direitos sociais

Na próxima sexta-feira (05/10), a Constituição Federal de 1988 completa 30 anos. Símbolo do novo pacto social após a queda da ditadura civil-militar, a Carta consagrou direitos sociais e trabalhistas do povo brasileiro.

Como a relação entre fome e miséria é direta, pesquisadores indicam que o Brasil deve voltar a figurar no triste Mapa da Fome da ONU, do qual saiu em 2014.

No Brasil, há mais casa sem gente do que gente casa. São 6,9 milhões de imóveis vagos, que poderiam estar ocupados, contra um déficit habitacional de 6,3 milhões.

Leia a programação e outros detalhes do 5º Congresso Internacional de Ciências do Trabalho, Meio Ambiente, Direito e Saúde clicando no link anterior.

Vistoria realizada em abrigo de Brasília constatou que migrantes não estão recebendo acompanhamento do poder público.

70% das crianças  de 0 a 3 anos não tem acesso a creche no Brasil, são 7,7 milhões de crianças sem matrícula na educação infantil, segundo o IBGE. Um quadro que prejudica o desenvolvimento escolar posterior destas crianças e afeta a inserção das mães ao mercado de trabalho.

Sarampo, pólio, rubéola e difteria voltaram. Após serem erradicadas no país na década de 90 estas doenças retornaram após 2016. Isso se deve ao corte de recursos para a vacinação produzido pelo governo Temer.

No Brasil, segundo o IPEA, são mortos anualmente mais de 60 mil pessoas em decorrência da violência. Uma maioria de 56% dos óbitos são de homens jovens (15-19 anos), sendo que um negro tem 2,5 vezes mais chance de ser morto do que um não negro.

A PEC do Fim do Mundo (atual Emenda Constitucional nº 95) foi aprovada no final de 2016, logo após o golpe que colocou Michel Temer no poder. O mundo ainda não acabou, mas, nesse ritmo, as políticas públicas no Brasil estão próximas do fim.

Trabalhadores das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo se reuniram nesta quinta-feira, 02, para debater e formalizar a unidade nas manifestações do Dia do Basta, que ocorrerão no próximo dia 10 de agosto.

No Brasil existem, segundo o IBGE, 6,07 milhões de domicílio vazios e em contrapartida temos 5,8 milhões famílias sem moradia ou com moradias inadequadas. Tem mais casas sem gente do que gente sem casa.

O único motivo para a condenação é impedir que Lula seja candidato à presidência da república, já que é ele o líder de todas as pesquisas de intenção de voto.

Em 2017, a extrema pobreza no Brasil voltou ao nível de 2005. Isso significa que 11,8 milhões de brasileiros têm rendimento domiciliar per capita de até R$ 70,00.

Participantes receberam certificados em cerimônia com a presença de movimentos trans, ONU, procuradores e o procurador-geral do MPT, Ronaldo Fleury.

Em meio à Copa do Mundo na Rússia, dois projetos da bancada ruralista avançaram na Câmara dos Deputados, em Brasília: o ‘Pacote do Veneno’ e o ‘PL da Restrição de Orgânicos’.

Manuela d’Ávila recebe a Agenda Prioritária da Classe Trabalhadora. A data marcou o primeiro encontro que visa entregá-la para todos os candidatos.

Que o modo de produção vigente segue princípios alienantes não é novidade, desde os primeiros estudos sobre sua gênese. Novidade histórica, talvez, seja a preocupação com seus efeitos ambientais. Não que não saibamos, há tempos, que a questão ambiental é residual frente a questão econômica, no capitalismo. Porém, somente há algumas décadas, o esgotamento dos recursos e as implicações do modelo de industrialização socialmente adotado receberam certa atenção, dadas as possibilidades catastróficas que se avizinham.

Se sempre ocorreu uma distância entre liberalismo e democracia. No período de predominância do neoliberalismo, o fascismo político tende a ser o modelo que responde aos interesses dos donos do capital.

Agenda Prioritária da Classe Trabalhadora será entregue aos presidentes do Senado e da Câmara. As centrais sindicais INTERSINDICAL, CUT, CTB, Força Sindical, Nova Central, UGT e CSB farão a entrega da plataforma amanhã, dia 20, ao presidente do Senado e à presidência da Câmara.

Juntas, as centrais sindicais lançaram nesta quarta-feira (6) o documento “Agenda Prioritária da Classe Trabalhadora” que traz 22 propostas urgentes para fazer o Brasil retomar sua economia e desenvolvimento social. Faça aqui o download da Agenda Prioritária!

A agenda propõe de imediato medidas de combate ao desemprego e ao subemprego crescentes que já atingem 28 milhões de trabalhadores, como a criação de frentes de trabalho, com atenção especial para os jovens; a retomada das obras de infraestrutura e a implementação de políticas de amparo aos desempregados, com aumento das parcelas do seguro desemprego, vale transporte para o desempregado, vale gás, subsídio de energia elétrica, entre outras.

Divulgação da PED, desenvolvida pelo Dieese e Fundação Seade, caiu de sete municípios para três. Metodologia identifica quem procura emprego e não acha, e quem deixa de procurar por falta de condições.

A duas semanas de perder a validade, a base de Temer na Câmara dos Deputados conseguiu aprovar a Medida Provisória (MP) 811/17, que permite à Pré-Sal Petróleo S/A (PPSA) a comercialização direta da parte de óleo devida à União na exploração de campos da bacia do pré-sal com base no regime de partilha, vigente desde 2010. A matéria foi aprovada por 224 votos favoráveis, 57 contrários e 3 abstenção, na forma de Projeto de Lei de Conversão (PLV) 9/18, cujo texto, no entanto, precisa ser analisado pelo Senado até o dia 31 de maio para não caducar.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Resolução (PRC) 217/17 que tem por objetivo garantir a transparência e a ampla participação da sociedade no processo legislativo. A proposta, do deputado Eduardo Barbosa (PSDB-MG), foi aprovada na forma do substitutivo do deputado Pedro Cunha Lima (PSDB-PB).

Quem votou não volta! O Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) publicou o Mapa de Votações de Deputados e Senadores que votaram contra os trabalhadores, contra que haja recursos para serviços públicos de qualidade, contra a soberania nacional etc. O mapa refere-se há 55ª legislatura (2015-2019) e está disponível para visualização e download.

O salário mínimo ideal para sustentar uma família brasileira de quatro pessoas deveria ser R$ 3.668,55, de acordo com pesquisa do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgada nesta quarta-feira (4). O valor é 3,92 vezes do que o salário em vigor em setembro, de R$ 937.  A diferença entre o salário mínimo real e o necessário caiu de agosto para setembro. No mês anterior, o ideal era que ele fosse de R$ 3.744,83 (4 vezes o salário mínimo).

Taxa, de 13% na média, dobra entre trabalhadores de 18 a 24 anos. Sobe para quase 16% entre pretos (classificação do IBGE) e 15% para mulheres. Também cresce para pessoas com menos escolaridade

Água e terra são vida. Os poderosos tentam nos privar das fontes de vida para manter o povo submisso. Que seja 100% pública a Copasa.

Confira o parecer-protesto elaborado pelo núcleo jurídico das Brigadas Populares contra os desejos administrativos realizados pela Prefeitura de Belo Horizonte. As Brigadas Populares opinam pela imoralidade, ilegalidade e inconstitucionalidade dessa prática!

Morto por um policial militar há uma semana, o carroceiro Ricardo Silva Nascimento, de 39 anos, fazia parte de uma categoria que maneja 100% de todo o material reciclável de São Paulo.

Juízas, Magistrados, membros do Ministério Público, Advogados e Advogadas foram os primeiros signatários da “Carta Aberta em Defesa do Direito do Trabalho e Contra a Justiça Política”, que passa a recolher assinaturas em campanha aberta à participação de qualquer cidadão. Clique AQUI para ler e assinar a Carta Aberta. O documento denuncia a destruição de direitos da classe trabalhadora, perseguição judicial e reafirma o compromisso com a democracia brasileira.

A construção de uma greve geral nacional tem sido o tema de unidade entre os movimentos social e sindical que compõem as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo diante das medidas tomadas pelo governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB).

Depois de ser chamado de mentiroso em propaganda oficial do governo, Wagner Moura reforça suas críticas à Michel Temer e à reforma da previdência. Leia na íntegra.

A Justiça Federal do Rio Grande do Sul determinou a imediata suspensão, em todo o território nacional, de todos os anúncios do governo federal sobre a tal “reforma” da previdência em rádios, televisão, publicações impressas e internet, sob pena de multa diária de R$ 100 mil. Na prática, o anúncio chamado de “Minuto da Previdência” toca o terror nos brasileiros e tenta convencê-los de que a única saída para o futuro do País é o fim da Seguridade Social.

A parada estratégia de trabalhadores e trabalhadoras de todo o País em uma série de protestos contra o desmonte da Previdência e contra o extermínio dos direitos trabalhistas ganhou as ruas das principais cidades do Brasil. Mais de um milhão de pessoas integraram os atos convocados pelas Frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular, ao lado de centrais sindicais que se uniram para dizer ao governo Temer: não vamos aceitar a retirada de direitos!

Na manhã de hoje (15/3), a categoria municipária marcou presença na Greve Geral nacional contra a Reforma da Previdência Social e parou na Saúde, Educação, FASC, SMAM, entre outras secretarias de Porto Alegre. Houve mobilizações regionais na Zona Norte (Strip Center), na Zona Leste (Lomba do Pinheiro e Av. Protásio Alves com Av. Bogotá), Região Central ( Av. João Pessoa com a Av. Ipiranga), Zona Sul (Restinga e Av. Cavalhada com Av. Otto Niemeyer) e piquetes no HPV, HPS, PABJ e PACS.

Antes do ato, os servidores municipais que estão em campanha salarial, realizaram assembleia geral na sede do Sindifort, que aprovou calendário de mobilizações com ato na Câmara de Vereadores no dia 22 de março a partir das 8h. Dentre as principais reivindicações dos servidores estão o reajuste salarial de 13,60% sem parcelamento, mais recursos da Prefeitura Municipal de Fortaleza para o IPM para um melhor funcionamento do sistema de saúde, realização de concurso público e fim da terceirização na Prefeitura de Fortaleza e etc.

Trabalhadoras e trabalhadores da educação, estudantes, a Intersindical e outras entidades sindicais também ocuparam as ruas de Independência (Ceará) neste dia de atos pela greve nacional da educação e contra a Reforma da Previdência e retirada de direitos trabalhistas!

No ato contra a Reforma da Previdência e assembleia da educação municipal de Cotia (SP) que aconteceu neste dia 15, em que estão acontecendo diversas paralisações e greves por todo o Brasil, educadoras e educadores decidiram entrar em greve a partir do dia 22 de março com ampla maioria da aprovação dos presentes!

Em Belo Horizonte (MG), cerca de 70 mil trabalhadores realizaram uma ampla manifestação formada pela Intersindical, Brigadas Populares, as Frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular, entre outras entidades sindicais e de movimentos sociais.

Vitória (Espírito Santo) também está parada contra os desmontes na aposentadoria (PEC 287) e nos direitos trabalhistas. Nesta manhã realizaram uma grande manifestação que uniu diversas categorias e setores dos movimentos sindical e social para dizer ‘não’ à Reforma da Previdência, à terceirização e à retirada de direitos!

Em Cotia (SP), uma grande marcha composta pela Intersindical, Químicos Unificados, Terra Livre – Campo e Cidade, entre outros movimentos, parou a cidade nesta manhã!

Em São Paulo, as mulheres da Intersindical e de diversas outras entidades sindicais e de movimentos sociais que compõem as Frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular, ocuparam a Superintendência INSS em SP, contra a Reforma da Previdência (PEC 287) e as retiradas de direitos trabalhistas em curso pelo governo Michel Temer!

A única chance que a classe trabalhadora tem para barrar esse desmonte da Previdência Social e a retirada de direitos sociais garantidos na Constituição de 1988 é ameaçar a classe política, ir às ruas, fazer greves e paralisações, cobrar uma posição clara e transparente de cada deputado e senador que votará esses projetos no Congresso Nacional.

O governo está acertando as contas com quem financiou o golpe. Não se trata de reformar a Previdência Social. Trata-se de destruir o sistema da Seguridade Social – que engloba a Previdência, Assistência Social e Saúde públicas – para transferir uma parte ainda maior do orçamento público ao sistema financeiro e incentivar a compra de planos privados.

Dando continuidade ao debate em torno da proposta de “reforma” trabalhista do governo, consubstanciado no PL 6.787/16, é preciso que se diga: o projeto é desnecessário! É inoportuno! Porque propõe como soluções para a crise do desemprego fórmulas testadas e desaprovadas aqui e lá fora. E sob conjuntura econômica que degrada o trabalhador e principalmente a trabalhadora!

Neste governo golpista, lugar de mulher é em casa, cuidando dos filhos, dos doentes e dos idosos. Nada de se aposentar e sequer receber pensão por morte do companheiro. É trabalhar, trabalhar e trabalhar para todos até morrer. Essa postura ficou bem evidenciada em seu discurso para comemorar o Dia Internacional da Mulher.

No próximo dia 8 de março (quarta-feira), tem Ato Unificado das mulheres. Elas vão às ruas organizar um Dia Internacional de Luta contra o machismo, a violência, a cultura do estupro e também contra o desmonte da Previdência Social. A concentração será às 16h30 na Estação da Cidadania (Av. Ana Costa, 340, esquina com Francisco Glicério) com diversas atividades como música, teatro, exposição de fotografias e oficinas até a saída da marcha às 18h30.

A opressão à mulher trabalhadora se observa em praticamente todas as dimensões da vida social. A desigualdade no mercado de trabalho, por exemplo, apesar de ser observada nos diversos cantos do mundo, é uma das marcas da formação social brasileira.

No Dia Internacional das Mulheres, 08 de março, a Assufrgs-Sindicato participa da programação oficial do 8M, mobilização internacional das mulheres que irá às ruas em diversas cidades do mundo.

Com o lema “As capixabas vão parar! Contra a Reforma da Previdência e nenhum direito a menos”, no 08 de março o Fórum de Mulheres do Espírito Santo realizará uma marcha que sairá da Praça Oito, no Centro de Vitória, com concentração a partir das 8h. A iniciativa, que faz parte do calendário do Dia Internacional da Mulher, dialoga com a Greve Internacional que envolverá mulheres de todo o mundo na luta contra o machismo e o patriarcado.

Veja o panfleto unificado deste 8 de março, Dia Internacional de Luta das Mulheres. Clique nas imagens para ampliá-las.

Mulheres de todo o mundo fazem greves e paralisações neste 08/03 contra a retirada de direitos e contra o machismo que mata e violenta mulheres diariamente.

No final do século XIX as mulheres começaram a sair à rua para pedir mais direitos. Organizações femininas dentro dos movimentos operários protestavam contra as 15 horas de trabalho diárias e os salários baixos.

Este 8 de março é uma data mais do que especial para o feminismo. Não só por manter viva a memória histórica de resistência e luta das trabalhadoras russas, há exatos 100 anos, como também, por ser um marco diante de tantas ameaças de perdas de direitos e declarações de ódio contras mulheres, no Brasil e no mundo.

Teve início na tarde desta quinta-feira (02), o 22º Congresso do Sintepp (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará), na capital Belém (PA).

Convocação geral da Intersindical pela vida da mulher no dia 8 de março: contra a reforma da Previdência e trabalhista. Pelo Fora Temer!

Como já vem ocorrendo tradicionalmente em Porto Alegre em todo o mês de fevereiro nos últimos anos, a discussão sobre o aumento da tarifa de ônibus levou centenas de pessoas às ruas do Centro da Capital em protesto convocado pelo Bloco de Luta pelo Transporte Público.

Em meio à profunda crise institucional instalada pelo golpe, trabalhadores/as, estudantes e o conjunto dos setores populares e democráticos devem sair às ruas e aumentar a pressão sobre o senado para que não vote a PEC que destrói o serviço público.

Em meio a forte mobilização social, manifestações contrárias do lado de fora do Congresso e forte repressão policial, o plenário do Senado aprovou na noite de terça-feira (29), após 7 horas de discussões, a Proposta de Emenda à Constituição 55 (PEC 55) que congela os investimentos públicos em saúde e educação pelos próximos 20 anos. Foram 61 votos a favor do massacre sobre o povo brasileiro e apenas 14 contrários.

O domingo (27) foi um marcado pela concentração de trabalhadores e trabalhadores, estudantes, aposentados e pensionistas na Av.Paulista – símbolo do poderio do poder econômico do país -, realizada na capital paulista. Um contingente de 40 mil pessoas protestou contra as reformas que o governo Temer pretende impor, entre elas, a PEC 55 (que está …

Ato contra a PEC 55 e pelo Fora Temer reúne 40 mil pessoas na Av.Paulista Leia mais »

Não é mágica, mas ilusionismo. A exposição de motivos formulada por Henrique Meirelles, atual ministro da fazenda aposentado aos 57 anos pelo Banco de Boston, é mais uma peça de ilusão elaborada por economistas.

Confira em detalhes a agenda de massacre sobre os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil para os próximos dias: Limite de gastos com saúde, educação, previdência e segurança pública; reforma política para sufocar a esquerda; fim do abuso de autoridades; regulamentação da terceirização; liberação geral da repatriação de recursos que estão no exterior para parentes de políticos; mudanças no cálculo e arrolamento da dívida pública; flexibilização da…

Nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira (11), diversas mobilizações de trabalhadoras e trabalhadores ganham força em todo o País. Trabalhadores da Frente Povo Sem Medo pararam e ocuparam fábricas, empresas e rodovias para chamar atenção contra a retirada de direitos que o governo Michel Temer tenta impor. Em São Paulo, as principais vias de …

Frente Povo Sem Medo realiza série de paralisações por todo o Brasil Leia mais »

Desde as primeiras horas da manhã desta sexta-feira (11), diversas mobilizações de trabalhadores e trabalhadoras ganham força em todo o País. Sindicatos ligados à Intersindical Central da Classe Trabalhadora param fábricas e empresas, ocupam praças e chamam a população para o debate contra a retirada de direitos que o governo Temer tenta promover.

A Intersindical – Central da Classe Trabalhadora e o Sindicato dos Bancários de Santos e Região (filiado à Central) realizam paralisações, nesta sexta-feira (11/11), das 21 agências bancárias no centro de Santos, das 10h às 12h, conforme “Calendário Nacional de Luta das Centrais Sindicais contra a PEC 55 (ex-241), Reformas Trabalhista e da Previdência”. “O …

Bancários paralisam agências em Santos contra reformas do governo Leia mais »

Saiba mais: → 11/11 – Dia Nacional de Greves começa forte em todo o País Cruzar os braços, paralisar a produção e a circulação pra defender direitos sociais, o serviço público e a soberania nacional. O movimento sindical comprometido com a classe trabalhadora prepara para o próximo 11 de novembro o Dia Nacional de Greves. …

11/11 é Dia Nacional de Greves Leia mais »

A investida dos três Poderes sobre os direitos sociais dos trabalhadores é devastadora e até parece orquestrada, como se houvesse uma distribuição de tarefas entre eles. O Poder Executivo cuida do ajuste fiscal, voltado ao corte de direitos; o Legislativo, dos marcos regulatórios, destinados a retirar o Estado da prestação de serviços e da exploração da atividade econômica; e o Judiciário, notadamente o Supremo Tribunal Federal (STF), da desregulamentação ou flexibilização dos direitos trabalhistas.

A PEC 241/16 – que congela os gastos federais para os próximos 20 anos, corrigindo-os pela inflação (IPCA), sufocando o serviço público, a saúde, educação e previdência para garantir o pagamento dos juros da dívida pública aos credores – foi aprovada em 2º turno por 359 votos a 116 na madrugada desta quarta-feira (26).

A votação em 2º turno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241 ocorreu debaixo de muito barulho em São Paulo e em diversas partes do Brasil. Milhares de pessoas ocuparam a Avenida Paulista na noite desta terça-feira, 26, para manifestar que a tramitação da PEC 241 não será pacifica.

Será realizado por 20 desembargadores que compõem o Órgão Especial do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, o julgamento do processo judicial que decide o futuro das 8 mil famílias (cerca de 30.000 pessoas) que compõem as três ocupações da Izidóra – Rosa Leão, Esperança e Vitória – que, em 3,6 anos de luta já construíram mais de 5.000 casas de alvenaria e são comunidades em franco processo de consolidação.

Em todo o país, movimentos sociais e centrais sindicais se uniram contra a retirada de direitos do governo Michel Temer em passeatas, paralisações de fábricas, campanhas de conscientização e atos de protesto. A Intersindical Central da Classe Trabalhadora reuniu seus militantes em diversas capitais do país. Edson Carneiro Índio, secretário-geral da Intersindical, lembra que “a …

Quinta-feira foi de manifestações em todo o país e ensaio para a greve geral Leia mais »

A paralisação nacional organizada pelas entidades sindicais e estudantis reuniu centenas de pessoas na manhã desta quinta-feira (22) para ato público com concentração no Mercado de São Brás. Com faixas e cartazes de protestos contra as políticas reducionistas dos direitos da classe trabalhadora os manifestantes seguiram em caminhada pela Avenida Nazaré até a Praça da …

Paralisação pelo piso, carreira e em defesa da democracia no Pará Leia mais »

Nesta quinta-feira (22) o SINAI-RN se juntou a sindicatos, centrais sindicais, entre elas a Intersindical, e movimentos sociais e estudantis para marchar pelo Dia Nacional de Paralisação.  Em Natal foi realizada uma aula pública em frente ao IFRN Central. Na ocasião, os alunos do Instituto, juntamente com os trabalhadores de diversos segmentos, debateram acerca dos …

Dia Nacional de Paralisação: SINAI-RN e entidades saem às ruas de Natal para protestar contra os cortes de direitos dos trabalhadores Leia mais »

Trabalhadores de diversas categorias se uniram na tarde desta quinta-feira, 22, para denunciar os ataques do governo Temer aos direitos trabalhistas, à Previdência Social e aos serviços públicos. Eles se concentraram na Praça Pio XII, no Centro de Vitória, e marcharam pelas ruas do Centro dialogando com a população sobre a necessidade de construir uma …

Trabalhadores denunciam ataques a direitos em ato no centro de Vitória (ES) Leia mais »

Em São Carlos, a paralisação no Dia Nacional de Paralisações, Rumo à greve Geral segue unitária entre os docentes e técnicos administrativos da Universidade Federal de São Carlos. Pela manhã foi realizado um debate sobre Auditoria Cidadã da Dívida. A paralisação atingiu os quatro campus da universidade (Araras, São Carlos, Sorocaba e Buri) e pela tarde …

Universidade de São Carlos tem paralisação unitária em seus quatro campi Leia mais »

Logo na madrugada, em Porto Alegre (RS), trabalhadores e trabalhadoras fizeram um piquete numa garagem da Companhia Carris de transporte público.  A Polícia Militar tentou reprimir a manifestação em ato no Dia Nacional de Paralisações, Rumo à greve Geral, mas os trabalhadores se reagruparam e continuaram em ato contra os ataques do Governo Federal e dos Governo Estadual …

Em Porto Alegre, PM tenta reprimir trabalhadores no Dia Nacional de Paralisações Leia mais »

A pauta de reivindicações do setor Químico se soma a de outras tantas categorias pelo país nesta quinta-feira (22) contra a  retirada de direitos, contra o desmonte do serviço público, contra a reforma da Previdência, a suspensão de aposentadorias por invalidez, contra a reforma trabalhista, terceirização e jornada de trabalho de 12 horas, entre tantos ataques que o governo Michel Temer vem promovendo contra os trabalhadores e trabalhadoras brasileiros. Especificamente, os químicos aproveitam a data para reivindicar também 14% de reajuste (o que equivale a 5% de aumento real), R$ 2.000 como piso salarial e Participação nos Lucros e Resultados (PLR) equivalente ao valor de 2 pisos salariais reajustados.

O Dia Nacional de Paralisação, Rumo a Greve Geral, Nenhum Direito a Menos já começou om a violência do Estado contra os trabalhadores que lutam contra a retirada de seus direitos, contra as Reformas Trabalhista e da Previdência do Governo Golpista de Michel Temer.

As mobilizações do dia 22/09 serão um importante passo na construção da greve geral e da resistência contra a agenda de retrocessos que o governo Temer quer impor. A Intersindical Central da Classe Trabalhadora, em conjunto com diversas outras centrais, entidades e movimentos sociais participa dessa construção unitária com a perspectiva de derrotar o desmonte do serviço público e dos direitos sociais que Temer prometeu ao grande capital e à direita em troca do apoio ao golpe que o levou, ilegitimamente, à presidência do país.

Com shows, poemas, falas das frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular, milhares de pessoas se reuniram no Vão Livre do Masp para mais um domingo de manifestações contra o governo golpista de Michel Temer, contra as retiradas de direitos em curso e por eleições direta

Alçado ao comando do país por meio de um golpe, perpetrado pelo grande capital e suas conexões na mídia, em setores do judiciário, no congresso e nos centros do império, Temer se esforça para mostrar aos donos do dinheiro e do poder de que é capaz de entregar tudo o que prometeu para se viabilizar como “presidente da república”. Por isso, o Fora Temer é uma necessidade que a cada dia vai sendo sentida por amplas camadas da sociedade

O Governo Michel Temer lançou na terça-feira (13) um pacote de 34 concessões e privatizações de empresas públicas, para os anos 2017 e 2018, que serão patrocinados com recursos públicos dos trabalhadores (FI-FGTS) e de bancos públicos, como Caixa e BNDES. Todos editais serão publicados em português e inglês para atrair os estrangeiros.

MAIS UM DOMINGO DE LUTA! Dia 04/09 mais de 100 mil foram paras as ruas em SP Proximo domingo vai ser maior! Fora Temer! Diretas Já! Nenhum direito a menos!

Uma nona marcha de manifestações contra o governo de Michel Temer, por eleições diretas e contra a retirada de direitos civis, trabalhistas e previdenciários foi realizada quinta-feira (9), em São Paulo, sob forte esquema de segurança por parte da PM. Cerca de 15 mil manifestantes das Frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular caminharam do …

PM cria mega operação para evitar marcha até a casa de Temer Leia mais »

O ato é convocado pelas Frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular. Concentração no Largo da Batata, na capital paulista, as 17h. A luta é por eleições diretas para Presidência da República. E pelo Fora Temer, que chegou ao comando do país através de um golpe. Vamos nos unir na defesa dos direitos sociais, trabalhistas e humanos que o governo golpista quer extinguir em benefício dos milionários do sistema financeiro.

Apesar da Secretaria de Segurança Pública de SP tentar coibir o ato marcado para este domingo (4), as Frentes Povo Sem Medo e  Brasil Popular reiteram em nota oficial que não se calarão diante de ameaças veladas e desculpas esfarrapadas. NOTA OFICIAL DAS FRENTES POVO SEM MEDO E BRASIL POPULAR A Secretaria de Segurança Publica de …

Manifestação garantida neste domingo em SP Leia mais »

O golpe perpetrado pelo grande capital para aplicar uma agenda de retrocessos sociais e transferir a renda pública, a renda do trabalho e os recursos naturais do Brasil foi consumado nesta quarta-feira (31), com o apoio maciço da grande mídia nacional e dos 60 senadores que votaram a favor do impeachment da presidenta Dilma Rousseff contra 21 que permaneceram na defesa da democracia.

Leia também: → Golpe consolidado. Hora de vencer a perplexidade e reunir forças para o combate de resistência! A maioria do Senado Federal acaba de chancelar a farsa e o golpe. A canalhice imperou. O ultraje à democracia e à Constituição Federal se constitui em declaração de guerra ao povo brasileiro. A Intersindical não apoiou a …

Farsa e golpe: a canalhice a serviço dos bilionários! Leia mais »

Integrantes de movimentos sociais e sindicais ocuparam ontem (29) diversas vias públicas do país e prometem fazer o mesmo nesta terça-feira (30) e quarta-feira (31) em protestos contra o golpe orquestrado pela direita conservadora para implementar uma política recessiva e antipopular por meio das reformas previdenciária e trabalhista, entre outras. Em São Paulo, a manifestação …

Protestos contra o golpe são massacrados e reprimidos com detenções em SP Leia mais »

Aconteceu nesta sexta-feira (26) o último dia do IV Congresso Internacional do trabalho ‘IV Congresso Internacional de Ciências do Trabalho, Meio Ambiente, Direito e Saúde: acidentes, adoecimentos e sofrimentos do mundo do trabalho’, na Faculdade de Direito da USP…

O “IV Congresso Internacional de Ciências do Trabalho, Meio Ambiente, Direito e Saúde: acidentes, adoecimentos e sofrimentos do mundo do trabalho” será realizado entre os dias 22 e 26 de agosto de 2016 no Salão Nobre da Faculdade de Direito da USP, em São Paulo. Ainda é possível se inscrever no Portal da Fundacentro, em …

IV Congresso Internacional ocorre entre os dias 22 e 26 em São Paulo Leia mais »

O auditório Domingos Galante, do Sindicato dos Químicos, no bairro da Liberdade, em São Paulo, foi tomado na última quinta-feira (11) por trabalhadores e trabalhadoras, representantes sindicais e de movimentos sociais, auditores do trabalho, procuradores e juízes, assustados com a artilharia pesada dos inúmeros projetos de lei que tentam dizimar os direitos sociais dos brasileiros …

Audiência Pública em SP contra a retirada de direitos é marcada por presença massiva e forte comoção Leia mais »

A iniciativa de criar Frente Parlamentar Mista pela Auditoria da Dívida Pública com Participação Social nasce após a constatação de que a dívida pública tem sido a justificativa do ilegítimo governo de Michel Temer para adotar medidas severas de ajuste fiscal, cortes de direitos sociais e desmonte do Estado. Hoje, a dívida pública consome mais …

Lançada a Frente Parlamentar Mista pela Auditoria da Dívida Pública Leia mais »

Evento será realizado entre 22 e 26 de agosto na cidade de São Paulo O IV Congresso Internacional de Ciências do Trabalho, Meio Ambiente, Direito e Saúde será realizado no Salão Nobre da Faculdade de Direito da USP, em São Paulo, entre os dias 22 e 26 de agosto de 2016. As inscrições podem ser …

Congresso aborda Trabalho, Meio Ambiente, Direito e Saúde Leia mais »