Rei da Soja quer aprovar jornada de até 12 horas para trabalhadores rurais

Rei da Soja quer aprovar jornada de até 12 horas para trabalhadores rurais

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

O senador Blairo Maggi (PR-MT), que neste ano apareceu pela primeira vez na lista de bilionários da revista Forbes com uma fortuna de US$ 1,2 bilhão, apresenta parecer favorável para o aumento da jornada de trabalho no campo

A Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), do Senado Federal, aprovou na última quinta-feira (10), o Projeto de Lei do Senado (PLS) 627/2015, que admite a prorrogação da jornada de trabalho dos trabalhadores do campo de 2 a 4 (quatro) horas extraordinárias, mediante previsão em convenção ou acordo coletivo. A matéria segue para a Comissão de Assuntos Sociais.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

O relator da matéria na comissão colegiado, senador Blairo Maggi (PR-MT), apresentou parecer favorável à proposta do colega e senador José Medeiros (PPS-MT) de flexibilizar a carga horária laboral no campo, e conseguiu a aprovação das 4 horas extras diárias em “momentos críticos da agricultura, mediante convenção ou acordo coletivo para atender aos interesses do empregador e do empregado”.

Vale lembrar que este ano, o senador e empresário do setor do agronegócio foi apontado como o 45º mais rico do Brasil e o 1.607º mais rico do mundo, com uma fortuna de US$ 1,2 bilhão, segundo a prevista americana Forbes, que publica um ranking anual dos milionários.

Filho do magnata da soja André Maggi, o senador não é o único de sua família a estrear na lista. Também aparecem sua mãe, Lucia Maggi, a irmã, Marli Pissollo, e os cunhados Itamar Locks e Hugo Ribeiro. O grupo André Maggi, do qual o senador detém participação de 16%, faturou US$ 3 bilhões em 2012. A soma das fortunas dos quatro membros do clã é de US$ 5,7 bilhões segundo a Forbes.

Enquanto isso o piso salarial de oito horas de um trabalhador rural no Mato Grosso, onde os Maggi tem pelo menos 252,3 mil hectares de terra, é de R$ 785 a R$ 867, a depender da atividade.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Manifestação contra a #PEC32
Manifestação contra a #PEC32
#7SForaBolsonaro
#7SForaBolsonaro
Raul Campos, trabalhador da #PROGUARU, no 7S Fora Bolsonaro!
Raul Campos, trabalhador da #PROGUARU, no 7S Fora Bolsonaro!
Inscreva-se
Notificar de
guest
14 Comentários
Mais antigos
Mais recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Jacide
Jacide
5 anos atrás

“Pimenta nos olhos dos outros é refresco”.

Elizabeth GL
Elizabeth GL
5 anos atrás

É provavel que aumente só a jornada.Voltemos aos primordios Grande Magnata! Grande Capitalista! Grande FDP!

edson tadeu
edson tadeu
5 anos atrás

MANDA ESSE FDP APROVAR ESCRAVIDAO PARA A PQP.

AILTON DOS SANTOS
AILTON DOS SANTOS
5 anos atrás

ISSO É CONVERSA FIADA DE QUE VAI BENEFICIAR O EMPREGADO QUE GANHA UMA MISÉRIA E QUE COM A CAGA HORÁRIA AUMENTADA EM 04 HORAS VÃO ESTAR MAIS CANSADOS E POR UMA MISÉRIA A MAIS QUEM VAI GANHAR É O EMPREGADOR SAFADO QUE VAI MAIS EM TROCA DA MISÉRIA DOS EMPREGADOS.

ALCIONE ANTUNES DA SILVA
ALCIONE ANTUNES DA SILVA
5 anos atrás

Esses são os deputados a serviço do capital. Se tem mais trabalho, contrate mais gente, pague melhor. Trabalhar é ótimo, mas o descanço é necessário. O trabalho no campo hoje em dia, com milhares e ótimas maquinas, em uma fazenda muito grande já se reduz a apenas uma duzia de pessoas, ainda querem aumentar a carga horária para contratar menos ainda…Acordo coletivo? babaquice! que chance tem um empregado frente ao único patrão que lhe pode oferecer um empreguinho? Jovem do campo, estude! essa sim, é a única forma de sair desta dependência de ter que aceitar qualquer migalha para sustentar a sua família e não morrer de fome.

Luis Jailson Vaz
Luis Jailson Vaz
5 anos atrás

Eu sendo trabalhador sempre ví o reflexo financeiro positivo e o aumento da qualidade de vida minha em momentos que mais trabalhei. Nunca me conformei em ganhar apenas o piso salarial….aí penso que o aumento da jornada pose sim trazer benefícios à ambas as partes.

ELOI LVES DOS SANTOS
ELOI LVES DOS SANTOS
5 anos atrás

BASTA SÓ A INJUSTIÇA QUE O GERENTE DELE ME FEZ .

fatima
fatima
4 anos atrás

O pior é ler comentário de pessoas que acreditam estar sendo beneficiados com isso. Não enxergam que a longo prazo essas horas se tornarão um fardo pesado demais e o ganho não suprirá saúde e gastos com remédios. Isso sem mencionar a diminuição de contratação. Desemprego vai aumentar assustadoramente.

Zamian Zartan
Zamian Zartan
4 anos atrás

A isto denominamos um regime comunista oficioso, porque ainda ele é socialista. Não existem só estas pessoas se dando bem nos negócios aqui no Brasil a custa da exploração do trabalhador. O mesmo acontece com outra família que tem envolvimento com a posse do nióbio brasileiro em Minas Gerais, e que sacrificam o povo brasileiro. Nosso país precisa de reformas profundas urgentes, isto para termos a ordem e o progresso restabelecidos solidariamente e não apenas nas mãos de alguns. Alguns estes que não passam de exploradores da mão de obra barata, devastadores do meio ambiente, e que não estão nem aí com a sociedade brasileira que paga com a vida em decorrência destas políticas criminosas.

Zamian Zartan
Zamian Zartan
4 anos atrás

A isto denominamos um regime comunista oficioso, porque ainda ele é socialista. Não existe só estas pessoas se dando bem nos negócios aqui no Brasil a custa da exploração do trabalhador. O mesmo acontece com outra família que tem envolvimento com a posse do nióbio brasileiro em Minas Gerais, e que sacrificam o povo brasileiro. Nosso país precisa de reformas profundas urgentes, isto para termos a ordem e o progresso restabelecidos solidariamente e não apenas nas mãos de alguns. Alguns estes que não passam de exploradores da mão de obra barata, devastadores do meio ambiente, e que não estão nem aí com a sociedade brasileira que paga com a vida em decorrência destas políticas criminosas.

Ricardo
Ricardo
4 anos atrás

O que é mais violento? Tratar seus empregados como escravos ou assassinar o patrão?