Vote (e lute) PELA SAÚDE PÚBLICA!

Após serem erradicadas na década de 1990, sarampo, pólio, rubéola e difteria voltaram ao Brasil. Estas doenças retornaram após 2016 e ao corte de recursos para a vacinação do governo golpista de Michel Temer (PMDB) e do ministro Ricardo Barros (PP).

Mas não é só isso.

A Emenda Constitucional 95 (teto dos gastos), elaborada por Henrique Meirelles (PMDB), um dos ministros do golpe, determina o congelamento dos gastos públicos por 20 anos.

Esta EC bloqueia o financiamento de programas públicos para diversos setores, inclusive para a manutenção do Sistema Único de Saúde (SUS). Sem investimentos, o SUS vai entrar em colapso e a população vai ficar entregue à própria sorte.

Quem ganha com o congelamento de gastos são os planos de saúde privados, que só querem lucros. Não estão preocupadas com a garantia de saúde para toda população.

Neste contexto, proliferam as chamadas “Organizações Sociais” (OSs) na saúde. É um modelo que transfere para entidades privadas a gestão dos serviços básicos.

Com o corte dos recursos públicos, as OSs devem também passar a cobrar pelos serviços. Ou seja, a saúde será entendida como mercadoria (uma prestação de serviço) e não como um direito de cada cidadão e cidadã brasileiros.

Estamos em pleno processo eleitoral. É nosso dever votar em candidatos comprometidos com os serviços públicos e com o SUS. A EC 95 deve ser revogada e a saúde pública deve ser fortalecida com investimentos públicos, e não com terceirização. Vote pela saúde do povo brasileiro!

Mais do que o voto consciente nas urnas, é preciso se engajar! Bote a mão na massa e construa candidaturas que defendem a revogação da EC 95 e se preocupam com a saúde para todos e todas.

O momento exige participação ativa nos sindicatos, movimentos populares e partidos que defendam a classe trabalhadora e o povo brasileiro. Não deixe que a política seja dominada pelo poder econômico.

Vote (e lute) pela saúde pública!

Veja como cada senador votou na EC 95 (antiga PEC 55 e 241)

A favor da PEC 55

Aécio Neves (PSDB-MG)
Aloysio Nunes (PSDB-SP)
Álvaro Dias (PV-PR)
Ana Amélia (PP-RS)
Antonio Anastasia (PSDB-MG)
Antonio C Valadares (PSB-SE)
Armando Monteiro (PTB-PE)
Ataídes Oliveira (PSDB-TO)
Benedito de Lira (PP-AL)
Cidinho Santos (PR-MT)
Ciro Nogueira (PP-PI)
Cristovam Buarque (PDT-DF)
Dalírio Beber (PSDB-SC)
Deca do Atacadão (PSDB-PB)
Edison Lobão (PMDB-MA)
Eduardo Amorim (PSC-SE)
Eduardo Braga (PMDB-PA)
Elmano Férrer (PTB-PI)
Eunício Oliveira (PMDB-CE)
Fernando Coelho (PSB-PE)
Flexa Ribeiro (PSDB-PA)
Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN)
Gladson Cameli (PP-AC)
Hélio José (PMDB-GO)
Ivo Cassol (PP-SC)
José Agripino (DEM-RN)
José Anibal (PSDB-SP)
José Maranhão (PMDB-PB)
José Medeiros (PSD-RN)
Lasier Martins (PDT-RS)
Lúcia Vânia (PSB-GO)
Magno Malta (PR-ES)
Marta Suplicy (PMDB-SP)
Osmar Aziz (PSD-AM)
Otto Alencar (PSD-BA)
Pastor Valadares (PDT-RO)
Paulo Bauer (PSDB-SC)
Pedro Chaves (PSC-MS)
Pinto Itamaraty (PSDB-MA)
Raimundo Lira (PMDB-PB)
Reguffe (sem partido-DF)
Ricardo Ferraço (PSDB-ES)
Roberto Muniz (PP-BA)
Romero Jucá (PMDB-RR)
Ronaldo Caiado (DEM-GO)
Sérgio Petecão (PSD-AC)
Simone Tébet (PMDB-MS)
Tasso Jereissati (PSDB-CE)
Telmário Mota (PDT-RR)
Valdir Raupp (PMDB-RO)

Contra A PEC 55

Ângela Portela (PT-RR)
Dário Berger (PMDB-SC)
Fátima Bezerra (PT-RN)
Gleisi Hoffomann (PT-PR)
Humberto Costa (PT-PE)
João Capiberibe (PSB-AP)
Jorge viana (PT-AC)
José Pimentel (PT-CE)
Kátia Abreu (PMDB-TO)
Lídice da Mata (PSB-BA)
Lindbergh Farias (PT-RJ)
Paulo Paim (PT-RS)
Paulo Rocha (PT-BA)
Regina Sousa (PT-PI)
Roberto Requião (PMDB-PR)
Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)

Clique no link a seguir e saiba mais sobre a EC 95.

Texto: Matheus Lobo


CLIQUE E ACOMPANHE A INTERSINDICAL NAS REDES

*

Top