Senadores aprovam urgência para votação de reforma trabalhista

Senadores aprovam urgência para votação de reforma trabalhista

Votação Reforma Trabalhista

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Saiba mais:
→ Manifestação 10/07, no MASP: Não a Reforma Trabalhista!
→ Manter a mobilização e intensificar a pressão sobre o Senado. Não à reforma trabalhista!
 Reforma trabalhista: estudo aprofundado do CESIT aponta regressão


Por 46 votos a 19, os senadores aprovaram na terça-feira (4/07), a urgência para a votação do PLC 38/17 no plenário do Senado Federal.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

O desmonte da CLT e de toda a legislação trabalhista poderá ser votado já na próxima terça-feira (11), por acordo de líderes celebrado antes da votação da urgência.

A proposta da reforma trabalhista vai ter a discussão iniciada na sessão desta quarta-feira (5).

A votação de urgência indica grande probabilidade de o Senado aprovar na íntegra a matéria que já foi aprovada a toque de caixa pela Câmara dos Deputados, no dia 26 de abril.

Se o texto for aprovado segue direto à sanção presidencial.

Pressão

De quarta (5) até a próxima terça (11), quando o projeto será votado, o plenário vai realizar sessões de debates da matéria. Hoje, a partir das 14 horas, o plenário realiza discussão da reforma trabalhista.

Todos senadores inscritos poderão falar pelo tempo regimental, no limite de 22h.

Na quinta-feira (6), entre 11 e 14h, o plenário realiza nova sessão de discussão.

Na terça que vem, os líderes encaminham a votação do texto aprovado na Câmara, a partir de 11h, e, em seguida, votam o projeto.

Regime de urgência

Em regime de urgência, a reforma trabalhista segue tramitação especial. Na discussão, os senadores podem falar apenas uma vez e por 10 minutos cada — cinco a favor e cinco contra a proposta.

Mas o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) avisou que vai conceder a palavra a todos que se inscreverem.

Até a última sexta-feira (30), já havia 13 emendas de plenário, todas do senador Paulo Paim (PT-RS).

Essas sugestões para mudar a reforma trabalhista não precisam voltar para a análise das comissões. Recebem parecer em plenário.

O PLC 38/17 recebeu pareceres divergentes durante a tramitação: dois a favor (CAE e CCJ) e um contra (CAS) a proposta.

No plenário, a tendência é de que o projeto seja votado nos termos do último parecer.

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado


INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Inscreva-se aqui em nosso canal no YouTube

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários