Com último leilão, estrangeiras já são donas de 75% das reservas do pré-sal

Com último leilão, estrangeiras já são donas de 75% das reservas do pré-sal

Estrangeiras já são donas de 75% das reservas do pré-sal

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

A quinta rodada de leilão do pré-sal, realizada na última sexta-feira (28/09), foi mais um agrado do governo golpista de Michel Temer às petroleiras multinacionais. Do total dos quatro blocos leiloados, as estrangeiras levaram 92,6%, enquanto a Petrobras apenas 7,4%.  As maiores ganhadoras foram a anglo-holandesa Shell, as americanas Chevron e ExxonMobil e a britânica BP, que adquiriram, respectivamente, 23,9%, 23,9%, 14,4% e 11,2% do petróleo.

Somando os resultados das cinco rodadas de leilão do pré-sal (a primeira, em 2013, no governo Dilma, e as outras quatro no governo Temer), as petroleiras de fora já abocanham três quartos das reservas do pré-sal brasileiro.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Além de dominarem a extração da maior riqueza do país, as estrangeiras são beneficiadas por mudanças na regulação do pré-sal, promovidas pelas forças golpistas: retirada da Petrobras como operadora única, redução da exigência do conteúdo local e ampliação dos incentivos tributários. A tendência é ampliar cada vez mais o papel das multinacionais na exploração, enquanto a Petrobras, a empresa que descobriu o pré-sal, é reduzida a mera coadjuvante no mercado.

As consequências para o povo brasileiro serão desastrosas. Serão bilhões e bilhões de dólares despachados ao estrangeiro. No caso dos campos leiloados na última sexta-feira, a projeção é de que cada barril produzido gere um excedente de 120 reais. Desse valor, cerca de 50 reais serão pagos à União, enquanto os outros 70 irão aos cofres das petroleiras. Considerando a pequena parcela adquirida pela Petrobras, apenas 7,4% desses lucros serão da estatal brasileira.

Todos esses recursos poderiam servir para desenvolver a indústria nacional, gerar empregos qualificados e, principalmente, custear políticas públicas e investimentos em educação, saúde e infraestrutura. Ao contrário, como no período colonial, nossas riquezas são saqueadas a luz do dia, com permissão e incentivo da elite local.

Para saber mais sobre os rumos da Petrobras e do petróleo brasileiro, leia a reportagem “Muito além do combustível caro”.

Texto: Matheus Lobo


CLIQUE E ACOMPANHE A INTERSINDICAL NAS REDES

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

PEC 32 da REFORMA ADMINISTRATIVA é adiada, vitória dos trabalhadores
PEC 32 da REFORMA ADMINISTRATIVA é adiada, vitória dos trabalhadores
PEC 32 e o Desmonte do Serviço Público
PEC 32 e o Desmonte do Serviço Público
Intersindical contra a PEC 32 em Brasília
Intersindical contra a PEC 32 em Brasília
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários