Projeto que transforma trabalhadores em insumos sai da pauta de votações do Senado

Projeto que transforma trabalhadores em insumos sai da pauta de votações do Senado

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Saiba mais:
→ Senado vota a qualquer momento o projeto que transforma trabalhadores em insumos


O PLS 218/2016, que cria a modalidade de contrato intermitente de trabalho – onde o trabalhador ganha o mesmo valor hora que um trabalhador fixo, mas sem direitos – saiu da agenda de votações do Senado e voltará para análise da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) e da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Uma verdadeira luta foi travada no dia de ontem (11) para evitar que os trabalhadores e trabalhadoras brasileiros se tornassem insumos como água e luz, que só recebem sob demanda e sem qualquer proteção social.

Diante da inclusão do PLS na agenda de votações de terça -feira (11), o  senador Paulo Paim (PT-RS) apresentou requerimentos para que o projeto passasse também pela análise da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) e Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

Um acordo acabou costurado para que a proposta passasse apenas por duas comissões.  O líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR), aceitou que o projeto retornasse à CAS e à CCJ. A única ressalva que fez para adiar a votação do texto e passar por duas comissões nos próximos dias foi para que o senador Armando Monteiro (PTB-PE), relator da matéria na CAS também a relatasse na CCJ.

Lobby do patronato

Armando Monteiro (PTB-PE) foi ex- presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) durante dois mandatos. Foi dele a alteração para criar o contrato intermitente de trabalho, onde o empregador paga apenas pelas horas e não tem outros encargos trabalhistas.

Alexandre Caso da Intersindical Central da Classe Trabalhadora, explica que o lobby do patronato para aprovar essa lei absurda  tenta tornar o  trabalhador  em um insumo e substituir o emprego fixo em carteira pelo emprego temporário ou  na modalidade intermitente.

“Você consome luz, água e gás e paga pela quantidade usada…  o trabalhador vai ser comparado a isto porque ele só vai receber pelas horas efetivamente trabalhadas, sem os direitos adquiridos pelo contratado com carteira assinada “.

“Agora é hora de pressionar nas comissões, fazer alarde, movimentar as redes sociais e não permitir que mais um projeto que acaba com os direitos trabalhistas e a segurança dos trabalhadores seja aprovado pelo governo Temer”, afirma Caso.

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Inscreva-se em nosso canal no YouTube

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

#ForaBolsonaro - Próxima Mobilização: 24 de Julho
#ForaBolsonaro - Próxima Mobilização: 24 de Julho
Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários