Sindibancários/ES lança Coletivo LGBT

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

No dia Universal dos Direitos Humanos, 10 de dezembro, às 19 horas, será lançado no auditório do Sindicato dos Bancários/ES o Coletivo LGBT: grupo de estudo e trabalho para orientar a ação política da entidade na luta pelos direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais.

O lançamento do coletivo é a concretização de uma das propostas da gestão 2015-2018 que é o combate às opressões em todas as suas dimensões. Com o Coletivo LGBT, o Sindicato se compromete a realizar ações de enfrentamento ao preconceito contra pessoas LGBT e respeito à diversidade sexual na categoria bancária e também em toda a sociedade.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

“Esse é um importante passo do Sindicato na luta pela igualdade de direitos e de oportunidades dentro dos bancos e na sociedade. O coletivo será espaço para discussão de ideias e elaboração de propostas para avançarmos da garantia dos direitos dos gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais em todos os espaços”, enfatiza a diretora do Sindibancários/ES, Evelyn Flores Tavares.

Para o lançamento, o grupo prepara uma mesa de debates com o tema “Os desafios da luta LGBT – vencendo preconceitos e construindo identidades” e conta com a participação de André Tosta, bancário da Caixa e Coordenador Colegiado do Fórum LGBT do ES; Deborah Sabará, Presidenta do Grupo Orgulho, Liberdade e Dignidade (GOLD) e Tuanne Almeida, militante do Setorial Nacional LGBT do Coletivo RUA.

Censo da Diversidade

O II Censo da Diversidade, uma conquista da categoria na Campanha de 2012, realizado ano passado incluiu no questionário uma pergunta referente à orientação sexual e identidade de gênero das bancárias e dos bancários. O censo foi respondido por 187.411 bancários, de 18 instituições financeiras, o que representa 41% da categoria. E de acordo com os dados, 1,9% dos entrevistados se declararam homossexuais e 0,6%, bissexuais. Apenas 12,4% optaram por não responder, o que significa baixa rejeição ao tema.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários