Senado aprova cláusula de barreira para exterminar a representação política da esquerda e a possibilidade de reorganização popular

Senado aprova cláusula de barreira para exterminar a representação política da esquerda e a possibilidade de reorganização popular

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Leia também:
11/11 – Dia Nacional de Greves começa forte em todo o País


Se a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabelece cláusula de barreira para as legendas que irão disputar as próximas eleições de 2018 for aprovada no Senado e na Câmara, legendas ideológicas – como PSOL, PPS, PCdoB e Rede – estariam fora da representatividade do Congresso, do acesso ao programa eleitoral no rádio e na TV e ao fundo partidário.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

A tramitação desta PEC avançou ontem no Senado. O plenário aprovou na noite de quarta-feira (9), em 1º turno, que os partidos terão de obter, no mínimo, 2% dos votos válidos para a Câmara dos Deputados, em 14 unidades da Federação, para ter representatividade no Congresso, acesso ao fundo partidário e ao programa eleitoral de rádio e TV. O porcentual de desempenho sobe para 3% a partir de 2022.

A proposta ainda tem que ser votada em 2º turno no Senado e depois passar pela Câmara dos Deputados. “A Reforma Eleitoral aprovada no Senado nesta quarta é uma afronta à democracia e cerceamento do direito de manifestação de pensamento, onde quem contesta e aponta as falcatruas do status quo e não pode ser ouvido pela população, que é sempre a atingida  pelos donos do poder de plantão”, disse Francisvaldo Mendes, da Direção Nacional do PSOL.

Durante a discussão no plenário, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), apresentou uma sugestão para flexibilizar os porcentuais de desempenho: a cláusula seria de 1% em 2018, 1,5% em 2022 e 2% em 2026. Tais porcentuais poupariam legendas consideradas ideológicas, como Rede, PSOL, PPS, PV e PCdoB. Mas a proposta acabou derrotada.

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais antigos
Mais recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Isis
Isis
4 anos atrás

De volta o AI2! Está tudo tão claro!