luta para barrar a PEC 241, o PLP 257, as privatizações e a extinção de direitos previdenciários, sociais e trabalhistas.

Construir um calendário unificado, dialogar com as categorias em luta, estabelecer uma ponte de diálogo permanente e concreto com os setores sociais que se mobilizam pelo Fora Temer, nenhum direito a menos e Diretas já e ampliar o debate com a classe trabalhadora e a juventude, demonstrando a gravidade dos ataques do governo e da maioria do Congresso Nacional, aliada do grande capital, é fundamental para o acúmulo de forças para a realização de uma grande greve geral no próximo período.

Não à PEC 241 e o PLP 257. Em defesa do serviço público!

Nenhum retrocesso nos direitos da aposentadoria ou da CLT.

Não ao PL da Terceirização. Chega de precarização!

O Pré-Sal é do Brasil. Diga não às privatizações!

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários