Entidades traçam estratégias contra o PLS 555 e convocam Dia Nacional de Luta

Entidades traçam estratégias contra o PLS 555 e convocam Dia Nacional de Luta

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Mobilizados na luta para barrar o PLS 555, sindicatos, trabalhadores, centras sindicais e outras entidades representativas participaram do seminário sobre o projeto nessa quarta-feira, 27, e traçaram inúmeras ações contra o chamado Estatuto das Estatais. Uma das principais deliberações é a realização do Dia Nacional de Luta em Defesa das Empresas Públicas, na próxima quarta-feira, 03 de fevereiro.

Outra iniciativa importante é a criação do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas, formado por cinco centrais sindicais (Intersindical, CSP-Conlutas , CTB, CUT e Nova Central), além de Contraf, Fenae e FUP. Também será estimulado que comitê estaduais e municipais sejam implementados.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

O seminário foi realizado em Brasília e reuniu cerca de 130 pessoas, entre bancários, petroleiros, portuários, metroviários, urbanitários, eletricitários, químicos, comerciários e funcionários de universidades públicas, entre outros. A diretora do Sindibancários/ES, Rita Lima, participou das discussões representando a Intersindical Central da Classe Trabalhadora.

“Ao contrário do que defende seus autores, esse projeto não representa a moralização das estatais, mas sim o desmonte das empresas públicas e do próprio Estado. A aprovação do PLS 555 irá trazer grandes prejuízos para a sociedade brasileira, principalmente para a parcela de baixa renda. Hoje, as empresas públicas cumprem uma função social, mas se forem privatizadas ficarão comprometidas apenas com a obtenção de lucros. A aprovação desse projeto é um golpe na população brasileira. Irá representar o fim de importantes instituições, como a Caixa, BNDES e Correios, que são fundamentais para o desenvolvimento econômico e social do país”, enfatiza Rita Lima, que representou também a Intersindical.

PLS 555/2015 é uma verdadeira armadilha. Ao criar o estatuto jurídico das empresas públicas e sociedades de economia mista no âmbito da União, Estados e Municípios, ele impõe que todas essas instituições se tornem Sociedades Anônimas (S.A.’s). Com isso, no mínimo 25% das ações dessas empresas e instituições passarão a ser negociadas na Bolsa de Valores, no prazo de até dois anos após a publicação da lei.

Em defesa das estatais

Durante o seminário, Rita Lima, também destacou que o combate ao PLS 555 é uma oportunidade para reunificar as forças combativas. “Pressionar os parlamentares nas bases estaduais também se faz necessário. É preciso ‘botar a boca no trombone’ e chamar a sociedade, porque ela está em risco”, afirmou.

No dia 2 de fevereiro, quando serão abertos os trabalhos legislativos de 2016, entidades representativas e trabalhadores vão ao Senado Federal para mobilizar e pressionar os parlamentares a arquivarem o projeto. 

Envie e-mail ou ligue para os senadores do seu estado e peça o voto pelo arquivamento do PLS 555.

Irregularidades do PLS 555/2015

No seminário, Luiz Alberto dos Santos, especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental, enumerou os principais problemas da proposta. “Para começar, existe vício de iniciativa, pois legislar sobre organização da administração pública é competência exclusiva da União. Também há limitação dos órgãos societários e engessamento da atuação social das estatais”, explanou. Para ele, setores dos mais variados serão prejudicados, como elétrico, portuário, dos transportes públicos e agropecuário.

Luiz Alberto ainda ressaltou que é papel das entidades representativas esclarecerem os senadores e deputados. “O rito da proposição também apresenta problema. Ela pode ser emendada, mas há baixo grau de consenso entre os parlamentares. O problema é que estamos em regime de urgência, e a matéria volta à discussão no dia 3 de fevereiro. As entidades precisam trabalhar, junto aos presidentes da Câmara e do Senado, pelas correções”, declarou.

Fonte: Sindicato dos Bancários do Espírito Santo

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários