fbpx

Vítimas da terceirização II: diversas prestadoras de serviços estão com repasses atrasados

Empresas terceirizadas que prestam serviços às unidades de saúde estaduais estão com os pagamentos do governo atrasados. Na semana passada, o Laboratório Bioclínico emitiu um comunicado informando um corte significativo na quantidade e na diversidade de exames realizados a partir desta semana, em função da falta de pagamento. As empresas Nutrindus, que presta serviços de alimentação, Orbenk, de limpeza e vigilância, entre outras também estão com pagamentos atrasados e podem suspender os serviços.

Também na semana passada, a empresa terceirizada que gerência a nutrição do Hospital Governador Celso Ramos deixou de fornecer água para pacientes, acompanhantes e trabalhadores. Ficar sem água para beber é apenas uma pequena demonstração do descaso do governo com a saúde pública. Os atrasos nos pagamentos aos fornecedores são recorrentes e o sucateamento da estrutura pública é consequência desse descaso do governo.

No mesmo Hospital Celso Ramos, há cerca de dois meses, um elevador despencou deixando uma servidora ferida. As paralisações recentes no SAMU e no Hospital Florianópolis são outros casos em que as empresas responsáveis pelo serviço alegam não ter recebido pagamento do governo.

Terceirizando serviços fundamentais para o funcionamento das unidades públicas de atenção à saúde, o governo se isenta da sua responsabilidade de garantir um serviço de qualidade e ao alcance de todas e todos os cidadãos. Mas as empresas não querem saber, sem dinheiro, não há serviço.

Governador Raimundo Colombo, o que você tem a ver com isso?

Leia também:
Vítimas da terceirização: no Hospital Celso Ramos não têm água para beber

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail

*

Top