fbpx

Nota: 1º de Maio Classista contra o PL 4330 e o ajuste fiscal antipopular

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora

A INTERSINDICAL Central da Classe Trabalhadora orienta as entidades filiadas, seus militantes e dirigentes a impulsionar grandes manifestações neste 1º de Maio.

A construção de atos de 1º de Maio classista em todo o país devem ter como eixos centrais a luta para derrotar o PL 4330 que amplia a terceirização para todas as atividades das empresas, o combate as MPs 664 e 665 que atacam direitos e o ajuste fiscal antipopular dos governos estaduais e federal que retira recursos das áreas sociais.

Em todas as capitais do País, nossa militância deve levantar alto essas e outras bandeiras populares, tratando este 1º de Maio como continuidade do processo de unidade que aconteceu no 8 de Março, 07 e 15 de abril e que deve culminar no final de maio num novo grande Dia Nacional de Lutas contra a terceirização e a retirada de direitos rumo a greve geral.           

Vamos lutar também contra a redução da maioridade penal, contra o genocídio da juventude negra e pobre, em defesa dos serviços públicos de qualidade na educação, saúde e transporte, contra os ataques aos povos indígenas, além de defender as reformas agrária, urbana e tributária. Reforçaremos, também, a luta pela taxação das grandes fortunas, as iniciativas para acabar com o financiamento empresarial das campanhas eleitorais e para por fim ao monopólio das comunicações.

Com um caráter classista e anticapitalista, o 1º de Maio para a INTERSINDICICAL deve ser de denúncia do capitalismo e suas mazelas, de rechaço às saídas que a direita quer dar para o Brasil e de combate à política econômica recessiva adotada pelo governo Dilma e outros governos estaduais e municipais.

O 1º de Maio é uma data histórica para a classe trabalhadora em todo o mundo. Marca a luta pela redução da jornada de trabalho em 1886 que levou à morte de diversos operários em Chicago, nos EUA. Por isso, devemos recuperar o sentido histórico classista e anticapitalista da data, além de lutar pelas reivindicações dos trabalhadores/as em todo o mundo. Por isso, também, enviamos uma delegação à Cuba que participará de cursos de formação e do grande 1º de Maio em Havana.

1º de Maio nos estados

A composição dos atos de 1º de Maio pelo Brasil afora não é um processo linear. Guarda relações com as dinâmicas locais e com a realidade de cada estado. Por isso, a INTERSINDICAL Central da Classe Trabalhadora orienta seus dirigentes e militantes a participar com essas bandeiras e eixos centrais das atividades.

Em Fortaleza, por exemplo, nossa central juntamente com o Sindifort e demais sindicatos filiados e aliados do estado do Ceará realizarão um grande ato classista e anticapitalista na orla da Praia de Iracema. Em Vitória/ES, o ato deve ser em conjunto com as Pastorais Sociais.

Em São Paulo, nossa central está a dois meses participando da construção do Ato na Praça da Sé, juntamente com as Pastorais Sociais, MTST, CSP Conlutas e outros. Esse ato terá início às 10h30. A proposta é que após a atividade na Praça da Sé, possamos participar de uma atividade unitária no Vale do Anhangabaú cujos eixos prioritários são a luta contra o PL 4330, o ajuste fiscal e as MPs 664 e 665 e pela taxação das grandes fortunas. Essa atividade unitária no Anhangabaú será em conjunto com a CUT, CTB, MST, MTST e diversas entidades populares.

panfleto_1maio_2015-INTERSINDICALm

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail

*

Top