Servidores de Porto Alegre decidem por greve a partir do dia 15, após manobra de Marchezan (PSDB-RS)

Servidores de Porto Alegre decidem por greve a partir do dia 15, após manobra de Marchezan (PSDB-RS)

Servidores de Porto Alegre decidem por greve a partir do dia 15, após manobra de Marchezan (PSDB-RS)

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Violência contra os Servidores Municipais de Porto Alegre e manobra de Marchezan

Os Servidores Municipais de Porto Alegre realizaram uma assembleia geral extraordinária na tarde desta quinta-feira (12) e deliberaram entrar em greve a partir do dia 15 de julho. Os trabalhadores do Legislativo Municipal também decidiram aderir à greve.

O estado de greve se deu por contra dos projetos de lei que tratam da Previdência Complementar (PLCE 07/18) e da carreira da categoria (PLCE 08/18), colocados em votação após manobra do prefeito Nelson Marchezan (PSDB-RS).

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Nesta quarta-feira, dia 11, trabalhadores e trabalhadoras que servem ao município foram violentamente agredidos pelo Pelotão de Operações Especiais (POE), da Brigada Militar, na Câmara Municipal de Porto Alegre.

Nelson Marchezan (PSDB-RS), após manobra na reunião do Colégio de Lideres, apresentou para votação os projetos, um deles que pode reduzir em 40% o salário dos servidores e outro que pode desmontar ainda mais os serviços públicos.

Apesar da votação repentina, o funcionalismo, em uma demonstração de unidade, conseguiu se dirigir à Câmara Municipal, onde apenas uma parte pode entrar. Enquanto isso, o Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (SIMPA) tentava negociar a entrada completa dos trabalhadores para acompanhar a votação, como é de direito.

No entanto, o que ocorreu na sequência é digna de uma cilada armada pelo Presidente da Câmara, Valter Nagelstein (PDMB-RS).

Os servidores municipais que estavam do lado de fora tiveram sua passagem liberada para, logo em seguida, já dentro da Câmara dos Vereadores, serem recebidos a pancadas pelo POE e Brigada Militar.

Bernadete Menezes, Coordenadora Geral licenciada da Assufrgs Sindicato e Direção Nacional da Intersindical, comentou o ocorrido em um vídeo divulgado em seu perfil no Facebook: “Neste vídeo vemos, ao final, claramente, UM POLICIAL, a mando de Marchezan e do Presidente da Câmara, QUEBRANDO OS QUADROS DOS VEREADORES! Um crime para tentar incriminar os municipários! Mas está filmado e será divulgado para o mundo como funciona a política do PSDB e PMDB nos bastidores!”

Assista ao vídeo abaixo e, em seguida, a foto do quadro:

Foto: Guilherme Santos

Texto: Alexandre Maciel / Assessoria de Comunicação da Intersindical


CLIQUE E ACOMPANHE A INTERSINDICAL NAS REDES

Facebook Intersindical

Instagram Intersindical

YouTube Intersindical

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários