Nota de pesar das Centrais Sindicais, no Pará, pelo assassinato do sindicalista CARLOS CABRAL

Nota de pesar das Centrais Sindicais, no Pará, pelo assassinato do sindicalista CARLOS CABRAL

sindicalista CARLOS CABRAL

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Carlos Cabral Pereira, presente!

As Centrais Sindicais, no Pará (CTB, CGTB, NCST, FS, CSP Conlutas, CUT, UGT, CSB e Intersindical), manifestam sentimentos de pesar pelo assassinato do sindicalista Carlos Cabral Pereira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Rio Maria (STTR), no sul do Pará, e diretor da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB Pará, assassinado com vários tiros na tarde desta terça-feira (11), em Rio Maria/PA.

Em Rio Maria, “a terra da morte anunciada”, teve em dezembro de 1985 o assassinato do sindicalista e presidente do STTR, João Canuto, e seu sucessor Expedito Ribeiro de Souza, foi assinado em fevereiro de 1991, Cabral genro de João Canuto, a época (1991), e sucessor de Expedito, foi ferido num atentado a bala a mando do latifúndio em 4 de março de 1991, ou seja, um mês depois do assassinato de Expedito Ribeiro. E cinco anos após a morte de João Canuto, em 22 de abril de 1990 três de seus filhos, Orlando, José e Paulo Canuto, foram sequestrados e dois deles José e Paulo foram assassinados, somente Orlando Canuto escapa gravemente ferido.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

No período histórico na luta pela posse da terra várias outras lideranças sindicais, religiosas e políticas, os “marcados para morrer”, foram eliminados fisicamente pela bala do latifúndio improdutivo paraense, e hoje, no transcurso dos 32 anos do assassinato do advogado dos trabalhadores rurais, o deputado estadual Paulo Fonteles (PCdoB/PA), é assassinato Cabral em plena luz do dia em Rio Maria, sul do Pará.

As Centrais Sindicais exigem a imediata e exemplar apuração e elucidação do assassinato de Cabral, a retomada da paz no campo, a política e a cultura da paz contra o discurso e a cultura do ódio e da violência pregada pelo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

Viva a livre organização dos trabalhadores e trabalhadoras rurais.

Carlos Cabral Pereira, presente!

Belém-Pará, 11 de junho de 2019.

  • Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB Pará
  • Central Única dos Trabalhadores – CUT Pará
  • Central Geral dos Trabalhadores do Brasil – CGTB Pará
  • Nova Central Sindical dos Trabalhadores – NCST Pará
  • Força Sindical – Pará
  • CSP Conlutas – Pará
  • Central dos Sindicatos Brasileiros – CSB Pará
  • INTERSINDICAL – Pará
  • União Geral dos Trabalhadores – UGT Pará

 CLIQUE E ACOMPANHE A INTERSINDICAL NAS REDES

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários