STF julga liberação da terceirização geral e irrestrita

STF julga liberação da terceirização geral e irrestrita

Intersindical mobilizada em Brasília no dia 29: STF julga liberação da terceirização na atividade fim

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

A Intersindical vai acompanhar em Brasília a sessão do STF que decidirá sobre a Terceirização na atividade fim.

O Supremo Tribunal Federal retoma no dia 29 de agosto o julgamento de ADPF e Recurso Extraordinário provocados por uma Entidade patronal e uma empresa. Ambas, tem como objetivo declarar constitucional a ampliação da Terceirização para todas as atividades, inclusive na atividade fim.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

A Súmula 331 do TST impede a Terceirização nas atividades fim das empresas e está sob análise de sua Constitucionalidade pelos Ministros do STF.

A Classe Trabalhadora tem obtido vitórias nos Tribunais, amparados principalmente pela Súmula 331, caso a proibição das empresas terceirizarem na atividade principal, seja considerada inconstitucional, teremos a Barbárie generalizada instituída nas relações de Trabalho.

Até agora foram realizadas três sessões pelo STF e o placar está 4 x 3, contrário aos interesses da Classe Trabalhadora.

Os votos dos ministros Ricardo Lewandowski, Edson Fachin e da Ministra Rosa Weber, foram favoráveis Classe Trabalhadora. Alexandre de Moraes, Luis Roberto Barroso, Luiz Fux e Dias Tóffoli, votaram pela ampliação da liberação de terceirizar nas atividades principais das empresas.

No dia 29, haverá nova sessão para concluir o julgamento. Faltam votar os Ministros Gilmar Mendes, Celso de Mello, Marco Aurélio Mello e a Ministra Carmen Lúcia.

A Intersindical estará mobilizada no dia 29, em Brasília.

“O que está em jogo neste momento no STF é a liberação de mais mortes, adoecimento, trabalho em regime análogo ao escravo e consolidação da barbárie nas relações e condições de trabalho, apenas uma justiça elitista e sintonizada com os interesses exclusivos dos grandes grupos econômicos, votaria pela liberação da terceirização nas atividades principais”, afirma Alexandre Caso, da Intersindical.


CLIQUE E ACOMPANHE A INTERSINDICAL NAS REDES

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários