economia

salário mínimo 2021

Mínimo pode ser de 1.087,85 em 2021

Se o número se confirmar, o piso salarial passaria de R$ 1.045 para R$ 1.087,85 em 2021. Em abril, o governo estimou no PLDO (Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias) que o piso salarial em 2021 seria de R$ 1.079, devido à projeção de 3,29% para o INPC à época.

O Auxílio Emergencial deve continuar

No Brasil, por exemplo, o Auxílio Emergencial de R$ 600,00 protegeu a renda de quase 70 milhões de pessoas e as medidas de proteção dos empregos atingiram quase 10 milhões de trabalhadores.

As pressões sobre o emprego

Aumentarão nos próximos meses e ao longo de 2021 as pressões sobre o emprego. As frágeis respostas da economia brasileira mobilizarão uma dinâmica de aumento do desemprego, do desalento e da precarização.

Centrais lançam campanha nacional pelos R$ 600

Centrais lançam campanha nacional pelos R$ 600

O auxílio emergencial de R$ 600,00 garantiu o consumo básico de mais de 60 milhões de brasileiros e brasileiras, ajudou 66 milhões de informais, fomentou a atividade nas empresas e protegeu milhões de empregos.

programa emergencial de geração de emprego e renda

Agenda Legislativa: PL 2667/20 – Entenda o Projeto de Lei do Programa Emergencial de Geração de Emprego e Renda

A Bancada do PSOL apresentou, no dia 14/05, à Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 2667/2020 que cria o Programa Emergencial de Geração de Emprego e Renda com vigência até dezembro deste ano é que tem como objetivo garantir a emprego de a renda de milhões de trabalhadores e trabalhadoras afetadas pelas consequências econômicas da pandemia do COVID-19. 

Sobram recursos! Falta governo!

O Brasil tem muito espaço para aumentar sua dívida pública, em especial pelo lastro que temos com o volume de reservas internacionais acumuladas ao longo das últimas duas décadas.

Articulação Brasileira pela Economia de Francisco e Clara (ABEFC)

Um chamado à união entre as religiões por um mundo melhor

Diante da pandemia da Covid-19, nós conclamamos as diversas comunidades religiosas a se unirem em prol do apoio concreto e imediato aos mais necessitados, e principalmente, a quem menos pode circular, afinal: ‘quem tem fome, tem pressa’

garantir o direito à vida

Emprego, trabalho e renda para garantir o direito à vida

O “GT – Mundos do Trabalho: Reformas”, do CESIT/IE/Unicamp, com a presente nota, traz elementos que contribuam para desnudar a falsa dicotomia entre preservar a vida via isolamento ou salvar a economia, bem como para a elaboração de políticas públicas que assegurem trabalho, renda e o direito à saúde e à vida.

Única saída da crise é o fechamento do câmbio

A única medida razoável que pode ser adotada em face da crise cambial é o fechamento do câmbio. Nenhum dólar das reservas, por nenhuma razão, deve sair do país enquanto a crise durar.

pib não cresce pibinho

PIB não cresce e bancos lucram como nunca

O PIB de 2019 cresceu 1,1%, segundo o IBGE. No mesmo ano os 4 maiores bancos do país aumentam seus lucros em 13%. Não há dúvida que a estagnação econômica é um projeto e não um problema para o governo.

relatório de desenvolvimento humano

Desigualdade cresce no Brasil, afirma PNUD

Relatório de Desenvolvimento Humano (RDH) de 2019 elaborado pelo Programa das Nações Unidades para o Desenvolvimento (PNUD) confirma o que é percebido pela maioria dos brasileiros e brasileiras…

protesto na fiesp

03/02: Em defesa de empregos, centrais fazem PROTESTO NA FIESP

O protesto foi marcado para acontecer na frente da Fiesp por várias razões, principalmente porque o presidente da entidade patronal, Paulo Skaf, tem reforçado seu apoio ao governo de Jair Bolsonaro, exterminador de direitos trabalhistas, de empregos formais, que está arrasando com o serviço público e transformando o Brasil no paraíso dos rentistas.

Desindustrialização: um Brasil de bancos e bois

Em desindustrialização acelerada, o país caminha para a reprimarização e financeirização da sua economia. Segundo estudo o Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi), coordenados pelos economistas Paulo Morceiro (USP) e Joaquim Guilhoto (OCDE), o Brasil registrou a terceira maior desindustrialização entre os 30 países analisados, ficando atrás apenas do Reino Unido e Austrália.

emprego garantido, glauber braga, deputado

Deputado Glauber Braga apresenta projeto de Emprego Garantido

Em entrevista à Intersindical, o Deputado Glauber Braga (PSOL/RJ) apresenta seu projeto de emprego garantido, o Fundo Nacional de Garantia do Emprego (PL 5491/2019).  Segundo o parlamentar “a recessão é um método utilizado para diminuir o poder de negociação da força de trabalho.” Utilizando como referência experiência internacionais o Deputado indica que é necessário quebrar o tabu imposto pela hegemonia neoliberal e reafirmar que o estado tem a função de empregador de última instância.

Desemprego e a economia, o que está em jogo? | Conjuntura em Movimento #11

Nesta semana conversamos com Artur Araújo, consultor da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) para debater a atual situação econômica e o cenário de empregabilidade no país. Como as reformas recentes aprofundam a crise e quais os projetos para geração de empregos que tentam avançar o Congresso?

aumentar a desigualdade, painel eletrônico, câmara dos deputados, votos deputados

A quem interessa aumentar a desigualdade?

O Brasil discute uma reforma da previdência que tende a aumentar desigualdades, embora sua propaganda aluda ao combate de privilégios. O país também se prepara para…

Renda do trabalhador mais pobre segue em queda e ricos já ganham mais que antes da crise

Renda do trabalhador mais pobre segue em queda e ricos já ganham mais que antes da crise

A recessão que o Brasil atravessou entre 2015 e 2016 afetou ricos e pobres, mas passados 3 anos desde o fim da “pior crise do século”, como foi batizada à época, fica claro que os efeitos deletérios desse período foram diferentes para os 2 grupos. Os brasileiros mais abastados já viraram a página das vacas magras. Os pobres, ainda não.

José Luís Oreiro: O Brasil quebrou? Pense de novo

José Luís Oreiro: O Brasil quebrou? Pense de novo

Uma das muitas falácias que se construíram nos últimos anos é que o governo brasileiro estaria sem dinheiro para pagar suas contas, o que explicaria a necessidade de fazer uma reforma da previdência a toque de caixa, do contrário, os servidores da União poderiam ficar sem receber seus salários já em 2020.

Economistas contra o fim da aposentadoria e da previdência pública

Nós, entidades e economistas de diversas formações teóricas e políticas e diferentes especialidades, viemos por meio desse manifesto defender a Previdência Social e seu regime de repartição, nos posicionar contrários à Proposta de Emenda Constitucional 6/2019 (PEC 6).

Por que não falam mais das virtudes liberais na Argentina?

Por que não falam mais das virtudes liberais na Argentina?

Há cerca de três anos, toda a grande mídia do Brasil, e muitos outros “cidadãos de bem”, tanto no Brasil quanto na Argentina, afirmavam peremptoriamente que o país vizinho estava ótimo e ficaria melhor, porque tinham tirado fora um “projeto nacionalista anacrônico” e, enfim, entrado para o reino da modernidade liberal.

DIEESE lança indicador que mede a condição de trabalho no Brasil

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – DIEESE lançou nesta quinta-feira (25) o Índice da Condição do Trabalho – ICT. Este indicador foi desenvolvido pela equipe técnica da instituição e tem como objetivo acompanhar e analisar as condições do mercado de trabalho brasileiro, tendo como base a realidade laboral.

Sem política de valorização, salário mínimo seria de R$572

Sem política de valorização, salário mínimo seria de R$572

O governo Bolsonaro confirmou que vai dar fim à política de valorização do salário mínimo, o que significa reajustes apenas pela inflação acumulada. A principal justificativa do governo é o impacto sobre as contas da Previdência Social.

Pedro Otoni - Crise do Pacto Federativo: a Lei Kandir

Pedro Otoni – Crise do Pacto Federativo: a Lei Kandir

O presente artigo trata do papel da Lei Kandir na interdição do Pacto Federativo. As Dívidas Públicas Estaduais, a Lei Kandir e a Lei de Responsabilidade Fiscal funcionam como as três cabeças da criatura mitológica que guardaria a porta do inferno, um cão chamado Cérbero.

salario-minimo-bolsonaro

Fim da valorização do salário mínimo: 48 milhões de pessoas são duramente atingidas

Segundo o Dieese, sem o repasse da variação do PIB e apenas com a reposição da inflação, como propõe agora Jair Bolsonaro, o valor atual do salário mínimo seria de R$ 573,00. Atualmente, cerca de 48 milhões de pessoas recebem remuneração correspondente ao salário mínimo, como assalariados, aposentados e pensionistas, trabalhadores por conta-própria, domésticos.

A cara da crise: milhares fazem filas em busca por emprego

A cara da crise: milhares fazem filas em busca por emprego

Concentrados no Vale do Anhagabaú, centro da capital, cerca de 15 mil pessoas disputam 6 mil vagas anunciadas no Mutirão do Emprego, promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho da Prefeitura de São Paulo e pelo Sindicato dos Comerciários.

MP 873: novo AI-5 ou factóide pra nos tirar da pauta da aposentadoria e chantagear o movimento?

O governo Bolsonaro editou a Medida Provisória 873 que impede qualquer forma de custeio da atividade sindical no país. Trata-se de flagrante agressão a Constituição de 1988, que em seu artigo 8º, IV, é categórica: “a assembleia geral fixará a contribuição que, em se tratando de categoria profissional, será descontada em folha, para custeio do sistema confederativo da representação sindical respectiva, independentemente da contribuição prevista em lei”.

Desvinculação de Receitas da União, o que é dru, previdência, poema, política economica da maioria,

Desvinculação de Receitas da União: Um rombo sob medida

Com ela, o governo consegue “desvincular” recursos tributários vinculados a determinados gastos, como por exemplo as contribuições sociais (PIS, Cofins, CSLL etc.) vinculadas ao orçamento da seguridade social e que, portanto, só podem ser utilizadas para os gastos com saúde, assistência social e com o Regime Geral de Previdência.

Alesp vai debater corte de recursos no Metrô e CPTM

Audiência pública na Alesp vai debater corte de recursos no Metrô e CPTM

O governo de São Paulo enviou um projeto de lei à Assembleia Legislativa (Alesp) que prevê redução no orçamento para o Metrô e a CPTM em 2019. Os recursos do Metrô devem cair de R$ 2,28 para R$ 2,05 bilhões e, da CPTM, de R$ 3,7 para 3,4 bilhões, cortes de 9,86% e 8,8%, respectivamente.

Petrobras: a raposa no galinheiro | INTERSINDICAL

Petrobras: a raposa no galinheiro

“O primeiro escalão do time do capitão está permeado de quadros que exibem uma relação íntima com o financismo internacional

Neoliberalismo, distopias e Bolsonaro

Por Leda Paulani | Imagem: Alex Andreev | em Outras Palavras A eleição de Jair Bolsonaro para a presidência da república do Brasil

Embraer e Boeing: o que está em jogo? | Intersindical

Embraer e Boeing: o que está em jogo?

O Departamento de Estudos Intersindicais de Estatística e Estudos Econômicos (DIEESE) criticou a falta de transparência e mostrou preocupação com as consequências do possível acordo entre Embraer e Boeing para a indústria de aviação brasileira e a soberania nacional.

A política salarial nos programas dos candidatos à Presidência

O processo eleitoral pelo qual passa o Brasil de hoje assume duas marcas fundamentais. Por um lado, tornou-se uma fábrica de mentiras, pelas denominadas “fake news”, que junto com um esquema forte de comunicação digital (e ao que tudo indica, também ilegal – ver denúncia aqui) levou o candidato Jair Bolsonaro a quase ganhar as eleições no primeiro turno.

Vote (e lute) CONTRA OS JUROS ALTOS E A EXTORSÃO DOS BANCOS!

Vote (e lute) CONTRA OS JUROS ALTOS E A EXTORSÃO DOS BANCOS!

A maioria do povo brasileiro sofre os efeitos perversos da atuação dos bancos e do capital financeiro na economia. Um exemplo é a taxa de juros praticada no país, que funciona como um Robin Hood ao contrário, pois tira dos pobres e da classe média para engordar as fortunas de banqueiros, grandes empresários e rentistas.

Vote (e lute!) CONTRA O AUMENTO NO GÁS DE COZINHA!

Segundo o IBGE, ao longo do ano passado, 1,2 milhão de famílias brasileiras passaram a cozinhar com lenha e carvão. Isso acontece devido à mudança na política de preços da Petrobras, que encareceu o botijão de gás em quase 20%, na média nacional.

Paulo Kliass: A economia e saídas para crise | INTERSINDICAL

Paulo Kliass: A economia e saídas para crise

O avanço do calendário eleitoral e a necessidade de os partidos cumprirem algumas exigências da legislação faz com que as candidaturas comecem a ter um formato mais próximo daquilo que deverá ser apresentado aos eleitores como alternativas na urna no dia 7 de outubro.

10 DE AGOSTO: Basta de juros altos! Chega de extorsão! | INTERSINDICAL

10 DE AGOSTO: Basta de juros altos! Chega de extorsão!

A Maioria do povo brasileiro sofre os efeitos perversos da atuação dos bancos e do capital financeiro na economia. Um exemplo é a taxa de juros praticada no país, que funciona como um Robin Hood ao contrário, pois tira dos pobres e da classe média para engordar as fortunas de banqueiros, grandes empresários e rentistas.

Na pressão: servidores derrubam congelamento salarial

Na pressão: servidores derrubam congelamento salarial

O serviço público ganhou um tento. Por pressão do funcionalismo federal, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019 aprovada nesta quarta (11) pelo Congresso Nacional não impede novos concursos nem impõe congelamento dos salários dos servidores públicos, como queria o ilegítimo Temer.

CUSTO DA CESTA BÁSICA sobe de novo | INTERSINDICAL

Custo da cesta básica sobe de novo

A Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos (PNCBA) é um levantamento contínuo dos preços de um conjunto de produtos alimentícios considerados essenciais.

PETROBRAS: a disputa do petróleo | INTERSINDICAL

Petrobras: a disputa do petróleo

A disputa pelo controle da Petrobras e das reservas do Pré-sal nos últimos dias indica que a política energética está no centro do conflito político no país. O controle do petróleo brasileiro está em jogo, uma partida que se dá em em diferentes cenários (ou campos), no Congresso, no STF, na imprensa, na Bolsa de Valores e na sociedade em geral. Apresentamos a seguir a situação em alguns deles.

Balanço das negociações dos reajustes salariais de 2017

Balanço das negociações dos reajustes salariais de 2017

O Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), em sua Nota Técnica número 86/junho de 2018, apresenta os resultados da pesquisa sobre o balanço anual dos reajustes salariais realizado pelo Sistema de Acompanhamento de Salários (SAS-DIEESE).

Nota de apoio da Intersindical à greve dos Petroleiros

A Intersindical Central da Classe Trabalhadora vem manisfestar seu apoio a greve de advertência de 72 horas anunciada pelos petroleiros a partir das meia noite de quarta-feira (30/05). A central compreende que é o momento de produzir a unidade da classe trabalhadora em defesa da Petrobras, isso passa por unificar as lutas entre os trabalhadores da produção, do transporte e os consumidores de combustíveis.

Os três golpes na soberania energética

A agenda de desmonte do setor energético se configura com o núcleo do interesse do consórcio golpista. Duas operações recentes do Governo Federal indicam esta afirmação, as manobras relativas a entrega da Petrobras e da Eletrobras.

Comissão aprova movimentação do FGTS em pedido de demissão

Comissão aprova movimentação do FGTS em pedido de demissão

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado em reunião realizada, nesta quarta-feira (11), aprovou o PLS 392/16, da senadora Rose de Freitas (MDB-ES), que altera o inciso I do artigo 20 da Lei 8.036, de 11 de maio de 1990, para permitir a movimentação da conta vinculada do trabalhador no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) na hipótese de pedido de demissão.

Manifesto dos trabalhadores eletricitários por um setor elétrico público, eficiente e para todos

Manifesto dos trabalhadores eletricitários por um setor elétrico público, eficiente e para todos

A reforma neoliberal da era FHC teve por base dois processos gêmeos, a privatização e a mercantilização. A privatização pretendia acabar com monopólios estatais no setor, elevar a eficiência das empresas e incentivar os investimentos privados. Já a mercantilização era complementar à privatização e, com a energia sendo tratada como uma mercadoria qualquer, os novos agentes privados concorreriam entre si, levando ao barateamento do preço da energia para os consumidores.

Campanha em defesa do Setor Elétrico Público - INTERSINDICAL

Campanha em defesa do Setor Elétrico Público

Contra a privatização do setor elétrico! privatizar setor elétrico e ao mesmo tempo, ampliar a autonomia da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), significa entregar para o controle privado o comado do insumo universal da vida moderna e da atividade econômica: a energia elétrica.

Privatização da Celg e o desmonte do Estado: saiba o que está em jogo

Privatização da Celg e o desmonte do Estado

Em 15 de fevereiro de 2018 completou-se um ano da incorporação (efetivação da venda, privatização) da Celg pela multinacional Enel (maior companhia de energia elétrica da Itália, quinta maior companhia de energia do mundo e o estado italiano é o maior acionista da empresa com 21,10%).

A culpa da informalidade é do 'alto' salário mínimo, diz Banco Mundial

A culpa da informalidade é do ‘alto’ salário mínimo, diz Banco Mundial

Parece uma fakenews se não fosse o relatório oficial de uma instituição internacional. O Banco Mundial publicou no último dia 07 (março) estudo que indica o “alto” salário mínimo brasileiro como causa do aumento da informalidade, na mesma oportunidade indica que o salário mínimo brasileiro deveria ser reajustado conforme a produtividade do trabalho.

Mulheres perdem mais postos de trabalho formal

Mulheres perdem mais postos de trabalho formal

Segundo estudo realizado pelo DIEESE, com dados do Caged, as mulheres perderam 42,5 empregos formais no de 2017. No ano de 2017 foram fechados 20,8 mil postos de trabalho no Brasil, um número que ainda não reflete as mudanças negativas da formalização implementadas pela reforma trabalhistas, que só entrou em vigor em novembro do ano passado.

O golpe piorou a vida do povo

Golpe piorou a vida do povo

A vida do povo piorou após Temer dar o golpe contra a classe trabalhadora. Mais de 12 milhões de desempregados, outros 37 milhões vivendo no subemprego, muitos só no bico, sem nenhum direito trabalhista. Quem ainda tem emprego, recebe salário arrochado, insuficiente pra viver com dignidade.

Temer quer o fim da aposentadoria pra entregar previdência pros bancos!

Temer quer o fim da aposentadoria pra entregar previdência pros bancos!

19/02: Dia de Luta com greves, paralisações e manifestações em todo o país. Temer, banqueiros e a mídia jogam sujo pra acabar com seu direito a aposentadoria. Querem desmontar a previdência e entregá-la aos bancos. E já marcaram até a data pra tentar enterrar sua aposentadoria: dia 28/02, quando ameaçam votar a deforma da previdência.

PPI é um golpe

Nota técnica do DIEESE desmascara o Governo Temer: o PPI é um golpe

O Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos – DIEESE, em sua Nota Técnica n° 189, lançada em janeiro de 2018, coloca abaixo os argumentos de DESESTATIZAÇÃO propostos pelo Programa de Parcerias do Investimentos – PPI, lançado em 13/09/2016 pelo Governo Temer.

Dívida pública e gastos com juros

Dívida pública e gastos com juros

O ano começou com algumas notícias que os responsáveis pela área de economia dos grandes meios de comunicação aguardavam com bastante ansiedade. Afinal de contas, apresenta-se como árdua e inglória a tarefa de defender e elogiar um governo cuja popularidade anda tão baixa, que chega até mesmo a se confundir com a margem de erro das pesquisas de opinião.