Trabalhadores rejeitam proposta de PLR da 3M de Sumaré

Trabalhadores rejeitam proposta de PLR da 3M de Sumaré

Compartilhe

Os trabalhadores da 3M do Brasil, em Sumaré, recusaram massivamente em assembleias (foto acima) a proposta da multinacional norte-americana para as condições de pagamento da participação nos lucros e resultados (PLR).

Nas assembleias também foram abordados os ataques que a classe trabalhadora sofre sobre seus direitos, como a liberação da terceirização, por exemplo, e a recusa da empresa em negociar uma pauta de reivindicações apresentadas pelos trabalhadores e protocolada oficialmente pelo Unificados – já foram agendadas três reuniões, todas desmarcadas pela 3M.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Metas para PLR podem levar a que trabalhadores devolvam valores

A 3M apresentou o valor de R$ 1.500,00 a título de PLR, condicionado ao cumprimento de metas por ela estabelecidas. Inicialmente, ele seria pago a título de “adiantamento”. Caso as metas não sejam atingidas – e elas são rigorosas – os trabalhadores estariam então sujeitos a devolver parte do recebido.

Outra condição é de que os trabalhadores demitidos até 14 de agosto receberiam a PLR. Demitidos do dia 15 em diante teriam que devolver os R$ 1.500,00 de “adiantamento” na hora de homologação e, em março de 2016 se apuraria se teriam algo proporcional a receber.

Descaso: 3M não negocia reivindicações

Há três meses o Unificados fez uma pesquisa junto aos trabalhadores da multinacional, que apontaram problemas que querem ver resolvidos. À época, o sindicato protocolou oficialmente na empresa uma pauta de reivindicações sobre as questões apontadas.

Desde então, a 3M agendou e depois desmarcou três reuniões para essa negociação, em flagrante desrespeito aos trabalhadores.

As reivindicações

 Redução da jornada de trabalho, sem redução nos salários, com sábados e domingos livres;
 Fim da terceirização;
 Fim do assédio moral, com constante pressão por horas extras e por mais produção;
 Igualdade entre todos os trabalhadores nas condições do plano de saúde;
 Retorno do convênio odontológico anterior, pois o novo (o atual) é muito precário;
 Cestas básica/alimentação;
 Fim do acúmulo de funções;
 Plano de cargos e salários que efetivamente funcione e seja respeitado;
 Pagamento do salário substituição; e
 Melhores condições de trabalho.

Químicos Unif 007_02p

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Intersindical no 18° Congresso Sindical. Mundial, em Roma (Itália)
Intersindical no 18° Congresso Sindical. Mundial, em Roma (Itália)
SindSaúde-SC na luta pelo Piso Nacional da Enfermagem
SindSaúde-SC na luta pelo Piso Nacional da Enfermagem
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, no 1º de Maio em SP
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, no 1º de Maio em SP
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários