Trabalhadores da UFRGS entram em greve a partir de 31 de maio

Trabalhadores da UFRGS entram em greve a partir de 31 de maio

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Os trabalhadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) compareceram em peso à Assembleia Geral realizada na quarta-feira (18/05) e decretaram greve de 72 horas a partir do dia 31 de maio. Indignados com mais um desrespeito do reitor Carlos Alexandre Netto, os trabalhadores reivindicam a assinatura imediata dos planos de flexibilização e se opõem ao sistema de login.

O reitor Carlos Alexandre e vice-reitor Rui Oppermann vêm desde o último ano quebrando acordos e mantendo uma atitude autoritária perante os técnicos e o sindicato. Implantou às pressas e sem debate um sistema de login duvidoso para o controle da jornada e vem sistematicamente impondo entraves à implantação da flexibilização da jornada na Universidade.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Atitudes como essas geraram grande indignação dos técnicos, demonstrada pelas intervenções na assembleia e nas reuniões nas unidades, ocorridas nas últimas semanas, onde a maioria deliberou pela greve.

Os próximos dias serão de mobilização e preparação da greve, com a indicação de representante das unidades para a Comissão de Mobilização.

Também houve debate sobre as eleições para reitor da UFRGS, com posições favoráveis ao apoio à candidatura de Carlos Alberto e Laura Verrastro e pelo voto nulo. A Assufrgs tem deliberação do último congresso pelo voto nulo, em denúncia ao formato antidemocrático da consulta à comunidade. O voto dos docentes tem o peso de 70%, ao contrário da maioria das universidades brasileiras, onde o voto é paritário.

O professor e candidato à reitor Carlos Alberto esteve presente na assembleia, afirmando seu compromisso com a paridade e com a implantação da flexibilização. Também falaram à assembleia as estudantes secundaristas Gabriele e Aline, que estão atuando na ocupação das escolas estaduais e pediram apoio e doações.

Assufrgs 009_01

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários