R$ 55 bi para aprovar a reforma da previdência

R$ 55 bi para aprovar a reforma da previdência

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Saiba mais:
MP parcela débitos com INSS em troca de apoio à reforma da Previdência
Michel Temer compra votos de devedores do Fisco para aprovar a reforma da Previdência


As negociatas para aprovação da reforma da previdência avançava nas casas antes do surgimento dos áudios envolvendo Michel Temer e os donos da JBS. No balcão, votos e apoios são comprados descaradamente com perdão de dívidas previdenciárias, movimentando um montante vergonhoso – R$ 55 bi – valor que, se fosse pago ao INSS, com certeza cobriria o tal déficit das contas.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Além de negociar cargos e verbas com as bancadas de sua base em troca de votos, todo o esquema para garantir apoio em escala nacional para a aprovação da reforma da previdência já estava desenhado e ficou evidente com a proposta de parcelamento de dívidas dos Estados e municípios com o INSS e o chamado Super-Refis para empresas.

Segundo informações divulgadas pelo Estadão, só as prefeituras devem aproximadamente R$ 75 bilhões ao INSS. Com a adesão ao programa Refis, terão cerca de R$ 30 bilhões do total de suas dívidas previdenciárias perdoados.

Os descontos para municípios e Estados são de 25% em multas e encargos, além de 80% menos na taxa de juros sobre as dívidas. Com as medidas, o governo federal pode amargar ainda R$ 23 bilhões de prejuízo nos cofres públicos, por conta da remodelação do Programa de Regularização Tributária – PRT para Super-Refis, que pretende anistia total de juros e multas sobre o cálculo das dívidas ativas.

O montante perdoado, negociado em troca de apoio para a aprovação dos termos da reforma da previdência, se pago pelos devedores ao INSS – Estados, prefeituras e empresas da iniciativa privada – certamente seria a solução para um dos principais argumentos do governo para justificar a necessidade da reforma – o tal déficit [não comprovado] nas contas previdenciárias.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários