Votação de projeto que privatiza estatais e empresas públicas é adiada para a próxima semana

Votação de projeto que privatiza estatais e empresas públicas é adiada para a próxima semana

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

A votação do polêmico projeto de lei de autoria do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), o PLS 555/15, que prevê transformar  estatais e empresas públicas federais, estaduais e municipais em Sociedades Anônimas (S/A) que estava prevista para ocorrer na última terça-feira (16) foi adiada para a próxima semana graças à mobilização dos movimentos sociais.

Caixa Federal e BNDES são algumas das empresas públicas que correm risco no setor financeiro. Correios, Petrobras e empresas municipais de saneamento, água, esgoto e energia também estão na mira.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

A matéria recebeu emendas, como a do senador José Serra (PSDB-SP), que possibilita até a abertura de exceção para contratação sem concurso público.

“O PLS 555 é um projeto de privatização e que representa uma concepção de estado. Se for aprovado, comprometerá totalmente as funções sociais que essas empresas cumprem e que são essenciais para o desenvolvimento social e econômico do país”, alerta a diretora do Sindibancários/ES, Rita Lima, que participa das discussões sobre o tema representando a Intersindical Central da Classe Trabalhadora no Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas.

“O que vemos com a proposta desse projeto é o aprofundamento de um estado neoliberal, onde as funções públicas ficam jogadas para o mercado, ou seja, quem puder paga pelos serviços, quem não pode fica sem ter acesso”, destaca Lima.

Mobilização

O Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas, que reúne representantes de trabalhadores de diversas categorias profissionais e da qual a Intersindical faz parte, está negociando com alguns senadores a criação de um texto substitutivo e já conseguiu um número significativo de adesões. Outra estratégia consiste na votação de emendas que descaracterizem o caráter pernicioso do projeto.

O texto substitutivo prevê um estatuto para as estatais que leve em conta a manutenção do papel social dessas empresas, mas não a abertura de capital (ou privatização) e sem as alterações na composição acionária que trarão sérios prejuízos ao Brasil. A proposta é ter, sim, um estatuto e um modelo de gestão transparente, que valorizem o bem comum, o patrimônio público, mas sem esse golpe velado de privatização desenfreada e de extermínio do emprego público.

Importância social

O Brasil possui, somente no âmbito federal, 140 estatais que empregam quase 540 mil trabalhadores e têm seus ativos totais avaliados em R$ 4,5 trilhões. Sem contar as centenas de empresas públicas nos âmbitos estaduais e municipais.

Empresa pública não pode visar lucro. O que seria do Bolsa Família e do Minha Casa Minha Vida sem a Caixa Econômica Federal? O que seria das micro e pequenas empresas sem os empréstimos facilitados pelo BNDES? Sem os Correios e a Petrobrás, cartas, encomendas e combustíveis jamais chegariam aos rincões deste país (que economicamente não geram lucro). O que seria da agricultura patronal e familiar se não fossem as pesquisas da Embrapa e os empréstimos dados pelo Banco do Brasil para o segmento? Sem a Eletrobrás, não haveria o programa Luz para Todos.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
3 Comentários
Mais antigos
Mais recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Eunice Terra
Eunice Terra
5 anos atrás

Empresa pública não pode visar lucro. Não vale dois pesos e duas medidas!