Nota da Intersindical: Cabral Presente!

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

A Intersindical Central da Classe Trabalhadora manifesta sua indignação pelo assassinato do Presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Rio Maria no Pará, o companheiro Carlos Pereira Cabral no dia 11 de junho. O crime ocorreu nas proximidades da sua residência no Município de Rio Maria, localizado no sul do Estado do Pará.

A morte de sindicalistas na região não é um fato isolado, o companheiro Carlos Cabral é o quarto dirigente do seu sindicato a ser assassinado. A ação de pistoleiros assassinaram João Canuto (1985), Braz Oliveira (1990) e Expedito Ribeiro (1991), o primeiro da família de Cabral. O primeiro sindicalista morto ainda teve três filhos sequestrados e dois deles mortos por pistoleiros.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Cabral já havia sido vítima de uma tentativa de assassinato em 1990, mas conseguiu sobreviver ao ferimento. Continuou firme e combativo na luta pela reforma agrária e valorização dos trabalhadores e trabalhadoras rurais, motivo porque foi perseguido nos últimos 30 anos.

A violência se intensifica na região em razão da permanência a estrutura agrária concentrada nas mãos de poucos fazendeiros e na convivência do poder público que gera impunidade e encoraja mais crimes contra lideranças populares. Entre pistoleiros e mandantes dos todos crimes contra os dirigentes do Sindicato de Trabalhadores Rurais de Rio Maria, apenas 1 cumpriu integralmente a pena, 2 foram condenados mas nunca cumpriram a pena e encontram-se em liberdade, 1 teve a pena perdoada pelo TJ-GO, 3 foram condenados e presos mas tiveram fuga facilitada nos presídios e estão soltos, outros assassinos foram identificados mais nunca foram a júri popular.

A Intersindical se soma a dor da família e dos amigos e militantes do STTR de Rio Maria. E ainda exigimos uma investigação que de fato apure e condene os executores e mandantes, e que os mesmo cumpram integralmente a pena. Não podemos tolerar o silenciamento e a morte de sindicalistas, lideranças populares e lutadores e lutadoras dos direitos do povo.

Cabral Presente! Agora e sempre!

São Paulo, 12 de junho de 2019
Intersindical Central da Classe Trabalhadora

[wd_hustle id=”social-icons-fim-de-texto” type=”social_sharing”]

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários