Para: Educação faz assembleia nesta quarta (04)

Para: Educação faz assembleia nesta quarta (04)

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

04 de maio (quarta-feira), assembleia geral da rede estadual, CCNT/UEPA, 9h

Diante da crise econômica, política e ética na qual o país atravessa, os direitos trabalhistas são alvos preferenciais dos governantes com a supressão de direitos como mecanismo para enfrentar a crise.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

As trabalhadoras e trabalhadores da educação pública em nosso estado sofrem os reflexos da inflação. Segundo o IBGE, o INPC acumulado em 2015 atingiu o patamar de 11,28%. O preço dos alimentos e dos serviços regulados pelos governos (energia elétrica, tarifa de ônibus, água e saneamento) foram os itens que mais impactaram a inflação. No Pará esses índices, geralmente maiores que no resto do país.

Somado a isto, tramita no Congresso Nacional o PLC 257/16, que torna legal o arrocho salarial imposto pelos governadores e prefeitos seja através do congelamento salarial, aumento da alíquota da contribuição previdenciária de 11% para 14%, suspensão de concursos públicos, etc.

No Pará, na última audiência com representantes das(os) trabalhadoras(es), o governo Jatene (PSDB) reafirmou sua política nefasta de congelamento salarial, limitando-se em apresentar sua decisão de apenas aumentar o valor do auxílio alimentação em 100 reais para a maioria das categorias. É descabido os argumentos utilizados pelo governo para não reajustar os salários pois a imprensa oficial divulga com festa o aumento de receitas do Estado (em 2014, o superávit da balança comercial foi de US$ 13,3 bilhões), então como podem alegar situação financeira difícil?

O governo insiste em não cumprir a lei do piso salarial do magistério, ressalte-se que o Ministério da Educação (MEC), no dia 14/02/2016, divulgou o novo valor do piso, que ficou em R$ 2.135,64. Várias prefeituras seguem a política de não cumprir a lei, fundamental para a valorização das/os trabalhadoras/es em educação. Não por acaso, o Pará sustenta índices alarmantes de precariedade do ensino básico, vide o Índice de Oportunidades da Educação Brasileira (IOEB) onde o estado obteve a menor nota do país. 

A educação obteve uma grande vitória na última semana em relação à política de redução da matriz curricular para o ensino médio, onde a SEDUC, diante da reação da nossa categoria e especialmente dos/as estudantes admitiu não ter debatido com a comunidade escolar a proposta encaminhada e quase votada no CEE, votação suspensa por força das massivas mobilizações nas ruas e de liminar acatada pelo judiciário.

A alternativa para enfrentar a política salarial do governo Jatene é a unidade dos/as trabalhadores e trabalhadoras do serviço público estadual, com mobilização permanente para construir uma grande greve, a exemplo do que acontece no Rio de Janeiro.

Esta semana será dedicada a mobilização de duas importantes atividades para a categoria: 1) assembleia das/os servidoras/es públicos estaduais programada para o dia 28/04, às 10 horas, no ginásio da Escola de Educação Física da UEPA, (na Av. João Paulo II); e 2) assembleia da rede estadual no dia 04/05, ás 9 horas, no CCNT/UEPA (Trav. Enéas Pinheiro).

Contra o PLC 257/2016
Pelo pagamento imediato do Piso Salarial do magistério!
Contra a redução da Carga Horária da Matriz Curricular!

Sintepp 011_05

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários