fsm

cuba

Entenda a Guerra Híbrida contra Cuba

Neste 11 de julho foram registrados protestos em algumas localidades de Cuba, atos que ganharam repercussão exagerada na mídia corporativa

Conferência Internacional FORA BOLSONARO

Conferência Internacional FORA BOLSONARO atrai mais de 26 mil pessoas

Em defesa da vida a Intersindical – Central da Classe Trabalhadora, FSM, FUTAC, CNTTL, UIS -Transporte e outras entidades realizaram a CONFERÊNCIA INTERNACIONAL FORA BOLSONARO. O evento, dia 7 de setembro de 2020, foi organizado por videoconferência, com a participação de 21 convidados de 15 países das três Américas e da Europa.

FSM se solidariza com a greve geral de 14 de junho | Intersindical

Brasil: FSM se solidariza com a greve geral de 14 de junho

A Federação Sindical Mundial, representando 97 milhões de trabalhadores filiados e filiadas em todo o mundo, expressa plena solidariedade de classe com suas organizações filiadas e com a classe trabalhadora do Brasil, que vai parar todo o pais em 14 de junho com uma greve geral massiva.

Big destaca a importância de sindicatos se filiarem à FSM

Big destaca a importância de sindicatos se filiarem à FSM

Ricardo Saraiva Big, secretário de Relações Internacionais da Intersindical Central da Classe Trabalhadora, conclamou os sindicatos filiados à central a também se filiarem à Federação Sindical Mundial (FSM) para fortalecer o internacionalismo classista sindical.

Está aberto o 2º Congresso da Intersindical Central da Classe Trabalhadora

Está aberto o 2º Congresso da Intersindical Central da Classe Trabalhadora

Três anos depois, a Intersindical Central da Classe Trabalhadora volta a reunir suas lideranças sindicais e populares de todo o país para realizar seu Congresso Nacional. Neste ano, marcado pela consolidação do Golpe de 2016, a ofensiva contra os trabalhadores e o avanço do imperialismo sobre o Brasil e a América Latina, os eixos do Congresso são “Democracia, Direitos e Soberania”.

FSM se solidariza com a greve geral de 14 de junho | Intersindical

Primeiro de maio de 2018: Com internacionalismo e solidariedade!

No Brasil, a Intersindical participará de manifestações unitárias nos Estados e do 1° de Maio Nacional em Curitiba. Em defesa dos direitos sociais e trabalhistas, da soberania nacional, da democracia e por Lula livre. A Federação Sindical Mundial (FSM), em nome de seus mais de 92 milhões de filiados em todo o mundo, saúda este dia a todos os trabalhadores que vivem, trabalham e lutam em todos os cantos do mundo. O Primeiro de Maio foi, é e será um guia para as lutas de ontem e de amanhã. O primeiro de maio deve ser uma mensagem de resistência contra a burguesia, os imperialistas e as políticas de suas alianças internacionais.

FSM: Encontro Latinoamericano e Caribenho de Solidariedade à Venezuela - INTERSINDICAL

Intersindical participa de Encontro Latinoamericano e Caribenho de Solidariedade da FSM à Venezuela

Convocados pela Federação Sindical Mundial, nos reunimos na cidade de Bogotá com 25 organizações sindicais e de aposentados do país anfitrião, junto a delegações de trabalhadores do Brasil, Panamá e Uruguai, com o propósito de debater, adotar e impulsionar ações comuns de solidariedade em favor do povo e do governo revolucionário da República Bolivariana da Venezuela: bastião de luta anti-imperialista em nossa América e fortaleza assediada pelas forças coléricas da contra revolução mundial.

Big e Índio no 17º Congresso Sindical Mundial

Abertura do 17° Congresso Sindical Mundial na África do Sul conta 111 países de todos os continentes

Iniciou nesta quarta-feira o 17º Congresso sindical Mundial que acontece em Durban (África do Sul), entre os dias 5 e 8 de outubro. O secretário-geral da Intersindical Central da Classe Trabalhadora, Edson Carneiro Índio e o secretário de Relações Internacionais, Ricardo Saraiva Big participam do evento que nesta edição tem o mote “Luta, internacionalismo e unidade “.

Viviana Abud, da FSM: a questão de gênero é uma luta política que necessita de formação

Viviana Abud, da FSM: a questão de gênero é uma luta política que necessita de formação

“Como gênero, somos oprimidas, mas enquanto classe trabalhadora, somos exploradas. E é aí que se encontra o ponto inicial da luta que travamos”, analisou a dirigente sindical chilena, Viviana Abud, subcoordenadora de mulheres da América Latina da FSM (Federação Sindical Mundial) e Secretária Geral do SITECO (Sindicato Interempresa de la Gran Minería y Ramas Anexas) na noite desta quarta-feira, 30.