fbpx

PM de MG despejou na manhã desta segunda-feira cerca de 200 famílias das Ocupações Maria Vitória e Maria Guerreira, em Belo Horizonte

“Nota pública de denúncia e de clamor por sensatez” emitida nesta manhã pelas Brigadas Populares de Minas Gerais

Dona Efigênia, durante vigília, nessa noite fria de Belo Horizonte, MG, clama para que as 200 famílias das Ocupações Maria Vitória e Maria Guerreira, no bairro Copacabana (rua Blumenau, próximo aos bairros Santa Amélia e São João Batista, na zona Norte de BH), em Belo Horizonte, MG, não sejam despejadas SEM ALTERNATIVA DIGNA PRÉVIA.

Mas hoje, às 06h, a Polícia Militar de MG chegou com grande efetivo policial e já cercou a área para despejar.

O povo está organizado e resistirá ao despejo. A tensão é muito grande no local. Já fizeram barricadas. As Brigadas Populares acompanham as ocupações Maria Vitória e Maria Guerreira e muitas pessoas da Rede de Apoio já estão no local.

Apelamos ao governador Pimentel e ao Comandante Maior da PM de MG, Cel. Marcos Bianchine, para que não despeje sem alternativa digna, sem diálogo e sem negociação.

Apelamos também ao TJ-MG para que cumpra o que prescreve o Novo Código de Processo Civil, que exige audiência prévia e negociação até encontrar alternativa digna prévia. As Ocupações Maria Vitória e Maria Guerreira já tem 1,4 ano de existência nunca se negaram a negociar. Buscaram a Mesa de Negociação. Havia um processo de negociação na Mesa, mas estamos sendo atropelados pela PM de MG.

O desembargador Alberto Diniz, presidente do CEJUS (Centro de Conciliação do TJ-MG) chegou a dizer na TVC/BH, que estava fechando um acordo bom com as Ocupações Maria Vitória e Maria Guerreira e assumiu compromisso dizendo que as famílias dessas duas ocupações não seriam despejadas SEM ALTERNATIVA DIGNA.

A prefeitura de BH, como sempre na gestão Márcio Lacerda, requereu reintegração de posse, foi e continua sendo intransigente pressionando o tempo todo para o despejo. Despejar SEM ALTERNATIVA DIGNA PRÉVIA em um tempo de FRIO com mês de junho em BH é falta de humanidade. Vai não apenas jogar as famílias nas intempéries da rua, mas no frio que adoecerá muita gente.

Despejar assim pode ser matar direta e indiretamente muita gente, o que é desumanidade, além de injustiça e inconstitucionalidade. E a dignidade humana não precisa ser respeitada? A tropa de choque da Guarda Municipal da Prefeitura de Belo Horizonte também está fazendo o despejo. O terreno estava abandonado e voltará a ficar abandonado. As famílias vão viver no ar?

Assinam essa Nota:

  • Brigadas Populares,
  • Comissão Pastoral da Terra (CPT)
  • Coordenação das Ocupações Maria Vitória e Maria Guerreira
  • Rede de Apoio.

Belo Horizonte, MG, Brasil, 20 de junho de 2016, às 07h35

Leia mais:
PM de BH não permite que jornalistas atuem na cobertura do despejo (link para vídeo no Facebook)
→ Ocupações Maria Guerreira e Maria Vitória ocupam a Casa dos Direitos Humanos em denuncia ao despejo na próxima segunda-feira (20)

Foto: Brigadas Populares

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail

*

Top