Servidores da saúde catarinense estão mobilizados para garantir direitos

Servidores da saúde catarinense estão mobilizados para garantir direitos

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

O Estado de Santa Catarina tem sido notícia nacional quando se trata de saúde nesse período de pandemia pelo novo coronavírus. Nos últimos meses, bastante se falou sobre o escândalo envolvendo o Governo Moisés (PSL) na compra de respiradores a preços muito acima do mercado e de empresas que nem sequer trabalhavam com fornecimento deste tipo de equipamento.

Nesse período, secretários de estado deixaram o cargo (inclusive o de saúde), uma CPI para apurar a situação foi instalada, prisões aconteceram e as investigações ainda seguem.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

E já sob a nova gestão da Secretaria de Estado da Saúde, do médico André Motta, o Governo do Estado editou a Medida Provisória 228 que entrou em vigor em 01 de junho. A MP tem como propósito estabelecer medidas que auxiliem no combate à pandemia. Entre as medidas adotadas, está uma Gratificação Transitória (válida por 120 dias) para uma parcela dos profissionais de saúde.

No entanto, a Medida estabelece que todos os profissionais médicos em exercício estariam expostos ao Covid, e portanto receberiam a Gratificação, mas para os demais profissionais o direito só é reconhecido aos que trabalham em UTIs e Emergências. Ou seja, o mesmo princípio válido aos colegas de profissão do Secretário não vale aos demais profissionais de saúde! A última proposta apresentada pelo Governo, criaria diferenças de absurdas 20X entre as gratificações dos profissionais médicos para os demais profissionais.

Vale lembrar que o Brasil é líder mundial em óbitos entre profissionais de enfermagem por Covid-19, e o Estado de Santa Catarina já soma mais de 1100 profissionais de enfermagem contaminados. Além disso, outros diversos profissionais de diferentes áreas e funções, em trabalho conjunto, garantem o atendimento em saúde no dia a dia. Nenhuma profissão é capaz de garantir atendimento em saúde sozinha!

O SindSaúde/SC, filiado a Intersindical, e a categoria dos servidores públicos em saúde no Estado tem se mobilizado desde a edição da MP, exigindo que esses direitos sejam estendidos a todos e inclusive considerando gradações diferentes de risco. Foram realizadas assembleias regionais em diversos locais de trabalho, atos e mobilizações, sempre respeitando o distanciamento social e com uso de equipamentos de proteção, até que o Estado reabriu a mesa de negociação nesta semana.
A pressão tem se dado tanto no processo de negociação com a Secretaria de Estado da Saúde quanto na Assembleia Legislativa, pela aprovação de emendas ao texto da Medida Provisória que tramita na casa. Novas mobilizações são previstas para a próxima semana caso as negociações não avancem.

Os profissionais de saúde não aceitarão ser desrespeitados dessa forma, especialmente no momento em que vemos colegas perdendo a saúde e até a vida no trabalho!
Apoie essa luta pela valorização dos profissionais de saúde.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários