PEC 241: Adiada para a próxima semana a votação de projeto governista que rasga os direitos sociais garantidos pela Constituição

PEC 241: Adiada para a próxima semana a votação de projeto governista que rasga os direitos sociais garantidos pela Constituição

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Um pedido de vista adiou a análise da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241/16 para a próxima terça-feira (9) pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados. A proposta do governo golpista de Michel Temer pretende eliminar a vinculação de receitas destinadas à educação e ao orçamento da seguridade social, o que na prática significa rasgar os direitos sociais previstos na Constituição Federal de 1988.

Nesta terça-feira (2), o relator da proposta, deputado Danilo Forte (PSB-CE), leu o parecer favorável à medida que limita os gastos públicos para as despesas primárias nos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário por 20 anos. Pelo texto enviado pelo governo, o aumento do gasto público ficará limitado à variação da inflação oficial do ano anterior.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Mobilização

Nos primeiros momentos da reunião da CCJ, partidos da minoria, como PT, PSOL, PCdoB, Rede e PTB defenderam a retirada do texto da pauta de votações, mas perderam por 34 votos a favor da análise do texto governista contra apenas 10 pela retirada da pauta.

Um grupo de manifestantes representando sindicatos de diversas categorias vaiou os parlamentares que declararam apoio à PEC 241 e, por mais de uma vez, foi alertado pelo presidente da CCJ, Osmar Serraglio (PMDB-PR), sobre o risco de ser retirado do plenário se continuasse com os gritos de guerra como “Tira, Tira [da pauta]”.

A PEC 241 pretende projetar no futuro a restrição orçamentária atual para os próximos 20 anos, mesmo quando o País retomar o crescimento e as receitas governamentais voltarem a crescer acima da inflação.

Ao congelar o gasto federal por 20 anos, a PEC 241 desestrutura o financiamento da política social brasileira ao eliminar a vinculação de receitas destinadas à educação e ao orçamento da seguridade social (que compreende as políticas de saúde, previdência e assistência social). Tais vinculações expressam conquistas sociais que foram garantidas na Constituição de 1988, com o intuito de priorizar e preservar o gasto público nas áreas sociais, independentemente do governo que estivesse no poder.

Tramitação

A CCJ tem o papel de analisar apenas a admissibilidade do texto, ou seja, se está ou não em conformidade com a Constituição Federal. Se ironicamente aprovada, a proposta que cria limites para os gastos públicos federais durante 20 anos segue para analise de uma comissão especial que terá até 40 sessões para apresentar e votar um parecer. A PEC ainda precisa ser discutida e votada no plenário da Câmara, em dois turnos, antes de seguir para o Senado. Para ser aprovada são necessários – no mínimo – 308 votos dos deputados em cada turno.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais antigos
Mais recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Ana
Ana
5 anos atrás

Alguém sabe o nome do autor da charge??