Pesquisa mostra que em 2015 houve avanço de 97,6% nas demissões no setor bancário

Pesquisa mostra que em 2015 houve avanço de 97,6% nas demissões no setor bancário

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

De acordo com a Pesquisa de Emprego Bancário (PEB), divulgada pela Contraf, em 2015 os bancos brasileiros fecharam 9.886 postos de trabalho. Esse número representa quase o dobro se comparado a 2014, quando foram extintos 5.004 empregos nos bancos. Ou seja, houve um avanço de 97,6% nas demissões.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail em nossa newsletter.

“Nos bancos privados as demissões têm origem principalmente na reestruturação do sistema financeiro, compra de bancos, fusões, inovações tecnológicas e avanço das terceirizações. No setor público, as demissões dialogam diretamente com a crise, pois o governo não autoriza a contratar mais funcionários”, afirma o diretor do Sindicato dos Bancários/ES, Carlos Pereira de Araújo, o Carlão.

Ele destaca, ainda, algumas das consequências da não contratação de funcionários por parte das instituições financeiras. “Isso acarreta a redução do número de trabalhadores nas agências e departamentos, provocando o adoecimento de bancários e bancárias. Muitos passam a ter, por exemplo, doenças psíquicas e LER. Além disso, o atendimento aos clientes fica prejudicado, pois eles passam a ter que esperar muito tempo para ser atendidos”, diz Carlão.

A pesquisa é feita em parceria com o Dieese e utiliza dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério Público (MTE). Esse mesmo estudo revela que nos últimos três anos o setor bancário permaneceu extinguindo empregos. Na comparação com 2013, quando houve o corte de 4.329 postos de trabalho, os números de 2015 representam um aumento ainda maior, de 128,4%.

Os bancos múltiplos, com carteira comercial, categoria que engloba grandes instituições, como Itaú, Bradesco, Santander, HSBC e Banco do Brasil, continuam sendo os principais responsáveis pelo saldo negativo. Eles eliminaram 7.248 empregos em 2015 (73% do total). Na Caixa, foram fechados 2.497 postos de trabalho no período (25%).

Na comparação mensal, dezembro apresentou o terceiro pior saldo, foram fechados 1.639 postos de trabalho, perdendo apenas para os meses de julho (-3.069) e novembro (-1.928). Em julho, o saldo negativo foi influenciado pelos programas de incentivo à aposentadoria implantados no Banco do Brasil e na Caixa.

Rotatividade e salário

De acordo com o levantamento da Contraf/Dieese, além do corte de vagas, a rotatividade continuou alta. Os bancos contrataram 29.889 funcionários e desligaram 39.775, em 2015. A pesquisa também demonstra que o salário médio dos admitidos pelos bancos foi de R$ 3.550,19, contra R$ 6.308,10 dos desligados. Assim, os trabalhadores que entraram nos bancos receberam valor médio 43,7% menor que a remuneração dos dispensados.

Desigualdade entre homens e mulheres

A pesquisa reforça também que as mulheres, mesmo representando metade da categoria e tendo maior escolaridade, continuam discriminadas pelos bancos na remuneração. As 14.291 mulheres admitidas nos bancos em 2015 receberam, em média, R$ 3.158,29. Valor 19,2% inferior à remuneração média dos homens contratados no mesmo período, que foi de R$ 3.909,25. A diferença de remuneração entre homens e mulheres é ainda maior na demissão. As mulheres que tiveram o vínculo de emprego rompido nos bancos entre janeiro e dezembro de 2015 recebiam R$ 5.439,40, que representa 23,4% a menos que o salário dos homens desligados dos bancos, de R$ 7.104,83, conforme o levantamento.

“Os números comprovam que as mulheres de fato estão em cargos inferiores. Sindicatos e movimentos, entre eles, o movimento feminista, , tem um longo caminho a percorrer na questão da igualdade entre homens e mulheres”, afirma a diretora do Sindicato dos Bancários/ES, Lucimar Barbosa.

Fonte: Sindicato dos Bancários do Espírito Santo

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail em nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários