Com lágrimas de crocodilo, Cunha deixa presidência da Câmara para que PMDB implemente agenda do golpe

Com lágrimas de crocodilo, Cunha deixa presidência da Câmara para que PMDB implemente agenda do golpe

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

A expressão lágrimas de crocodilo é usada para se referir ao choro fingido. O crocodilo, quando ingere um alimento, faz forte pressão contra o céu da boca, comprimindo as glândulas lacrimais. Assim, ele chora enquanto devora a vítima. Foi assim mesmo que Eduardo Cunha (PMDB-RJ) anunciou sua renúncia, na quinta-feira (7), do cargo de presidente da Câmara dos Deputados.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail em nossa newsletter.

Não se sabe ainda o que Eduardo Cunha abocanhou de Michel Temer com a renúncia, planejada um dia antes com o presidente interino, mas ele mesmo expôs que sua renúncia tem como pano de fundo permitir que a Câmara dos Deputados prossiga com as “reformas que o país necessita”.

Isso quer dizer prosseguir com a agenda Brasil, as privatizações, a perda da soberania nacional a partir da entrega do pré-sal e das riquezas minerais, o sufocamento da máquina pública, as reformas trabalhista e previdenciária, entre outros planos.

“É público e notório que a Casa esta acéfala, fruto de uma interinidade bizarra, que não condiz com o que o país espera de um novo tempo após o afastamento da presidente da República. Somente minha renúncia poderá pôr fim a esta instabilidade sem prazo. A Câmara não suportará esperar indefinidamente”, declarou Cunha.

O que pode ter abocanhado

Analistas políticos especulam sobre o que o famigerado Eduardo Cunha conseguiu abocanhar de Michel Temer: colocar um aliado dele e do governo com desenvoltura na presidência da Câmara dos Deputados para aprovar projetos de interesses deles; um possível acordo para evitar a cassação do mandato de deputado federal e manter seu poder de influência; intervenções políticas no desenrolar da Operação Lava Jato para blindar a esposa e a filha dele (garantindo ainda seu patrimônio ilícito).

Lágrimas de crocodilo

Cunha foi às lágrimas ao mencionar que sua esposa e filha se tornaram alvo da Operação Lava Jato. Cunha é réu em duas ações no Supremo Tribunal Federal e alvo de uma terceira denúncia ainda a ser analisada. Ele também responde a um processo disciplinar no Conselho de Ética da Câmara, que aprovou um parecer pela cassação do mandato.

Eleição

A eleição para o presidente da Câmara dos Deputados será na próxima quarta-feira (13). Até o momento, registraram candidatura para concorrer à presidência da Casa: Fausto Pinato (PP-SP), Carlos Henrique Gaguim (PTN-TO), Carlos Manato (SD-ES), Marcelo Castro (PMDB-PI), Fábio Ramalho (PMDB-MG), Luiza Erundina (PSOL-SP), Heráclito Fortes (PSB-PI), Fernando Giacobo (PR-PR), Cristiane Brasil (PTB-RJ), Rogério Rosso (PSD-DF), Rodrigo Maia (DEM-RJ). Além deles, o deputado Beto Beto Mansur (PRB-SP) anunciou que irá concorrer, mas ainda não oficializou candidatura.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail em nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários