fbpx

Proposta da Fenaban de 5,5% é rejeitada pelos bancários

Assembleia dia 1º para deflagrar greve dos bancários, a partir de 6/10. O reajuste de 5,5% é bem abaixo da inflação de 9,88% registrada no período pelo INPC. Embora os banqueiros falem em crise, obtiveram o magnífico lucro de R$ 36,1 bilhões, no 1º semestre deste ano. Esse resultado, alcançado BB, Caixa, Itaú, Bradesco e Santander é 27,4% maior que o mesmo período de 2014

Depois de seis rodadas de negociação, nesta sexta (25/10), a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) fala em crise e oferece 5,5% de reajuste aos bancários sobre os salários, a PLR e demais verbas de caráter salarial, mais abono de R$ 2,5 mil. Foi rejeitada na mesa de negociação, pelo Comando Nacional dos Bancários. A categoria reivindica 16% de aumento salarial. “Este índice não repõe nem a inflação de 9,88% medida pelo INPC”, diz Ricardo Saraiva Big, Presidente do Sindicato dos Bancários de Santos e Região.

Assembleias

Portanto, os bancários da Baixada Santista farão duas assembleias, a primeira para deflagrar greve, dia 01/10 (quinta-feira), às 20h, na Av. Washington Luiz, 140, sede do Sindicato dos Bancários de Santos e Região. A segunda para organizar a greve, dia 05/10, também no Sindicato, às 19h. Os banqueiros rejeitaram todas as reivindicações sobre emprego, saúde, segurança, condições de trabalho e igualdade de oportunidades.

Bancos lucram com crise ou sem crise

“As instituições bancárias ganham com crise ou sem crise econômica, seja internacional ou nacional, para os bancos é rotina. Mas são os funcionários responsáveis por todo esse resultado e por isso exigimos 16% de reposição da inflação mais 5,7% de perdas salariais”, afirma Big.

“Em todas as campanhas os bancos vêm com a mesma conversa de crise. Conforme os lucros, não há crise para os banqueiros. A crise afeta sim os trabalhadores bancários sobrecarregados, cansados e assediados por metas e demissões. Exigimos a nossa parte destes lucros bilionários e melhores condições de trabalho e o fim das demissões, além de mais contratações. Para isso, precisamos da mobilização da categoria”, afirma Eneida Koury, Secretária Geral do Sindicato.

Principais reivindicações da Campanha Salarial 2015

-Remuneração

Reajuste salarial de 16% (incluindo reposição da inflação mais 5,7% de perdas salariais); PLR: Três salários mais R$7.246,82 ; Piso do Dieese: R$3.299,66 (junho/2015); Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$788,00 ao mês para cada (salário mínimo nacional) e melhores condições de trabalho com o fim das metas e o assédio moral.

-Emprego

Fim das demissões, mais contratações, fim da rotatividade e combate as terceirizações diante dos riscos de aprovação do PLC 30/15 no Senado Federal, além da ratificação da Convenção 158 da OIT, que coíbe dispensas imotivadas; plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) para todos os bancários; auxílio-educação: pagamento para graduação e pós.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Santos e região

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail

*

Top