ditadura civil-miltar

DITADURA NUNCA MAIS! CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DA VIGÍLIA PELA DEMOCRACIA.

Os Movimentos e entidades de Perus e região vem a público solicitar o apoio para assinar o manifesto pela permanência das ossadas da vala no CAAF – Centro de Antropologia e Arquivologia Florence.

O movimento sindical brasileiro repudia as declarações ameaçadoras do líder do governo Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), em que advoga um novo AI-5 para reprimir as forças do campo democrático, popular e as lutas sociais. A fala covarde e irresponsável do filho do Presidente da República é mais uma “cortina de fumaça” utilizada pra tentar abafar as relações nada republicanas da família Bolsonaro com as milícias.

Tribunal Regional Federal julga recurso de decisão que rejeitou denúncia criminal do MPF contra agentes acusados de torturar e matar jornalista

O sujeito que ocupa a cadeira da Presidência da República mais uma vez fez apologia à ditadura militar, à tortura e ao assassinato de dissidentes políticos. Para atacar o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Bolsonaro disse que sabia como havia morrido seu pai, desaparecido pelo regime militar em 1974.

Repórter Sindical entrevistou José Luiz Del Roio sobre o Golpe de 64 e seus impactos na vida dos trabalhadores.

Ato foi ‘golpe dentro do golpe’. Congresso Nacional foi fechado. Mídia passou a ter censura prévia. Reuniões políticas: só as autorizadas O AI-5 (Ato Institucional nº5) completa 50 anos nesta 5ª feira (13.dez.2018). Em 1968, o Conselho de Segurança Nacional aprovou a norma que deu início ao período mais duro da ditadura militar brasileira –considerado 1 “golpe dentro do golpe”. …

AI-5 completa 50 anos à véspera de outro presidente militar tomar posse Leia mais »

Nós, familiares de mortos e desaparecidos políticos, defensores de direitos humanos, organizações e entidades abaixo-assinadas, nos solidarizamos com Amelinha Teles, ex-presa política e histórica defensora de direitos humanos e sua filha Janaína Teles, historiadora e defensora de direitos humanos. Ambas vêm sendo alvo de uma onda de ataques nas redes sociais.

Símbolo do novo pacto social após a queda da ditadura, a Carta consagrou direitos sociais e trabalhistas do povo brasileiro. Mais que isso, significou o desejo de democracia e liberdades políticas do povo brasileiro.

“Considerado desastroso para o país um 13º mês de salário”. Esta foi a manchete de capa do jornal O Globo em 26 de abril de 1962 em um dos últimos atos de desespero da família Marinho e do grande empresariado contra a gratificação de natal ao trabalhador, que seria instituída pelo presidente João Goulart três meses depois.

Dirigentes Sindicais e diversos Lutadores Sociais entregaram na noite desta segunda-feira (24) um manifesto de apoio ao candidato à Presidência da República, Guilherme Boulos.

“1968 e os trabalhadores” é o nome da revista que o Centro de Memória Sindical vai lançar na próxima quinta-feira (30), às 17h30, no Hotel Leques Brasil, no bairro da Liberdade, em São Paulo.

O Instituto Zequinha Barreto e o Sindicato dos Químicos Unificados de Campinas, Osasco e região realizarão uma projeção do filme ‘Passaporte Para Osasco’, sobre a greve do metalúrgicos de Osasco, em 1968

24/03: 5° Ato Unificado Ditadura Nunca Mais! Pela transformação das dependências do antigo DOI-CODI/SP em lugar de memória. Lá, foi o maior centro de tortura e extermínio da Ditadura Militar em todo o Brasil. Por aquele lugar passaram pelo menos 5.000 pessoas que sofreram as piores aberrações.

Para o Comitê Paulista pela Memória, Verdade e Justiça, a autorização para o desfile agride o Estado de Direito e possibilita a disseminação do ódio.

O Grupo de Trabalho da Comissão da Verdade no Ministério do Trabalho criado para investigar as violações no período da ditadura civil-militar foi suspenso na data de hoje, 05 de outubro, curiosamente, no dia em que completa vinte e nove anos da promulgação da Constituição de 1988, marco da redemocratização do país

O documentário ‘Cúmplices? A Volks e a ditadura militar brasileira’ sobre a cooperação da Volkswagen com os militares será exibido na Câmara Municipal de São Paulo nesta quarta-feira (9), às 18h. A exibição contará com a presença de trabalhadores lutadores da Volks que têm se reunido regularmente para discutir o assunto e encaminhar medidas contra a empresa. Haverá um debate e esclarecimentos.

Em dezembro de 2014, as Centrais Sindicais exigiram a investigação das intervenções do Ministério do Trabalho nas entidades sindicais e do papel do SNI na vigilância e repressão aos tralhadores.

A CGTP-IN condena a violenta repressão dos manifestantes do movimento Ocupe Brasília, quando estes se dirigiam pacificamente para o Congresso Nacional na capital brasileira convocados pelas centrais sindicais deste país e pelo movimento popular.

O Fórum de trabalhadores e trabalhadoras por verdade justiça e reparação convida: O Ministério do Trabalho (MTE) cumpriu papel fundamental na vigilância e repressão dos trabalhadores durante a ditadura civil militar brasileira. Diversas entidades combativas sofreram intervenções, e sindicalistas considerados subversivos foram perseguidos.

Michel Temer ignora a voz das ruas, prova seu pacto de fidelidade com os golpistas, e sanciona a lei da terceirização irrestrita no ambiente público e privado.

Em artigo publicado na quinta-feira passada (15) no jornal O Estado de S. Paulo, um dos mais influentes militares das gerações que atuaram durante a ditadura militar, o general da reserva Rômulo Bini Pereira, ex-chefe do Estado Maior do ministério da Defesa, admite a intervenção militar como saída para a crise política que envolve os três Poderes da República.

Gostaríamos de convidá-los a serem participantes ativos deste momento de encontro. Desde o término da Comissão Nacional da Verdade no fim de 2014 insistimos na necessidade de dar continuidade aos trabalhos de verdade, memória, justiça e reparação. Acreditamos que uma das frentes imprescindíveis para o seguimento desta busca é a investigação e a responsabilização das …

Os Trabalhadores, o Legado da CNV e a Campanha Reparar Já!: o caso Volkswagen como ponto de partida Leia mais »

No último dia 19 de maio aconteceu o debate “A luta das mulheres contra a ditadura e as continuidades da repressão”, organizado pelo coletivo de Mulheres da Intersindical Central da Classe Trabalhadora.

A Intersindical Central da Classe Trabalhadora convida todas e todos para participar do debate ‘A luta das mulheres contra a ditadura e as continuidades da repressão’.

Paula Coradi* “A história se repete, a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa.” Karl Marx, Dezoito Brumário de Louis Bonaparte.   O Brasil hoje vive uma grave crise política. A direita oligárquica e reacionária marcha a largos passos, rompendo pactos que fundamentam o Estado Democrático de Direito. Isso gera no país um …

Paula Coradi | O tempo não para Leia mais »

Renata Hummel  “De madrugada no outro dia, bateram à minha na porta . Eram soldados com metralhadoras, invadiram a casa, mexeram em tudo e me levaram para o Dops de Niterói. Meu cachorro ficou preso dentro de casa, escondido debaixo da mesa como se soubesse o perigo de aparecer. Um homem me levou para o Rio. Estive no inferno por 22 dias.                                       (…) Fiquei em cima de uma sala de tortura ou coisa parecida, eu ouvia barulho de todo jeito, pareciam cabeçasbatendo nas paredes. A luz da cela ficava …

“Eu estive no inferno durante 22 dias”. Relato comovente de uma mãe de presos políticos Leia mais »

INTERSINDICAL Central da Classe Trabalhadora A velha militância de esquerda e ativistas de movimentos sociais se reuniram nesta quarta-feira (4) ao redor do monumento que marca o local onde Carlos Marighella, um dos principais líderes da resistência contra o conservadorismo e a ditadura militar, foi morto há 46 anos. A companheira de Marighella, Clara Charf, …

Carlos Marighella, um símbolo de luta e resistência socialista Leia mais »

Fórum de Trabalhadores por Verdade, Justiça e Reparação Há cerca de alguns anos, a criação e a atuação da Comissão Nacional da Verdade e das Comissões Estaduais e Municipais fomentou um espaço político de aglutinação entre diversos setores da sociedade brasileira e de movimentos sociais prioritariamente em torno da luta por memória e verdade. Os …

Fórum de trabalhadores promove ato por memória, justiça e reparação Leia mais »

A TV Globo festejará os seus 50 anos de existência no dia 26 de abril. Serão promovidos megaeventos e lançados vários produtos comemorativos. No mesmo período, porém, muita gente está disposta a promover a “descomemoração” do aniversário do império global, um ato de repúdio ao papel nocivo desse grupo de mídia na história do país. …

Manifesto – 50 anos da TV Globo: vamos DEScomemorar! Leia mais »

Clara Charf fala sobre dificuldades que viveu na clandestinidade ao lado de Marighella   Para lembrar o golpe militar de 1964, que completa 51 anos nesta quarta-feira (1º), quando o então presidente João Goulart foi deposto, a militante política Clara Charf deu um depoimento ao R7 sobre as dificuldades que enfrentou ao lado do companheiro …

Clara Charf: militante sobreviveu graças à solidariedade das pessoas Leia mais »

Carta aberta do Fórum de Trabalhadores e Trabalhadoras por Verdade, Justiça e Reparação repudiando a não responsabilização do empresariado colaborador da Ditadura Civil-Militar. Para cumprir as tarefas de justiça e reparação é preciso responsabilizar o empresariado.