Santander, Sérgio Rial e os jagunços do Mercado

Santander, Sérgio Rial e os jagunços do Mercado

Santander, Sérgio Rial e os jagunços do Mercado - INTERSINDICAL

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Entusiasta das Reformas Trabalhista e Previdenciária, Rial encontra nelas um campo livre para contratar por hora (trabalho intermitente), terceirizar, pejotizar e explorar de forma selvagem o bancário. Livra-o de direitos trabalhistas e da justiça do trabalho. Rial não tem compromisso com o Brasil e os trabalhadores  

Não contente em ganhar bilhões explorando e assediando os bancários no Brasil, o presidente do Santander Brasil, Sérgio Rial, afirmou que seria melhor para o País que a Reforma da Previdência fosse iniciada ainda este ano, mas admitiu que o assunto está à mercê de decisões políticas. “Espero que a reforma aconteça ou o início do processo reformista. É melhor começar esse processo de reforma da previdência, que tem de ser feito”, avaliou o executivo.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Entusiasta também da Reforma Trabalhista porque o deixa livre para contratar por hora (trabalho intermitente), terceirizar, pejotizar e explorar de forma selvagem o bancário. Livra-o de direitos trabalhistas e da justiça do trabalho. Rial não tem compromisso com o Brasil e os trabalhadores. Ele é a personificação do Mercado, que não quer saber se o bancário e seus filhos vão sofrer ao cortarem seus salários, benefícios, direitos, empregos e a aposentadoria. Ou ainda, se o País vai ser mais justo, se a qualidade de vida vai despencar, se todos terão saúde e educação ou se a miséria vai tomar conta das ruas.

Rial luta para dar lucro ao banco, se agarrar ao poder e o resto que se exploda. Como raciocina o Mercado e seus jagunços no Brasil: o ministro da Fazenda Henrique Meirelles, o Presidente golpista e corrupto Michel Temer, o Presidente da Câmara Federal também envolvido em corrupção, Rodrigo Maia, mais de 300 deputados e senadores, como Aécio Neves; diversos governadores como Alckmin e prefeitos como Doria e Magalhães Neto!

Na visão de Rial, certo ou errado, Temer está comprometido com as reformas que regularizam a escravidão. “Não sou capaz de dizer se vai sair ou não a Reforma da Previdência que também não vai resolver a questão com uma bala de prata, mas é preciso que se inicie esse processo”, disse ele, acrescentando que a existência do debate já é positivo. Um debate mentiroso, porque contrariando as expectativas do governo Michel Temer, a CPI da Previdência Social no Senado concluiu, segunda-feira (23), que não existe deficit.

“É importante destacar que a Previdência Social brasileira não é deficitária. Ela sofre com a conjunção de uma renitente má gestão por parte do governo, que, durante décadas: retirou dinheiro do sistema para utilização em projetos e interesses próprios e alheios ao escopo da previdência; protegeu empresas devedoras, aplicando uma série de programas de perdão de dívidas e mesmo ignorando a lei para que empresas devedoras continuassem a participar de programas de empréstimos e benefícios fiscais e creditícios; buscou a retirada de direitos dos trabalhadores vinculados à previdência unicamente na perspectiva de redução dos gastos públicos; entre outros”, resume o senador Hélio José em seu relatório da CPI.

Permanência de Temer no Poder

Santander, Sérgio Rial e os jagunços do Mercado | INTERSINDICAL
São Paulo – O presidente do Santander Brasil, Sérgio Rial, e o presidente Michel Temer durante abertura da 18ª Conferência Anual Santander (Beto Barata/PR)

Sobre a permanência de Temer na presidência, após a Câmara rejeitar a segunda acusação da Procuradoria Geral de República (PGR) contra ele por crime de corrupção passiva, ainda que com menor apoio, o presidente do Santander disse que não cabia a ele fazer uma avaliação. O que interessa a Rial é o lucro em cima dos explorados, sejam trabalhadores ou clientes. O Temer é corrupto, mas serve ao Mercado, isso que interessa e ponto!

“Houve o que já se sabe e o Congresso se posicionou. Ponto. A vida segue. A equipe econômica não é o único, mas um dos grandes trunfos que tivemos. Se compararmos o Brasil de alguns anos atrás e hoje, melhoramos em todos os quesitos”, analisou o presidente do Santander Brasil.

Ele disse ainda que espera impactos positivos (para os banqueiros) da reforma trabalhista que começa a vigorar no próximo mês. Comemorou ainda o avanço do cadastro positivo. “É algo (o cadastro positivo) extremamente importante para o sistema financeiro. Ter o cadastro positivo aprovado é fundamental para a melhoria do ambiente de taxa de juros no País”, concluiu o presidente do Santander.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Santos e Região / Fotos: Beto Barata/PR


INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Siga-nos no INSTAGRAM
Inscreva-se aqui em nosso canal no YouTube

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários