Reforma trabalhista vai ao plenário do Senado entre 5 e 12 de julho

Reforma trabalhista vai ao plenário do Senado entre 5 e 12 de julho

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Saiba mais:
→ Greve Geral: Bloqueios em ruas e rodovias contra as Reforma Trabalhista e Previdenciária, pelo Fora Temer e Diretas Já
→ Greve Geral: desde a madrugada com trabalhadores nas ruas em defesa da aposentadoria e dos direitos trabalhistas!


Só a luta e a resistência desta GREVE GERAL de 30/06 terão o poder de conter o desmonte dos direitos trabalhistas e do mercado de trabalho formal no Brasil. A Intersindical Central da Classe Trabalhadora convoca todos os sindicatos, movimentos sociais, igrejas e associações a se juntarem aos protestos da próxima sexta-feira, por todo o país. O retrocesso ao regime escravagista proposto pelo governo Temer será colocado em última instância de votação pelo plenário do Senado já no início de julho (entre os dias 5 e 12). Isso significa que na volta das férias escolares muitos pais poderão perder o emprego ou serão obrigados a jornadas extenuantes de trabalho, sem vínculo empregatício e sem a possibilidade de recorrerem à Justiça do Trabalho. 

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Por 16 votos a 9, com uma abstenção, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou na quarta-feira (28), o Projeto de Lei 38/2017 que promove a reforma trabalhista patrocinada pelo grande capital. Agora o projeto segue para votação em regime de urgência pelo plenário do Senado. Se for aprovado vai direto à sanção presidencial.

A reunião da CCJ se encerrou às 23h55, após a votação dos destaques (todos derrubados pelo governo), em meio a uma grande confusão.

Isso porque para garantir o regime de urgência na tramitação da reforma, o que permite o envio imediato do texto para o plenário, o presidente da Comissão, senador Edison Lobão (PMDB-MA), usou a tática costumeira de tratorar o processo. Fez uma votação pro forma, pronunciando a frase: “os que forem a favor permaneçam como estão”.

Com isso, considerou a urgência aprovada e encerrou rapidamente a sessão, sob fortes protestos da oposição.

Por isso a votação da Reforma Trabalhista no Senado está prevista para ocorrer já nos próximos dias 5 a 12 de julho, ou seja, antes do recesso parlamentar.

Diante do risco de ser aprovada, o senador Paulo Paim (PT-RS) – um dos parlamentares que mais defende a classe trabalhadora no Congresso -,  conclama a população a fazer “um grito silencioso do Brasil contra as reformas nesta sexta-feira, dia 30, dia da GREVE GERAL, numa grande mobilização social”.

Agora é hora de marcar cada senador e fazer pressão em cada um deles, nas redes sociais, nos gabinetes, entre os seus familiares e na porta da casa deles!

ACOMPANHE COMO VOTARAM OS SENADORES DA CCJ

– Votos SIM à reforma trabalhista (a favor de Michel Temer e contra os trabalhadores):

Jader Barbalho (PMDB/PA)

Romero Jucá (PMDB/RR)

Simone Tebet  (PMDB/MS)

Valdir Raupp (PMDB/RO)

Marta Suplicy  (PMDB/SP)

Paulo Bauer (PSDB/SC)

Antônio Anastasia (PSDB/MG)

Ricardo Ferraço (PSDB/ES)

José Serra (PSDB/SP)

Maria do Carmo (DEM/SE)

Benedito de Lira (PP/AL)

Wilder Morais  (PP/GO)

Roberto Rocha (PSB/MA)

Armando Monteiro (PTB/PE)

Eduardo Lopes (PRB/RJ)

Cidinho Santos (PR/MT)

– Votos NÃO à reforma trabalhista (a favor da classe trabalhadora)

Eduardo Braga (PMDB/AM)

Jorge Viana (PT/AC)

José Pimentel (PT/CE)

Fátima Bezerra (PT/RN)

Gleisi Hoffmann  (PT/PR)

Paulo Paim (PT/RS)

Ângela Portela  (PDT/RR)

Antônio Carlos Valadares  (PSB/SE)

Randolfe Rodrigues (REDE/AP)

1 Abstenção

Lasier Martins (PSD/RS)


INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Inscreva-se aqui em nosso canal no YouTube

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários