Trabalhadores técnico-administrativos em greve ocupam a sede do Ministério da Educação

Trabalhadores técnico-administrativos em greve ocupam a sede do Ministério da Educação

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora

O Comando Nacional de Greve da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (FASUBRA) ocupa a sede do Ministério da Educação desde a manhã de hoje (15/09) após tomar conhecimento, por meio da imprensa, de mudanças nas negociações que estavam em curso com a categoria.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

De acordo com o anúncio do Ajuste Fiscal haverá mudança na data do impacto de reajuste deles, proposta para o mês de janeiro de 2016 para agostode 2016 e a suspensão dos concursos para a entrada de novos servidores.Antes, os servidores de ensino superior receberiam reajuste salarial de 5,5% em janeiro de 2016 e 5,0% em 2017.

“O governo está nos roubando mais seis meses de salário, suspenderam os concursos e acabaram com um abono permanência que fará com que muitos servidores optem por se aposentar, ou seja, vão sobrecarregar ainda mais a máquina”, afirma Bernadete Menezes, secretária de Defesa do Serviço Público da Intersindical Central da Classe Trabalhadora e coordenadora da Associação dos Servidores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (ASSUFRGS).

“A última versão do Ajuste Fiscal ampliou o golpe, imputando aos trabalhadores a conta da crise que, além de diminuir o impacto do reajuste em 2016 que não cobria sequer a inflação de 2015, amplia a retirada de direitos dos trabalhadores, inclusive componentes que integram a remuneração salarial dos servidores federais”, afirmaBernadete Menezes, que está em Brasília.

“Não restou outra alternativa aos trabalhadores, que no momento da reunião para tratar a pauta setorial, comunicou ao MEC, enquanto representante do governo, a disposição da categoria em ocupar o prédio e intensificar as ações em todo o país, para em nome dos trabalhadores do serviço público federal, exigir do governo que mantenha a credibilidade do processo negocial em curso”, explicou o Comando Nacional de Greve da Fasubra, via Facebook.

Greve

Atualmente quase metade (47%) do Orçamento Geral da União é destinado ao pagamento dos juros da dívida pública (R$ 978 bilhões), de acordo com a Associação Auditoria Cidadã da Dívida. Em 2014, apenas 3,7% foram gastos com educação no Brasil.

A carreira dos trabalhadores técnico-administrativos detém o menor piso salarial do funcionalismo público federal. Eles estão em greve desde o dia 28 de maio.

Fasubra 006_02

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários