brigadas populares

A conquista é mais um símbolo de vida, luta, arte e resistência, inspirada em dona Elizia, figura importante que esteve a frente de muitas transformações sociais na comunidade A Favela da Rocinha tem um novo e excelente espaço de atuação e luta para suas demandas. Foi inaugurado no último dia 17 de abril o Espaço …

Rocinha ganha Centro Comunal para atender suas demandas sociais Leia mais »

O biênio de 2020-2021 tem sido o mais difícil das vidas de milhões de brasileiras e brasileiros. Em todo o país, mais de 27 milhões de pessoas vivem hoje na extrema pobreza, com menos de 246 reais por mês, um número que cresce descontroladamente em meio à maior crise de saúde pública da história do …

Belo Horizonte precisa de RENDA BÁSICA EMERGENCIAL MUNICIPAL! Leia mais »

As Brigadas Populares e as famílias da ocupação Moisés vem a público repudiar a ordem de reintegração de posse emitida pelo Judiciário fluminense e dizer que não aceitarão um desejo ilegal e sem alternativa digna às famílias sem-teto.

Neste final de semana tivemos um intercâmbio de comunas que contou com a participação de companheiros de diversos estados do Brasil.

Nos dias 22 e 23 de outubro as Ocupações Vila Canaã (Barreira do Vasco) e Moisés (Centro/Lapa) foram vítimas de invasão e abuso policial, respectivamente. A Polícia Militar tem tentado intimidar as ocupações urbanas organizadas pelas Brigadas Populares, através de ameaças e batidas policiais.

Leia a carta em apoio à decisão da atual presidente do CODEMA de ANULAR a reunião irregular que aprovou a instalação da mineradora Herculano em Serro-MG, e deixe sua assinatura! Vamos juntos impedir que a mineração predatória avance contra mais esse importante território em Minas Gerais!

A Ocupação Novo Rumo, localizada na Vila Gomes, no município de São Paulo, está sob risco de despejo.

Militante das Brigadas Populares e da Intersindical, a vereadora de Belo Horizonte, Bella Gonçalves (PSOL), fez questão de ressaltar que as pautas da esquerda são únicas.

Andreia de Jesus, militante da Intersindical, das Brigadas Populares e primeira mulher negra eleita para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais, fez uma breve saudação aos delegados e observadores do 2º Congresso Nacional da Intersindical reforçando a importância do trabalho de base.

Vitória! Na última sexta-feira (14/12), no Grupo de Trabalho formado pela Secretaria da Casa Civil do Rio de Janeiro com a participação das lideranças das comunidades e demais entidades da sociedade civil, foram aprovados o Relatório Final e o Plano de Ação para a regularização da Gringolândia e Povo Sem Medo. Esses documentos prevêem: 1) …

Grupo De Trabalho das comunidades Povo sem Medo e Gringolândia aprova Plano de Ação para regularização e urbanização das comunidades Leia mais »

Na manhã do dia 14 de junho, centenas de moradores da Ocupação Povo Sem Medo e da comunidade da Gringolândia, na Pavuna, organizados pelas Brigadas Populares e pela Associação de Moradores da FICAP, lotaram o Plenário e as galerias da Câmara Municipal do Rio de Janeiro para uma Audiência Pública da Comissão Especial de Moradia que tinha como finalidade debater a regularização das duas comunidades.

Desde o momento do golpe que destitui da presidência uma presidenta legitimamente eleita sem que motivos plausíveis fossem comprovados, juntamente com [email protected] [email protected] [email protected] deste país temos chamado a atenção para o projeto de desimpedimento que aqui se alastra, principalmente na Amazônia, para que grupos internacionais possam se instalarem ou ampliarem suas instalações necessárias à uma exacerbada expropriação.

A Auditora Federal da CGU e militante da Intersindical Central da Classe Trabalhadora​ e das Brigadas Populares​, Anjuli Tostes, mandou o recado após a reunião das minorias, na Câmara dos Deputados​, que ocorreu na tarde desta terça-feira (28).

Nos últimos dias 9 e 11 de novembro o ANDES (Associação Nacional dos Docentes do Ensino Superior) promoveu uma série de debates, no Rio de Janeiro, sobre a reorganização da classe trabalhadora.

Na manhã de 9 de Outubro, dezenas de famílias, caminhantes da corda bamba entre a miséria e a Cruz do aluguel, tomaram a decisão que talvez seja a mais importante de suas vidas: ocupar um galpão abandonado para destinar-lhe à finalidade de moradia na Pavuna, Zona Norte do Rio de Janeiro.

Na última noite (21), a sede das Brigadas Populares em Belo Horizonte (MG) foi INVADIDA. Além da destruição de várias cômodos, objetos, não levaram qualquer objeto de valor, mas sim, documentos internos de nossa organização – todos eles, trancados em armários cadeados que foram brutalmente arrombados.

No próximo dia 28 de agosto, segunda-feira, será lançada em Belo Horizonte (MG), a Frente Parlamentar em Defesa da Soberania Nacional. A atividade contará com a presença do presidente da Frente, Senador Roberto Requião, e o seu Secretário Geral, o deputado Patrus Ananias.

Vamos! Sem medo de mudar o Brasil – Diante dos ataques reiterados que o povo brasileiro vêm sofrendo do grande capital, com a entrega da soberania nacional, a perda de direitos sociais e conquistas históricas, a Frente Povo Sem Medo, formada por diversas articulações de esquerda, está promovendo um ciclo de debates para repensar o Brasil.  

Água e terra são vida. Os poderosos tentam nos privar das fontes de vida para manter o povo submisso. Que seja 100% pública a Copasa.

Conjuntura com Pastel: Por UMA VIDA Vivível: Não é palestra, é conversa, é um boteco com política, é a conjuntura com pastel!

Frente Povo Sem Medo faz protesto no prédio de Beto Mansur (PRB-SP), em Santos/SP.

45 famílias de pescadores da Comunidade de Canabrava, em Buritizeiros, no norte de Minas Gerais estão sendo ameaçadas neste momento por jagunços de fazendeiros e PM. Há risco iminente de conflito!

Confira o parecer-protesto elaborado pelo núcleo jurídico das Brigadas Populares contra os desejos administrativos realizados pela Prefeitura de Belo Horizonte. As Brigadas Populares opinam pela imoralidade, ilegalidade e inconstitucionalidade dessa prática!

O Congresso Nacional mais uma vez é o centro de graves retrocessos em relação à garantia dos direitos fundamentais após um andamento extremamente preocupante do PL 5.065/2016. Este projeto de lei tem como objetivo alterar a Lei Antiterrorismo, aprovada sob amplas críticas da sociedade civil em março de 2016.

A Frente Parlamentar Mista em Defesa da Soberania Nacional (formada por deputados e senadores contrários ao entreguismo do país) será lançada nesta quarta-feira (21), às 15h, no Plenário 2 da Câmara dos Deputados. O economista Sammer Siman, da Intersindical Central da Classe Trabalhadora e das Brigadas Populares, acompanha e nos representará no evento.

UNIR A RESISTÊNCIA: REMOBILIZAR A ESPERANÇA. Esse é o mote que juntará os lutadores e as lutadoras Edson Carneiro Indio, Sill Rosa, Cezar Figueiredo e Douglas Belchior num debate em Belo Horizonte.

A jurista Anjuli Tostes Faria, da Intersindical Central da Classe Trabalhadora e das Brigadas Populares, se soma a outros profissionais, estudantes e juristas nesta quarta-feira (14) às 14h, no Senado Federal, para protocolar um pedido de afastamento do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Haverá coletiva de imprensa na sala 6, Ala Nilo Coelho.

A PBH Ativos S/A objetiva o lucro acima de tudo e foi criada sob a forma de uma Sociedade Anônima, incluindo a participação não apenas de empresas do município, como a BHTRANS e a PRODABEL, como sócias-minoritárias, mas também de pessoas físicas.

As diretorias estaduais do Espírito Santo da CUT, da Intersindical Central da Classe Trabalhadora, da CSP/CONLUTAS e o Sindicato dos Servidores Públicos do ES manifestam total apoio à Ocupação Chico Prego, localizada no Ed. Maria Clara da Silva, e repúdio a decisão judicial de 2ª instância que deferiu pedido liminar de reintegração de posse do prédio em questão.

Mais de 100 famílias da Ocupação Maria Guerreira, localizada no bairro Copacabana em Belo Horizonte, estão ameaçadas de despejo por uma decisão horrorosa do Juiz da 3ª Vara dos feitos da Fazenda Pública Municipal que, sem observar os direitos fundamentais e o princípio da dignidade humana, estipula um prazo de 72 horas para os moradores saírem de suas casas, sem apresentar qualquer alternativa de moradia e ainda prevê multa para o Estado caso este opte pela via democrática e justa do diálogo e negociação.

Em Belo Horizonte (MG), cerca de 70 mil trabalhadores realizaram uma ampla manifestação formada pela Intersindical, Brigadas Populares, as Frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular, entre outras entidades sindicais e de movimentos sociais.

Nós somos moradores das ocupações Nelson Mandela, Vila Paula, Itayu, Joana D`Arc e Capadócia, aqui de Campinas. Nesse dia 9 março, saímos das ocupações de madrugada e ocupamos o largo do Rosário, no centro de Campinas. Somos mulheres, homens, idosos, estudantes, vendedores, empregados domésticos, eletricistas, enfim, trabalhadores e trabalhadoras que decidiram ocupar o centro da cidade para exigir apenas uma coisa: nosso direito à moradia! Um direito negado constantemente pelo poder público.

Sufocados pela política econômica de Paulo Hartung, que concede mais de 4,5 bilhões de reais em isenções fiscais inconstitucionais a grandes empresas, enquanto corta do orçamento recursos destinados à serviços básicos, como saúde e educação, além de arrochar as condições de trabalho do funcionalismo público tendo como justificativa a falsa necessidade de ajuste fiscal sem limites para o Estado, desde sábado (04/02) policiais militares do ES, suas mulheres e demais familiares iniciaram um movimento por melhores condições de trabalho para a categoria, impedindo o policiamento ostensivo da PM em todas as regiões do Espírito Santo. Na prática, trata-se de uma grande articulação grevista com as seguintes demandas: o reajuste salarial de 43% (a polícia militar do ES tem o salário mais baixo do país e está sem revisão salarial há mais de sete anos), a criação da perspectiva de carreira, o auxílio-alimentação, o plano de saúde, o auxílio-periculosidade/insalubridade e o adicional noturno. Reivindicações mínimas e que qualquer categoria do funcionalismo público tem pleno direito.

A Intersindical – Central da Classe Trabalhadora, assume seu papel de – mais do que lutar por interesses específicos da classe – ajudar na conformação de um novo antagonista social e político no Brasil, forjado por uma classe trabalhadora que está no campo, na cidade, nas fábricas, ocupações, nas favelas e em todo lugar em que o trabalho se coloca como um aspecto indispensável da vida.

Será realizado por 20 desembargadores que compõem o Órgão Especial do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, o julgamento do processo judicial que decide o futuro das 8 mil famílias (cerca de 30.000 pessoas) que compõem as três ocupações da Izidóra – Rosa Leão, Esperança e Vitória – que, em 3,6 anos de luta já construíram mais de 5.000 casas de alvenaria e são comunidades em franco processo de consolidação.

“Nota pública de denúncia e de clamor por sensatez” emitida nesta manhã pelas Brigadas Populares de Minas Gerais Dona Efigênia, durante vigília, nessa noite fria de Belo Horizonte, MG, clama para que as 200 famílias das Ocupações Maria Vitória e Maria Guerreira, no bairro Copacabana (rua Blumenau, próximo aos bairros Santa Amélia e São João …

PM de MG despejou na manhã desta segunda-feira cerca de 200 famílias das Ocupações Maria Vitória e Maria Guerreira, em Belo Horizonte Leia mais »