UNE prevê 50 mil em Brasília contra a reforma da Previdência

UNE prevê 50 mil em Brasília contra a reforma da Previdência

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Com o local fechado e protegido pela Polícia Militar do DF, estudantes, sindicalistas, servidores e movimento de mulheres aproveitaram para improvisar uma manifestação no local.

“A nossa luta! Unificou! É estudante junto com trabalhador!”, gritavam na frente da portaria do Anexo II ao mesmo tempo em que deputados da oposição negociavam a entrada deles nas dependências da Casa.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Ao Vermelho, Iago Montalvão avisou que o Congresso da UNE, que acontece até domingo (14) em Brasília, vai ajudar a colocar 50 mil pessoas na Esplanada dos Ministério no próximo dia 12. Trata-se do ato unificado de estudantes, trabalhadores e servidores públicos contra os cortes na educação e a reforma da previdência.

“Olha nossa expectativa é muito boa nesse primeiro ato nacional. No Congresso da UNE estamos esperando cerca de 15 mil estudantes de todos os estados, somados aos trabalhadores e movimentos sociais de outros estados e do Distrito Federal, a gente espera que tenha pelo menos 50 mil pessoas no ato do dia 12”, calculou o líder estudantil.

Ele diz que o ato da próxima sexta é mais uma demonstração de força do movimento que começou nos protestos de maio contra os cortes na educação e da greve geral de junho. Para agosto, ele diz que a jornada de luta continua até que se revertam os cortes de verbas das instituições.

Previdência

Iago Montalvão diz que a reforma da Previdência é um debate fundamental para a juventude brasileira, porque as regras aprovadas vão “afetar essencialmente” esse segmento.

“Não é só por que vamos contribuir a partir de agora para se aposentar no futuro, mas também pelo fato de que essa reforma atinge atualmente os trabalhadores das universidades. Assim como a reforma trabalhista fez muitas universidades privadas demitirem professores para recontratá-los sob um novo regime”, argumentou.

Segundo ele, não há dúvida de que esse tipo de reforma impacta diretamente na qualidade da educação. “Então é isso que queremos esclarecer aos estudantes. Isso é o seu futuro, mas também o presente do seu professor e dos trabalhadores da educação, por isso nós estaremos juntos na luta”.

Fonte: Portal Vermelho

[wd_hustle id=”social-icons-fim-de-texto” type=”social_sharing”]

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários