petrobras

derrotar bolsonaro

Ocupar as ruas em defesa dos direitos, da democracia e para derrotar Bolsonaro

O governo de Jair Bolsonaro atua para destruir os direitos da classe trabalhadora, desmontar o Estado, entregar as empresas estatais e as riquezas naturais do país, devastar as terras indígenas para entregá-las à sanha de mineradoras e agronegócio. Para tudo isso, Bolsonaro conta com apoio e votos da maioria do Congresso Nacional, do STF, da Rede Globo, Folha SP e da grande mídia. O que está em curso, portanto, é um projeto de destruição nacional para subordinar o país atender aos interesses do capital financeiro e dos Estados Unidos.

Greve Petrobras - suspensão provisória

Petroleiros decidem por suspensão provisória da greve

Nesta quarta-feira (19/02) o Conselho Deliberativo da FUP em conjunto com as direções dos sindicatos da categoria definiram por suspender provisoriamente a greve para que a Comissão Permanente de Negociação da categoria possa participar da Reunião de Mediação agendada para sexta-feira (21/02).

Petrobrás: assim Paulo Guedes planeja o desmonte

Análise dos engenheiros da empresa revela: venda das refinarias e da BR Distribuidora deixará estatal vulnerável e está na contramão de tudo o que fazem as grandes petroleiras do mundo.

Greve dos Petroleiros continua

Mesmo após a decisão autoritária de ministro do TST (Tribunal Superior do Trabalho), sindicatos decidem manter a greve na Petrobras e exigir o cumprimento do Acordo Coletivo.

Petroleiros lançam desafio a Bolsonaro

Diante do debate entre governadores de 22 estados e o presidente Jair Bolsonaro a respeito da redução de impostos dos combustíveis, estes trabalhadores através de suas entidades representativas retrucam o desafio populista lançado pelo presidente lançando um novo desafio a Bolsonaro.

Decisão judicial ilegal tenta por fim à greve na Petrobras

Em decisão abusiva, antidemocrática e inconstitucional, o ministro do TST (Tribunal Superior do Trabalho) Ives Gandra determinou nesta quinta-feira (06/02) o bloqueio das contas bancárias dos sindicatos dos petroleiros e permitiu à direção da Petrobras contratar trabalhadores temporários.

Petroleiros entram no 4º dia de greve

A greve nacional dos petroleiros, realizada por enquanto na base dos sindicatos da FUP, mas que deve envolver também as entidades ligadas à Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) tem recebido novas adesões a cada dia.

A refinada operação pelo subdesenvolvimento

Em criminoso “erro”, Agência Nacional de Petróleo admite abandonar refinarias estatais. Medida obrigará país a processar cada vez mais petróleo no exterior. População pagará, pelos combustíveis, o que o mercado global quiser cobrar.

Algumas lições do leilão da Cessão Onerosa

A Petrobras obteve o direito de continuar produzindo em Búzios e Itapu, além dos barris adquiridos no contrato de Cessão Onerosa, muito além dos cinco bilhões inicialmente contratados e sem os limites quantitativos da primeira contratação.

Luta pela Petrobras

3/10 é Dia Nacional de Luta pela Petrobras, em defesa do Brasil!

Os atos pelo país reivindicarão o fortalecimento da Petrobras como patrimônio dos brasileiros, contra a privatização das demais estatais e empresas públicas, contra a Reforma da Previdência, em defesa do meio ambiente, da democracia e do estado democrático de direito.

Petrobras: a raposa no galinheiro | INTERSINDICAL

Petrobras: a raposa no galinheiro

“O primeiro escalão do time do capitão está permeado de quadros que exibem uma relação íntima com o financismo internacional

10 DE AGOSTO: Basta de privatização! | INTERSINDICAL

10 DE AGOSTO: Basta de entrega das nossas riquezas!

O governo golpista veio para raspar o tacho. Se o tucano Fernando Henrique entregou a Telebras, a Companhia Vale do Rio Doce e parte do setor elétrico. Michel Temer e companhia querem se desfazer de tudo o que nos resta.

PETROBRAS: a disputa do petróleo | INTERSINDICAL

Petrobras: a disputa do petróleo

A disputa pelo controle da Petrobras e das reservas do Pré-sal nos últimos dias indica que a política energética está no centro do conflito político no país. O controle do petróleo brasileiro está em jogo, uma partida que se dá em em diferentes cenários (ou campos), no Congresso, no STF, na imprensa, na Bolsa de Valores e na sociedade em geral. Apresentamos a seguir a situação em alguns deles.

Passou a greve dos caminhoneiros. E agora? | INTERSINDICAL

Passou a greve dos caminhoneiros. E agora?

A passagem de Pedro Parente no comando da Petrobras foi curta, mas os estragos foram enormes. Nomeado pelo ilegítimo Michel Temer logo após o golpe que derrubou a ex-presidente Dilma Rousseff, Parente pediu demissão no último 1º de junho após a greve dos caminhoneiros e a pressão popular contra sua gestão. Ele foi o principal responsável por mudar a política de preços da Petrobras, que passou a vincular o valor dos combustíveis nos postos às variações diárias do barril de petróleo no mercado mundial.

Dia Nacional de Lutas em Ponta Grossa (PR) | INTERSINDICAL

Dia Nacional de Lutas em Ponta Grossa (PR)

Em poucos dias, a mobilização dos caminhoneiros conseguiu parar o país e provocar um abalo sísmico no sistema político. Percorrem as margens de toda essa pulsão transformadora e avassaladora a disputa do movimento, via uma guerra ideológica – o que é comum em todo fenômeno espontâneo. O vazio está em demasia e muitos gritam para preenche-lo, sem conseguir, por enquanto, apropriar-se dele em sua completude.

Greve dos Petroleiros: refinarias são alvo de ação de militares

Greve dos Petroleiros: refinarias são alvo de ação de militares

Intervenção militar na greve dos petroleiros! Em uma ação de violação do direito de greve dos trabalhadores, militares do exército ocuparam, com ajuda de Policiais Militares, a Refinaria Henrique Lage (REVAP) localizada em São José dos Campos, Vale do Paraíba (SP) nesta manhã de quarta-feira (30).

Quarta, 30 de maio é Dia Nacional de Luta

Quarta, 30 de maio é Dia Nacional de Luta

Pela redução do preço do gás e do combustível, Frentes convocam Dia Nacional de Luta. O povo brasileiro está indignado com o alto custo de vida, o valor do gás e do combustível, que já foi reajustado mais de duzentas vezes em dois anos e exige respostas imediatas.

Petroleiros do Litoral Paulista aprovam greve! | INTERSINDICAL

Petroleiros do Litoral Paulista aprovam greve!

Começa nesta quarta-feira (30) e será por tempo indeterminado. Por ampla maioria de votos, os petroleiros do Litoral Paulista aprovaram a deflagração de greve, por tempo indeterminado, a partir desta quarta-feira (30).

Nota de apoio da Intersindical à greve dos Petroleiros

A Intersindical Central da Classe Trabalhadora vem manisfestar seu apoio a greve de advertência de 72 horas anunciada pelos petroleiros a partir das meia noite de quarta-feira (30/05). A central compreende que é o momento de produzir a unidade da classe trabalhadora em defesa da Petrobras, isso passa por unificar as lutas entre os trabalhadores da produção, do transporte e os consumidores de combustíveis.

Chega de aumento dos combustíveis! Contra a repressão militar aos caminhoneiros! Em defesa da Petrobras!

Chega de aumento dos combustíveis! Contra a repressão militar aos caminhoneiros! Em defesa da Petrobras!

Os responsáveis diretos são Pedro Parente e Michel Temer que desde 2016 iniciaram a nova política de preços tendo como um dos eixos a paridade com os preços internacionais, o que na prática abriu a possibilidade de ajustes diários. Além disso, a diminuição da produção e a abertura do mercado nacional para a importação reforçam o objetivo claro de desmonte e privatização da Petrobras. Não a toa, no último mês, foi anunciado o plano de venda de quatro refinarias e doze terminais da Transpetro.

Nota de apoio à greve dos caminhoneiros

A Intersindical apoia os caminhoneiros em luta, e aponta a defesa da Petrobras pública como caminho para a mudança da política de preço dos combustíveis.

Reforma política continua na agenda da Câmara nesta semana

Reforma política continua na agenda da Câmara nesta semana

A comissão especial que analisa mudanças nas regras eleitorais (PEC 77/03) volta a se reunir nesta terça-feira (15) para concluir a votação de mudanças no texto do relator, deputado Vicente Candido (PT-SP). A reunião está marcada para as 14h30, em plenário a definir.

Câmara pode retomar votação de entrega do pré-sal

A votação mais polêmica da agenda do golpe contra o povo brasileiro na Câmara dos Deputados está prevista para acontecer na manhã desta terça-feira (18). Faltam votar os destaques que alteram o texto original do projeto (PL 4567/16), um lobby das grandes petrolíferas internacionais para ficar com a tecnologia de exploração e comercialização do pré-sal da Petrobras.

Químicos engrossam paralisação do dia 22 e reivindicam 14% de reajuste com aumento real

Químicos engrossam paralisação do dia 22 e reivindicam 14% de reajuste com aumento real

A pauta de reivindicações do setor Químico se soma a de outras tantas categorias pelo país nesta quinta-feira (22) contra a  retirada de direitos, contra o desmonte do serviço público, contra a reforma da Previdência, a suspensão de aposentadorias por invalidez, contra a reforma trabalhista, terceirização e jornada de trabalho de 12 horas, entre tantos ataques que o governo Michel Temer vem promovendo contra os trabalhadores e trabalhadoras brasileiros. Especificamente, os químicos aproveitam a data para reivindicar também 14% de reajuste (o que equivale a 5% de aumento real), R$ 2.000 como piso salarial e Participação nos Lucros e Resultados (PLR) equivalente ao valor de 2 pisos salariais reajustados.

Trabalhadores cruzam os braços. Greve. Paralisação

Dia 22: cruzar os braços na defesa dos direitos e construir a greve geral

As mobilizações do dia 22/09 serão um importante passo na construção da greve geral e da resistência contra a agenda de retrocessos que o governo Temer quer impor. A Intersindical Central da Classe Trabalhadora, em conjunto com diversas outras centrais, entidades e movimentos sociais participa dessa construção unitária com a perspectiva de derrotar o desmonte do serviço público e dos direitos sociais que Temer prometeu ao grande capital e à direita em troca do apoio ao golpe que o levou, ilegitimamente, à presidência do país.

Greve Geral para barrar o desmonte do serviço público e a retirada de direitos

Alçado ao comando do país por meio de um golpe, perpetrado pelo grande capital e suas conexões na mídia, em setores do judiciário, no congresso e nos centros do império, Temer se esforça para mostrar aos donos do dinheiro e do poder de que é capaz de entregar tudo o que prometeu para se viabilizar como “presidente da república”. Por isso, o Fora Temer é uma necessidade que a cada dia vai sendo sentida por amplas camadas da sociedade

Votação de entrega do pré-sal ficará para depois do 1° turno das eleições municipais

Após forte mobilização de movimentos sociais, sindicatos, e principalmente petroleiros, líderes da base governista e da oposição na Câmara dos Deputados chegaram a um acordo para não votar a retirada da obrigatoriedade da Petrobras como operadora única do regime de partilha de produção em áreas do pré-sal na última terça-feira (13). Ficou acertado que o Projeto de Lei 4567/16, será apreciado somente depois do 1° turno das eleições municipais. Havia risco de votação ainda ontem.