fbpx

Reunião da Direção Nacional recebe Ramon Cardona, coordenador da Federação Sindical Mundial

INTERSINDICAL Central da Classe Trabalhadora

O coordenador da Federação Sindical Mundial, Ramon Cardona, esteve nesta sexta para o inicio da Reunião da Direção Nacional da INTERSINDICAL que acontece até domingo em Campinas.

A direção da central debateu neste primeiro dia com o companheiro Ramon as posições da FSM na atualidade, a luta contra o grande capital, desafios do movimento classista diante da crise internacional, a importância da luta sindical com a juventude entre outras demandas que estão colocadas para a classe trabalhadora.

Ramon iniciou sua fala lembrando que os 70 anos da FSM serão comemorados este ano em São Paulo. E enfatizou que a FSM está disposta a levar a luta classista em toda a América Latina e no mundo.

Na sequencia, em uma leitura do movimento sindical mundial alertou que um dos motivos do fascismo ter avançado na Europa foi justamente a falta de unidade do movimento em nível mundial.

Leia também:
Nota: Liberdade imediata à vice-presidenta da Federação Sindical Mundial
[Vídeo] Intersindical e a Federação Sindical Mundial

Durante as intervenções dos presentes Ramon ainda tratou de assuntos diversos como a referência dos valores socialistas, como construir e resignificar a luta na atual conjuntura e cenário sindical cubano.

Nos próximos dois dias a direção da INTERSINDICAL ainda debaterá desde a conjuntura até elaborar um novo plano de lutas para o próximo período. No sábado a reunião contará com a participação do MTST e o professor Dari Krein, da Unicamp / Cesit.

Sábabo (28/02):

– Exposição de professor Dari Krein, da Unicamp / Cesit;

– conjuntura nacional;

– os desafios dos trabalhadores e do movimento social;

– a construção da unidade com os aliados nas lutas da classe contra os ataques aos direitos (com as MPs 664 e 665, a luta contra a terceirização, a luta contra a terceirização e demissões);

– a defesa das reformas populares;

– os ataques preparados pelos governos e congresso nacional;

– apresentação da Frente por Reformas Populares com participação do MTST.

– plano de ação para o próximo período;

– luta contra a terceirização;

– formação política e preparação de materiais.

No domingo (3º dia) as pautas serão:

– encontros e congressos estaduais e regionais;

– planejamento;

– eleições sindicais.

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail

*

Top