#PareTKCSA: ativistas denunciam violações de direitos em assembleia de acionistas da ThyssenKrupp

#PareTKCSA: ativistas denunciam violações de direitos em assembleia de acionistas da ThyssenKrupp

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

#PareTKCSA: ativistas denunciam violações de direitos em assembleia de acionistas da empresa alemã ThyssenKrupp

ThyssenKrupp Companhia Siderúrgica do Atlântico aumentou em 76% a emissão de CO2 no Rio de Janeiro e é denunciada por diversas violações de direitos ambientais, sociais e trabalhistas. Foto: arquivo Pacs

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Nesta sexta-feira (29), acontece a Assembleia anual dos acionistas da ThyssenKrupp, em Bochum, na Alemanha. Na ocasião, ativistas da campanha #PareTKCSA entregarão aos diretores da empresa uma carta exigindo imediata reparação pelas violações cometidas pela Companhia Siderúrgica do Atlântico (TKCSA), em Santa Cruz e nas imediações da Baia de Sepetiba, zona Oeste do Rio de Janeiro.  Entre as denúncias estão o adoecimento ocasionado pela chamada chuva de prata (lançamento de particulado poluente no ar) e a interrupção da pesca na região, provocados pela siderúrgica que se instalou na região em 2005 e que também é controlada pela mineradora Vale S.A., com 27% das ações. Atualmente, mais de 300 ações contra a TKCSA movidas pela Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro em nome das famílias impactadas ainda aguardam uma decisão da Justiça.

A entrega da denúncia acontece meses antes do vencimento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) por meio do qual a empresa funciona, já que não tem licença ambiental. A renovação do TAC deve ser discutida em abril de 2016. “Antes que a decisão seja tomada, queremos convidar a sociedade a debater sobre o sentido da concessão da licença de operação a uma empresa que em dez anos construiu um legado de destruição ao povo e ao meio ambiente da nossa cidade e que ainda precisa responder pelas violações de direitos que cometeu”, diz trecho da carta assinada por mais de 70 pesquisadores/as, ambientalistas, parlamentares e movimentos sociais.

Além de celeridade no julgamento dos processos de reparação, a carta exige ainda a realização de uma auditoria em saúde nas proximidades da siderúrgica, o fim das isenções fiscais do empreendimento e a instauração de uma CPI do TAC na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Paretkcsa.org

Concomitante à entrega do documento, a Campanha permanente #PareTKCSA irá lançar uma plataforma virtual multimídia que reúne conteúdo exclusivo sobre o tema em pesquisas, vídeos e reportagens. A página contém uma linha do tempo com os fatos mais relevantes dos 10 anos de resistência às violações cometidas pela siderúrgica. A reportagem exclusiva “Reta João XXIII: vida nas franjas do desenvolvimento nacional”,disponível na página da campanha, aprofunda tais denúncias e relata o cotidiano de quem convive com a siderúrgica.

ThyssenKrupp 001

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários