Sindicatos reunidos em Passos, Sudoeste de MG, no Dia Nacional de Lutas, elaboraram o seguinte manifesto:

Sindicatos reunidos em Passos, Sudoeste de MG, no Dia Nacional de Lutas, elaboraram o seguinte manifesto:

Nenhum direito a menos

As entidades sociais e sindicais que assinam o presente MANIFESTO vêm a público informar que está declarada guerra contra o governo golpista de Michel Temer e todas as entidades e parlamentares que o apoiam na retirada de direitos trabalhistas e sociais.

Utilizando-se de falsa justificativa de que quer salvar o Brasil, Temer propõe uma pauta conservadora não eleita pelo povo brasileiro, que inclui a supressão de direitos históricos dos trabalhadores e trabalhadoras deste país. Dentre as medidas propostas está o aumento da idade de aposentadoria, aumento da jornada de trabalho, flexibilização das leis trabalhistas, terceirizações, retirada de recursos da saúde e educação, entrega do pré-sal e das empresas nacionais.

Temer diz que é preciso fazer sacrifícios. Aí vem a pergunta que não quer calar: que sacrifício está sendo proposto para os ricos?

O próprio Temer elegeu como prioridades a aprovação do PL 257 e da PEC 241. O PL 257, que atinge sobremaneira os servidores públicos, pois restringe reajustes salariais e concessão de vantagens, já foi aprovado na Câmara Federal e será analisado pelo Senado. Na votação da Câmara, ocorrida em 09/08/2016, 29 (vinte e nove) deputados federais de Minas Gerais, alguns deles com expressiva votação na região, votaram favoráveis ao PL 257, ou seja, contra os servidores públicos.

As entidades que assinam o presente manifesto decidiram, neste Dia Nacional de Lutas (22/09/2016) fazer ampla divulgação dos nomes dos deputados federais traidores que aprovaram o PL 257 e unificar a luta por nenhum direito a menos, com a compreensão de que o PL 257 atinge mais diretamente os servidores públicos e, em consequência disso os serviços públicos, e que é preciso a união de todos para barrar esse PL no Senado e impedir a aprovação das proposições que visam dificultar: ainda mais a aposentadoria, desmantelar o SUS e a educação pública e suprimir direitos de todas as categorias de trabalhadores. Tudo isso em benefício do mercado financeiro e dos empresários.

Decidimos também procurador os deputados federais através de seus apoiadores em cada município e cobrar deles posicionamento contra todas as proposições contrárias aos interesses dos trabalhadores e das trabalhadoras, com a advertência que faremos ampla campanha contra os parlamentares traidores e seus seguidores nos municípios.

Deputados Traidores de Minas Gerais que votaram favoravelmente ao PL 257:

PSDB – Bonifácio de Andrada, Domingos Sávio, Eduardo Barbosa, Marcus Pestana, Paulo Abi-Ackel e Rodrigo de Castro.

PMDB – Fábio Ramalho, Leonardo Quintão, Mauro Lopes, Rodrigo Pacheco e Saraiva Felipe.

PSD – Diego Andrade, Jaime Martins, Marcos Montes e Stefano Aguiar.

PP – Dimas Fabiano, Luiz Fernando Faria, Toninho Pinheiro.

DEM – Carlos Melles e Misael Varella.

PR – Aelton Freitas e Bilac Pinto.

PSB – Júlio Delgado e Tenente Lúcio

PHS – Marcelo Aro.

PROS – George Hilton.

PSL – Dâmina Pereira

PTdoB – Luis Tibé

Assinam: Sindicato de Servidores Públicos Municipais de Alpinópolis, Fortaleza de Minas, Itaú de Minas, Passos, e São José da Barra; SindUte, SINTEMAR, FORTES, MTL, INTERSINDICAL/MG.


INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Inscreva-se aqui em nosso canal no YouTube

Postagens Relacionadas

*

Top