Sem avanços, negociações entre SINAI e Governo esbarram no limite prudencial

Sem avanços, negociações entre SINAI e Governo esbarram no limite prudencial

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
As negociações da Campanha Salarial 2015 entre o SINAI e o Governo ainda não avançaram. Isto porque o executivo, na última audiência com o SINAI-RN, realizada na quinta-feria (25), alega que o limite prudencial e a Lei de Responsabilidade o impedem de conceder aumento salarial e a atender os demais pontos da pauta dos trabalhadores. 
 
Na última audiência, o Sindicato apresentou ao governo, mais uma vez, a pauta de reivindicações dos trabalhadores das 13 categorias que compõem a base do SINAI, com destaque para a data base e a realização de concurso público para os vários setores.
 
De acordo com o Secretário Geral do SINAI-RN, Santino Arruda, os representantes do governo reconheceram que é necessário fixar uma data para o aumento e reposição das perdas salariais dos servidores do RN. Entretanto, disseram que neste momento “não há a menor possibilidade”, alegando o limite prudencial e a Lei de Responsabilidade Fiscal.
 
Contudo, o SINAI rebateu o argumento do Governo ao apresentar um estudo do Tribunal de Contas do Estado (TCE). “Na ocasião, fundamentamos que a Lei não permite que se reajuste os salários do funcionalismo caso o executivo esteja no seu limite prudencial, no entanto, não veta a reposição salarial dos profissionais do estado. E a Constituição diz que o governo é obrigado a encaminhar a mensagem à Câmara”, explica o Secretário.  
 
Segundo Santino, a Secretária Adjunta do governo afirmou que somente a partir de setembro o executivo vai rever as perdas salariais: “Segundo a secretária, só a partir do segundo quadrimestre, após a publicação do relatório fiscal em 30 de setembro, é que o Governo olhará mais uma vez para rever as perdas dos últimos 5 anos do funcionalismo público estadual”. 
 
Quanto a concurso público, o executivo disse que não há previsão de abrir nenhum processo. “Nos disseram que não há ainda sequer a possibilidade de nomear os concursados do DETRAN, tampouco para outras categorias”. 
 
Segundo Santino, o Governo, fará apenas contratações, em forma de substituição, quando necessário, na forma que a Lei prevê, para as áreas da saúde, educação e segurança.
 
Também ficou encaminhado que o governo vai realizar audiências específicas com cada um dos 13 órgãos, coordenadas pelo Gabinete Civil e os gestores das empresas, fundações e autarquias.
Fonte: Sinai-RN

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários